Artigos

Os Novos Paradigmas Dos Recursos Humanos

Autor:
Ivan Moreira

Para
enfrentar a atual realidade do mercado, os profissionais que atuam direta ou
indiretamente com Recursos Humanos estão sendo obrigados a mudanças que exigem
a implementação de novos modelos de gestão de pessoas, novas políticas,
procedimentos e 
processos, que obviamente estão interferindo diretamente 
sobre a suas realidades profissionais. Essas mudanças iniciadas nos anos
90, como conseqüência da exaustão das políticas econômicas fundamentadas no
neoliberalismo 
e alimentadas pela evolução tecnológica, 
a globalização e algumas questões sociais, ainda não são
completamente percebidas e/ou aplicadas na realidade da maioria das empresas
brasileiras, conforme pesquisa do SESC de São Paulo.

Esta
constatação nos remete ao raciocínio de que, seria razoável supor, que o
mesmo está acontecendo com as pessoas engajadas nas organizações, elas (na
maioria), ainda não perceberam as evidências de que as relações pessoas x
organizações, 
tendem a tornarem-se cada vez mais convergentes para o mesmo ponto comum,
qual seja, o de realização de seus respectivos objetivos, e que neste contexto
os Recursos Humanos cumprem um importante papel, o de mediar esta relação,
ajudando tanto as empresas como os pessoas.

O
autor Davi Ulrich em seu livro “Campeões de Recursos Humanos” propõe um víeis,
 “Para
criar valor e obter resultados, os profissionais de RH precisam começar não
pelo foco nas atividades ou no trabalho, mas pela definição das metas, as
quais garantem os resultados de seu trabalho”. Segundo o autor, a definição
das metas pré-supõe a definição de novos papéis para o RH no contexto
organizacional, esses papéis segundo seriam os de “Parceiro Estratégico,
Especialista Administrativo, Defensor dos Funcionários e Agente de Mudanças”, o
autor ainda afirma que através dos processos desenvolvidos em cada um desses
papéis o RH ajudaria a empresa alcançar seus objetivos.

É
de suma importância para os profissionais de Recursos Humanos que atuam neste
mercado de trabalho, conhecer esses novos paradigmas; exatamente em um momento
em que as organizações passam por grandes transformações estratégicas,
estruturais, operacionais e conseqüentemente de mudanças também 
nas atividades que eles exercerão dentro dessas organizações,

Maria
Tereza Fleury
no livro “As pessoas na organização” afirma,
“Toda e qualquer organização depende, em maior ou menor grau, do desempenho
humano para seu sucesso”. A partir desta visão e a associando com a
de Ulrich, em que ele aponta que um dos atuais papeis dos Gestores de Recursos
Humanos é o de contribuir estrategicamente com a organização, pode-se
entender que uma das formas de contribuição, seria na elaboração de um
modelo de gestão de pessoas, que possibilite o “gerenciamento e a orientação
do comportamento humano no trabalho”

O
modelo em questão,  adotado
ou a adotar na empresa, deverá privilegiar a implementação de políticas e
procedimentos adequados ao atingimento e manutenção do equilíbrio das relações
da organização com os funcionários, de forma que ambos possam alcançar suas
respectivas metas e objetivos, criando ainda um sentido para o trabalho
realizado, como uma das fontes de motivação, que contribui para a otimização
do desempenho, como forma de viabilizar a missão e os objetivos da empresa,
assim como os objetivos individuais de cada funcionário, incluído aí, o do
profissional de Recursos Humanos.

As
pesquisas bibliográficas apontam para uma unanimidade entre os diversos
autores, as relações e o valor atribuído as pessoas no processo
organizacional, está mudando, as relações pessoas x organizações a cada dia
deixam de ser mais divergentes, antagônicas, no estilo um ganha e o outro perde
e passam a ser mais convergentes e de interação, no estilo ganha, ganha.

Urich,
indica “O redirecionamento do foco das práticas de RH , mais 
sobre a cadeia de valor (fornecedores e consumidores) e menos sobre as
atividades no interior da empresa.” Ou ainda Chiavenato,”Fala-se hoje
em estratégia de recursos humanos como a utilização deliberada das pessoas
para ajudar a ganhar ou manter uma vantagem auto-sustentada da organização em
relação aos concorrentes que disputam o mercado”.

Autor: Ivan
Moreira – www.ilmconsultoria.com.br
–  Telefone: (31) 3462-8446 – ilmconsultoria@ilmconsultoria.com.br

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of