Artigos

Qual é o melhor tipo de remuneração para sua empresa?

Enquanto o salário é o valor financeiro recebido por um colaborador em troca de seus serviços, a remuneração abrange mais do que a receita mensal líquida de um profissional. Ela engloba o conjunto de retribuições que complementam seu salário e compõem todos os valores recebidos pelo empregado de sua empresa. Ou seja, salário direto, indireto e remuneração variável.

Para tornar esse conceito mais claro, existe uma frase que explica muito bem a diferença entre eles: “salário sempre é remuneração, mas remuneração nem sempre é salário”. O foco da questão é que uma remuneração deverá sempre ser capaz de representar os valores e benefícios justos para um colaborador perante a lei e sua percepção das realizações de seu cargo.

É importante lembrar que salário ou remuneração nunca deverão ser o único ou principal atrativo para a retenção de talentos. Mas representam uma importante parcela para a atratividade e permanência de colaboradores em uma organização. Quando são bem reconhecidos profissionalmente e bem remunerados, os trabalhadores elevam naturalmente seu nível de engajamento ao perceber que seu trabalho é valorizado e faz a diferença na empresa.

Então se a remuneração pode ser uma das armas estratégicas para que você mantenha sua empresa competitiva no mercado, é importante conhecer os principais tipos e avaliar qual deles se encaixa melhor ao perfil de sua organização:

Remuneração Funcional: também chamada de Plano de Cargos e Salários, é um dos mais tradicionais sistemas de remuneração e o mais comum nas empresas. É formado pela descrição de cargo, avaliação de cargos, faixas salariais, política para administração dos salários e pesquisa salarial.

Salário Indireto: são os benefícios oferecidos pelas empresas e que representam, muitas vezes, parte considerável da remuneração total. Podem ser apresentados em formas de auxílio automóvel, empréstimo financeiro, assistência médica, previdência privada, estacionamento, auxílio-doença, auxílio-farmácia, assistência odontológica, auxílio-funeral, aluguel residencial, clube, transporte, alimentação, creche, cursos, treinamentos, idiomas, etc. Hoje os benefícios são oferecidos aos empregados sem opção de escolha e muitas vezes não representam valor para os empregados.

Remuneração por Habilidades: é paga em função do conhecimento ou habilidades certificadas de um profissional. Considerando-se a habilidade como o conjunto de conhecimentos que podem ser formalmente aprendidos mais aptidão pessoal do profissional.

Remuneração por Competências: é aplicável aos níveis gerenciais e sua implementação exige mudanças no modelo de gestão e estilo gerencial. Esse sistema de remuneração passou a ser interessante em função:

  • Do crescimento do setor de serviços na economia;
  • Aumento da demanda de profissionais qualificados;
  • Necessidade de conhecimento intensivo nas empresas em geral;
  • Implantação de sistemas mais flexíveis e redução de estruturas hierárquicas rígidas e popularidade do conceito de competência.

Remuneração Variável: é o conjunto de diferentes formas de recompensa oferecidas aos empregados, de forma a complementar a remuneração fixa e atrelar à ela fatores como atitudes, desempenho e outros critérios relevantes. A remuneração por resultados e participação acionária são duas formas de remuneração variável e estão vinculadas ao desempenho. O principal objetivo da remuneração variável é criar vínculos entre o desempenho e a recompensa. Compartilhando os resultados da empresa e transformando o custo fixo em variável.

Participação Acionária: é um dos sistemas de remuneração mais complexos pelo qual os empregados passam a ser co-proprietários da empresa. Focando uma relação de longo prazo e parceria, comprometimento e orientação para resultados. Exige um projeto muito bem elaborado para sua implantação.

Alternativas Criativas: são maneiras de remuneração que promovem um vínculo imediato entre o fato gerador e o reconhecimento. O reconhecimento, feedback e orientação é muito importante, pois existe uma relação muito grande entre a motivação, recompensa e desempenho. Existem quatro tipos de reconhecimento: social (agradecimento público, jantares de comemoração, etc.), simbólico (passagens de avião, convites para teatro, etc.), relacionado ao trabalho (promoção, participação em projetos, etc.) e financeiro (bônus, ações da empresa, e outros).

E qual tipo de remuneração é mais indicada para minha empresa?

Para responder a essa pergunta, a primeira coisa que você precisa fazer é analisar cuidadosamente o perfil de sua organização. Juntamente com o  quadro de colaboradores que sua empresa engloba. Toda decisão deve ser pautada sobretudo em um critério básico: quando você implementa um novo tipo de remuneração, ela passa a fazer parte da história e cultura de sua empresa. Tornando-se mais difícil modificar esse padrão futuramente sem gerar impactos na equipe.

Sendo assim, estude a fundo a legislação, seus impactos e como ela pode refletir no desempenho de sua equipe. Só depois de fazer uma criteriosa análise neste sentido é que você deverá optar pela implantação de novos modelos em sua empresa.


Fonte: BlogRH

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of