Artigos

Pedro O Lenhador

Pedro o lenhador, após um grande trabalho em uma área de desmatamento, se viu desempregado. Após tanto tempo cortando árvores, entrou no corte. A madeireira precisou reduzir os custos… Pedro então procurou novo trabalho, pois sempre foi um ótimo profissional. Em suas andanças, Pedro apresentou-se numa madeireira que estava fazendo um grande desmatamento e o capataz, após um breve olhar ao tipo miúdo de Pedro, foi logo dizendo que precisava de pessoas capazes de derrubar grandes árvores. Pedro, necessitando do emprego, insistiu. Pediu uma oportunidade, queria fazer um teste, pois sabia que era ótimo profissional. O capataz resolveu fazer um teste com Pedro, porém sem muitas esperanças de aprová-lo, afinal, ele era um tipo miúdo. Pedro se postou frente a uma árvore de grande porte, sob olhares curiosos, e com um grito de “madeira”, deu uma machadada tão violenta que a árvore caiu no primeiro golpe, surpreendendo a todos.

Pedro foi logo admitido, pois o capataz percebeu a força descomunal e a grande habilidade que tinha. Seu trabalho era elogiado por todos e seu rendimento excepcional. Porém o tempo foi passando e, gradativamente Pedro foi reduzindo as quantidades de árvores que derrubava. O fato era incompreensível, uma vez que Pedro estava se esforçando cada vez mais. Um dia Pedro se nivelou aos demais, dias depois, encontrava-se entre os lenhadores que menos produziam. O capataz, homem vivido, chamou Pedro e perguntou-lhe o que estava ocorrendo. Não sei, respondeu Pedro, nunca me esforcei tanto e, apesar disso, minha produção está cada dia menor.

O capataz pediu, então, que Pedro lhe mostrasse o seu machado e quando recebeu notou que estava cheio de “dentes” e sem “fio de corte” e perguntou-lhe: Por que você não afiou o machado? Pedro surpreso, respondeu que estava trabalhando muito e por isso não tinha tido tempo de afiar o seu machado. O capataz pediu que Pedro ficasse no acampamento e amolasse seu machado e só depois voltasse ao trabalho. Pedro fez o que foi solicitado. Quando retornou a floresta, percebeu que tinha voltado à forma antiga, pois derrubava as árvores com uma só machadada.

Não tenho tempo para planejar! Não tenho tempo para treinamentos!

Não tenho tempo para ler! Não tenho tempo para atualizar-me!

Reflita qual a semelhança desta história coma sua realidade pessoal, profissional ou empresarial.

Você não tem tempo?

Mude enquanto é tempo, invista em você mesmo.

(Autor Desconhecido)

Luciano Santana Pereira

Mestrado em Ciências Sociais, pós-graduado em Gestão de Pessoas e Desenvolvimento de Talentos, MBA em Gestão de Estratégias Empresariais. Graduado em Administração de Empresas e Gestão Comercial. Já atuou como Gerente e Coordenador de Equipes. Como consultor, desenvolveu trabalhos em empresas de pequeno, médio e grande porte envolvendo as áreas de Planejamento Estratégico, Formalização de Processos e Treinamentos de Equipes e Gestores. Atualmente é Coordenador de curso pelo NEAD Unicesumar e também desenvolve atividades de Coaching, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos.

Contato:

luciano@atuacaoprofissional.com.br

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of