Artigos

” Porque as pessoas procuram emprego mas não querem trabalho?”

Em pleno século 21 é incrível como, cada vez mais, as pessoas estão preocupadas apenas com a embalagem e se esquecem do conteúdo. Inúmeras vezes são oferecidas vagas para diversas áreas de trabalho e as mesmas ficam em aberto por não existirem profissionais capacitados para preenchê-las. Quando não é isso, o descaso de alguns “profissionais” que se dizem interessados na vaga confirmam por email ou por telefone e, simplesmente, não comparecem na data combinada. Onde está a ética e o senso de responsabilidade destes candidatos? Por que não são francos ou apenas responsáveis em querer ou não determinada vaga?

Os cursos de capacitação estão aí, disponíveis no mercado e são inúmeros. A mídia sempre salienta a importância destes cursos, o quanto o mercado está competitivo e as salas preparatórias quase sempre vazias. O que falta, então? Interesse? Responsabilidade? Tempo? Dinheiro? Em relação a este último não creio que seja, pois, quando se fala em BALADA ainda existem grupos que acabam dando um “jeitinho” para não faltarem. Contudo, quando falamos de capacitação a conversa muda e todos logo argumentam uma justificativa. Vale salientar que uma “Embalagem” vazia, por mais bela que seja, continua sendo apenas uma embalagem e que conteúdo é fundamental.

Com o advento das Faculdades de Ensino a Distância (EAD) aos poucos esse quadro vêm sofrendo algumas alterações (positivas claro!). Hoje, observamos que há um aumento considerável de alunos universitários – o que sinaliza uma luz no final do túnel -, isso porque tenho percebido e vivenciado a evolução destes, onde desenvolvem um bom grau de responsabilidade e planejamento, pois as atividades acadêmicas devem ser postadas impreterivelmente na data, e caso não o façam ficarão sem a nota da atividade.

Verdade seja dita, as escolas públicas deveriam preparar melhor seus alunos para que, ao ingressarem em uma faculdade não fiquem tão perdidos, tentando acompanhar o ritmo frenético das universidades. Isso porque há estudantes que não conseguem acompanhar essa realidade, ficam frustrados, desmotivados e não são poucos os que acabam desistindo desse sonho que, às vezes, é compartilhado em família, ou seja, muitos se tornam o primeiro da família a cursar um ensino superior.

Muitos ainda são aqueles que procuram uma faculdade de ensino a distância, sem conhecer nada de informática ou, então, estão há muitos anos sem estudar por motivos diversos e, inclusive, pessoais, estando em sua grande maioria completamente desatualizada em relação às novas metodologias de ensino.

Contudo, ainda, precisamos evoluir muito em relação à capacitação. Devemos escolher a real área de interesse e nos aprofundarmos, cada vez mais, buscando os cursos preparatórios e de desenvolvimento pessoal, pois, só dessa maneira poderemos ser capazes de concorrer e ocupar essas tantas vagas que o mercado oferece. Não podemos ignorar o fato de que as indústrias, por exemplo, estão procurando instalar-se em cidades do interior já sabendo que encontrarão incentivos fiscais, isenção de impostos e mão de obra barata, pois os níveis mais elevados do organograma da empresa obviamente são ocupados por profissionais de fora. E na grande maioria das vezes simplesmente nos calamos e aceitamos. É imprescindível adquirirmos cultura, conhecimento e preparo para o mercado.

Curioso é que ao chegar o final de ano a demanda é inversamente proporcional, ou seja, as pessoas estão muito mais preocupadas com as festas, as compras, os presentes e são muitas as vagas não são ocupadas. Será que realmente o Brasil possui hoje um superávit no número de empregados e o número de desempregados é tão pequeno, que sobram empregos? Ou as empresas querem cada vez mais profissionais bem qualificados? Indo de encontro a tudo isso ainda existem aqueles que acabam de se formar numa graduação, muitos sem ter experiência na área e possuem a pretensão de receberem salários compatíveis com grandes profissionais que se dedicaram e estudaram muito para poderem desfrutar de tudo que foi plantado e, hoje, estão colhendo.

“O único lugar aonde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário”, como dizia Albert Einstein.

Flavio de Burgos Ribeiro
Bacharel em Administração de Empresas com Empreendedorismo pela Faculdade Adventista De Administração Faad Cachoeira-Ba. Pós-graduado e especialistas – MBA em Gestão Estratégica de Recursos Humanos pela Faculdade Católica de Ciências Econômicas do Estado da Bahia Facceba Salvador/Ba. Atualmente, leciona nas Universidades Anhanguera UNIDERP (turma de Administração) e Grupo Uniasselve (turma de Gestão Pública). Curso Básico de Grafologia pela Faculdade Católica ee Ciências Econômicas do Estado da Bahia Facceba Salvador/Ba.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of