Artigos

Os principais problemas com a falta de treinamento e desenvolvimento

Autor: Antonio Clefferson de Paiva

Um dos grandes erros das organizações é pensar que essa atividade é uma maneira inútil de obter resultados, ou querer grandes resultados em curto prazo e quando estão passando por algumas dificuldades acham que um pequeno treinamento vai resolver tudo.
Os principais “pecados” que a área de Recursos Humanos comete no dia-a-dia são: ignorar as demandas das áreas dos clientes; achar que treinamento é uma espécie de panaceia que resolve todo e qualquer problema organizacional; avaliar o treinamento pelo seu preço e não pelo valor que ele é capaz de agregar ao negócio; deixar se impressionar por gurus e falsos experts que prometem conseguir milagres; não avaliar o retorno sobre o investimento feito. Esses são os principais, porém não são os únicos.
É natural que a organização busque atingir seus objetivos de uma maneira econômica, racionalizando suas despesas de investimento, afinal T&D é investimento.
Várias são as barreiras para o treinamento e desenvolvimento, um dos principais é o investimento para a realização do treinamento, pois os trabalhadores vão passar um tempo se produzir, o que gera um custo a mais nesse processo. Isso leva as empresas pensarem que a aplicação de um processo muito caro, e isso se torna um dos principais empecilhos na realização do treinamento. Porem outras empresas através de estudos e experiências de outras empresas, que se a atividade tiver sucesso, isso irá trazer benefícios infinitamente maiores que os custos.
Outro problema são os funcionários, aqueles que acham que sabem de tudo, eles acreditam que seu conhecimento serve para exercer qualquer função, assim não dando a importância necessária para o treinamento. Além disso, muitos funcionários têm dificuldade em perceber o próprio crescimento, como o aperfeiçoamento é um processo em longo prazo, é natural que as pessoas questionem o que levou a área de gestão de pessoas a fazer a sua convocação para participar de determinado programa. Por fim temos a dificuldade de recolocação como outro grande problema, pois muitos programas de T&D satisfazem apenas demandas da organização, não representando programas para promover apenas o crescimento do indivíduo.
Já se foi o tempo em que investir apenas na aquisição de equipamentos e novas tecnologias era sinônimo de se manter competitivo no mercado. Hoje, mais do que nunca, as empresas estão acreditando no potencial dos seus colaboradores, pois são as pessoas que fazem a diferença para o negócio. Para isso, muitas organizações passaram a investir pesadamente no desenvolvimento dos seus profissionais e constantemente viabilizam recursos para que eles possam manter-se capacitados.
Mas qual é, afinal, a saída para as empresas que ainda não despertaram para a importância do treinamento? Um grande começo é ter uma área ou a função importância e o potencial de seu principal patrimônio: as pessoas. A partir daí é ter um o processo bem definido abrangendo os seguintes pontos: ter fontes de informações que apresent0em a real necessidade de investimento em treinamento, como avaliação de desempenho baseada em resultados e competências; ter um diagnóstico permanente de necessidades de T&D; e tornar a gestão continuamente integrada às estratégias da organização e as demais ações da gestão total de recursos humanos.
O treinamento deve ser visto como um processo e não como um evento, por isso a sensibilização das pessoas e de seus superiores da necessidade de retorno do treinamento para a empresa, traduzido em melhores resultados, deve ser uma premissa básica no processo de treinamento.

0 0 vote
Article Rating

Nova call to action

Por: Antonio

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments