Artigos

Os desafios no processo de expatriação de funcionários

A perspectiva de forte crescimento econômico para os próximos anos deve ampliar a necessidade das empresas multinacionais de deslocar seus funcionários pelas suas várias unidades de negócio. De fato, para que uma corporação mantenha coesa sua cultura de negócios é salutar que se promova um regular intercâmbio entre os colaboradores oriundos das mais diversas nacionalidades. Esse processo contínuo contribui para que a empresa e sua cultura seja o fator de unidade e identidade entre os seus funcionários de nacionalidades, religiões e costumes diferentes.

Em regra, o processo de expatriação costuma ser um importante marco na carreira dos executivos, garantindo a experiência necessária para que o mesmo ocupe posições de comando na estrutura da corporação.

É evidente, por outro lado, que o processo de expatriação apresenta consideráveis desafios ao funcionário expatriado, à sua família e à própria empresa. Trata-se de uma decisão importante, com impactos na vida pessoal de todos os membros da família. Os filhos terão de se adaptar em uma nova escola, com novos colegas e provavelmente com uma língua nativa diferente. Caso o cônjuge também trabalhe, será necessário regularizar sua situação profissional (registros profissionais, visto de trabalho, etc.) e encontrar espaço em um mercado diferente do seu. As opções de lazer para a família certamente serão diferentes.

Nova call to action

Estes desafios todos podem ser melhor enfrentados com o apoio de um profissional de realocação (ou relocation, no jargão corporativo). Este profissional tem a missão de tornar o mais natural possível a adaptação no país de destino, providenciando soluções (visto, transporte, treinamento cultural, etc.) e apresentando opções (escolas bilíngües, moradia, clubes, templos, etc.) para o expatriado e sua família. Com isso, as importantes escolhas que a família expatriada precisará enfrentar poderão ser superadas sem maiores traumas.

Um processo de expatriação bem conduzido começa ainda no país de origem. O profissional de realocação deve conduzir entrevistas com o expatriado e sua família para melhor compreender as expectativas e necessidades, proporcionando, a partir destas premissas, as soluções mais adequadas no país de destino.

Certamente, com o apoio adequado, a expatriação será um importante marco na vida de cada um dos membros da família do expatriado, bem como fomentará a unidade e o intercâmbio cultural entre os funcionários da empresa.

* Priscilla Tavolaro (priscilla@habitatrelocation.com) é sócia da Habitat Relocation (www.habitatrelocation.com), empresa especializada em soluções para processos de expatriação.

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of