Artigos

Como fazer um plano de desenvolvimento individual

PDI ou Plano de Desenvolvimento Individual, é um planejamento essencial para desenvolver pessoas. No RH ele é utilizado para o progresso dos colaboradores.

Seu objetivo final é alavancar a carreira profissional e desenvolver competências. É importante que este plano esteja de acordo não só com os interesses da empresa, mas também aos desejos e anseios profissionais e pessoais do colaborador, tornando o processo de desenvolvimento muito mais agradável.

Podemos considerar esse recurso muito estratégico para organizações, pois podemos desenvolver talentos e até mesmo descobrir novos. Essa é uma ótima oportunidade para fortalecer os laços entre empresa e colaborador, uma vez que essa parceria impulsiona o potencial de cada um e implica uma cultura de alta performance.

O plano de desenvolvimento individual é um método não só profissional, mas também pessoal, no qual podemos atingir resultados a médio e longo prazo a partir de um roteiro que determina ações para alcançar seus objetivos.

Mas como identificar essa evolução? Para realizar esse plano é muito importante que o responsável monitore os indicadores que determinam o sucesso da estratégia.

Como desenvolver um PDI

Primeiramente, para fazer o PDI é muito importante que as expectativas do colaborador estejam alinhadas às da empresa, pois é um plano que deve ser desenvolvido em conjunto.

A avaliação de desempenho é um documento que pode auxiliar de uma maneira excelente na identificação dos potenciais desse colaborador.

Para fazer o PDI é necessário definir:

O objetivo

Saber qual o fim desse plano, ou seja, delimitar um objetivo especifico e saber o porquê de desse objetivo. Para que o plano seja estratégico, é necessário entender, quais são as metas de curto, médio e longo prazo de acordo com as competências e vontade de se desenvolver do funcionário.

As competências

É crucial que cada colaborador entenda quais são as suas competências mais fortes e quais as competências que ele precisa desenvolver ou aprimorar para atingir todos os objetivos escolhidos.

Conhecer suas competências é um processo que exige autoconhecimento. O autoconhecimento vêm com a idade, com a auto-reflexão, terapia, e muito mais. Mas, para obter autoconhecimento em um período curto, recomendamos o teste de perfil comportamental, ele fornece mais de 50 informações sobre a personalidade da pessoa em menos de 7 minutos.

O mapeamento comportamental é uma ferramenta estratégica para executar o PDI, pois a partir do momento que conhecemos nossos pontos fracos e fortes, sabemos o que podemos desenvolver de acordo com os nossos objetivos!

É importante ressaltar, que esse plano não deve apenas traçar metas e ações para desenvolver os pontos francos. Não devemos esquecer que os pontos fortes são os diferenciais de um profissional. Vale ressaltar que ao desenvolver as características que possuímos naturalmente, o gasto de energia é muito menor, ou seja, não iremos nos sentir frustrados pela demora e esforço resultantes do desenvolvimento de competências que não são naturais.

A partir desse conhecimento, identifique: qual o impacto que o desenvolvimento dessa habilidade terá ao alcançar o objetivo final? O quanto essa habilidade é necessária nesse momento? Quanto o colaborador deseja desenvolver essas competências?

Fazendo esta análise, podemos partir para o plano de ação.

Plano de Ação

Depois que as competências estão de acordo com o colaborador e com a empresa, é hora de sair da zona de conforto e delimitar ações que possibilitam o desenvolvimento da pessoa.

Determine etapas do plano de ação e faça um planejamento bem detalhado, isso contribui com o comprometimento da pessoa e com a motivação para realizar tudo e chegar ao objetivo final.

Além disso, não foque apenas em estudos, workshop e palestras, proponha desafios!

Metas e Prazos

As metas e prazos são o que nos permite verificar se as ações propostas foram cumpridas no tempo determinado. Estabeleça prazos e metas reais que serão possíveis dentro da rotina de cada colaborador.

Nessa etapa do PDI, é muito importante definir métricas para monitorar a evolução de cada um. Além disso, tenha os números anteriores ao início do processo, para que ao final, você consiga comparar o crescimento!