Artigos

Quanto antes melhor.

Todas as pessoas deveriam ter objetivos na vida. Reformar ou construir sua casa, cursar uma nova faculdade, casar, ter ou não filhos, trocar de carro ou montar sua própria empresa. Que maravilha!
Mas por que muitas não atingem tais objetivos, ficando frustradas, desanimadas e culpando terceiros pela falta de oportunidade e sorte? Claro que sonhar é bom, faz bem à saúde e quase sempre é o início de um grande projeto, mas não é o suficiente para a realização dos sonhos. Se você continuar apenas sonhando terá grandes chances de fracassar novamente. Vire o disco e troque a palavra “Sonhos” por “Metas/Objetivo”.
Culpar os governantes, empresários, banqueiros é realmente muito fácil e cômodo para muitas pessoas. Já chegou a pensar que o seu maior inimigo pode ser você mesmo? Vamos refletir: Como vai a sua saúde financeira? Como você administra o dinheiro? O seu dinheiro trabalha para você ou é você que trabalha para o seu dinheiro?
E quanto aos seus filhos? Será que estão sendo preparados para que consigam, quando adultos, viver em paz com os outros e com eles mesmos? Infelizmente são poucas as crianças que aprendem, desde cedo, a manipular, economizar e dar o devido valor ao dinheiro. É uma pena!
As propagandas na TV bombardeiam os lares e apelam de todas as maneiras possíveis para vender suas mercadorias e serviços. Adivinhe o alvo mais fácil para a mídia? Acertou, nossas crianças e adolescentes.
Se os adultos muitas vezes, por impulso ou compulsão, caem nas armadilhas do consumismo exacerbado, o que dirá os baixinhos! Gritam, aprontam escândalos, ficam emburrados e fazem chantagens emocionais.
O dialogo é sempre o melhor remédio para o entendimento, por isso explique para o seu filho a real diferença entre QUERER e NECESSITAR.
Muitos pais alegam falta de tempo e também inexperiência no assunto, mas que tal começar a trabalhar esse ponto tão fundamental para a educação de seus filhos? Só assim você conseguirá mostrar o caminho mais tranqüilo e consciente aos jovens e adolescentes.
Alimentação, estudo, diversão e esportes são primordiais para que eles alcancem muito sucesso na vida, mas não podemos deixar de prepará-los para enfrentar situações co-relacionadas ao dinheiro.
Eles conhecem as receitas e despesas da família? Deixar seus filhos informados a respeito do fluxo de caixa é uma das maneiras mais fáceis de conscientizá-los a ajudar na administração da casa e na eliminação de gastos desnecessários. Claro que a contribuição da criança será sempre proporcional a idade e maturidade, mas quanto antes melhor!
É muito triste ver tantos adolescentes já endividados, gastando grande parte de suas mesadas ou salários com crédito no celular e consumindo vários produtos e serviços sem se preocupar se terão ou não dinheiro para pagar.
Pergunto-me: Como estarão esses indivíduos em dois ou três anos? Será que contribuirão na formação de um Mundo melhor?
De nada adianta ter um bom salário, ótimo emprego se não existir pelo menos o mínimo de conhecimento na área financeira. É deprimente ouvir aquela frase tão famosa: “quanto mais se tem, mais se gasta”. E o pior é que ainda passamos essa idéia aos nossos filhos.
Trabalhar com o dinheiro, adiar desejos, discernir o “querer & precisar”, poupar e criar Metas são algumas tarefa que os pais deveriam ter em mente para eliminar muitos problemas oriundos da falta de controle no consumo e proporcionar mais equilíbrio para o futuro.
Como então instruir seus filhos e torná-los adultos conscientes, sem dívidas e de cabeças erguidas? Encontramos em algumas escolas aulas relacionadas à educação financeira, mas ainda está muito longe de atender toda a população
Já que ainda não é realidade e não temos tempo para esperar, devemos usar uma das ferramentas: a Mesada. É o valor em dinheiro que entregamos aos nossos filhos em uma determinada data e que o valor e periodicidade variam segundo idade e hábitos familiares.
Essa importância deverá suprir as necessidades básicas como o lanche na escola, roupas e dinheiro para o cinema. As crianças aprenderão a fazer escolhas, respeitar limites e regras. Faça aos poucos, converse mais com eles, mostre as despesas da casa, veja se tem alguma idéia para diminuir os gastos e com isso, quem sabe até, planejar uma viagem com a família.
Não esqueça nunca disso: Você é o espelho de seu filho.

“Quando VOCÊ muda, tudo muda para VOCÊ”

Por Pedro Luiz Braggio
Educador Financeiro
(11) 8765-4180 – (11) 4582-5498

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of