Artigos

O Que As Organizações Esperam De Suas Lideranças?

Temos observado, através da mídia e das organizações, que o cenário nacional e internacional, ora de crise, ora de crescimento, representa um grande desafio para as empresas, principalmente no que diz respeito à gestão de talentos. São muitas as questões que se formulam e velozes são as mudanças nestas respostas:

* O que as organizações esperam de suas lideranças?
* Como preparar e gerir talentos de alta performance?
* Como envolver o capital humano na direção das estratégias e demandas do negócio?
* Como alinhar o perfil do gestor às demandas do negócio?

A grande maioria das empresas apresenta dificuldades para atrair e reter talentos, com competências específicas. A análise de competências e perfis específicos dos funcionários é a ferramenta necessária para as empresas alcançarem resultados no curto prazo.

A Rota de Desenvolvimento é um conceito que vem sendo cada vez mais utilizado. É uma prática na qual a empresa identifica as carreiras existentes nos seus diferentes níveis ou estágios de maturidade, baseados em competências e desempenho dos seus colaboradores. A ampla análise de perfil e competências do profissional, alinhada à Rota de Desenvolvimento, torna as empresas capazes de identificar a existência de gaps e, dessa maneira, os colaboradores são estimulados a se autodesenvolver, uma vez que os programas de capacitação oferecidos pelas empresas podem não atender de modo pleno as demandas de desenvolvimento.

Assim, para que o executivo ou o talento alcance a alta performance desejável e a adequação à estratégia de negócios, aos valores e à cultura das empresas é preciso aliar o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes frente às demandas atuais e futuras do negócio.

O mercado pede perfis mais abrangentes, que tenham visão estratégica e habilidades multifuncionais. A capacidade de aprender e a constante lapidação das competências são estratégias fundamentais para o êxito dos executivos. Além da busca por MBAs, cursos de pós-graduação e de extensão, os profissionais devem ficar atentos a tudo que se relaciona ao negócio com o qual eles estão engajados (artigos, livros, palestras, seminários, congressos etc.). Com isso, sempre poderão sair na frente.

A constante reflexão de carreira deve ser uma prática, pois as exigências das organizações apontam cada vez mais para a necessidade de diferenciais competitivos no capital humano para atender as expectativas do mercado globalizado. Foco no negócio passou a ser imprescindível.

Abraço e até a próxima!!!

Fonte: HSM On-Line de 16/12/08
Alberto Pirró Ruggiero
Possui vivência na elaboração de planos voltados à aprendizagem organizacional, auxiliando as empresas a obter vantagens competitivas na gestão de pessoas, além de atuar em projetos relacionados à fusão de culturas, filosofia de times, gestão de negócios e alavancagem da performance através das competências pessoais e organizacionais. Administrador de Empresas, Psicólogo Organizacional e Mestre em Administração de Empresas, tendo atuado em companhias nacionais e multinacionais de diversos portes e segmentos, atua como consultor independente.

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of