Artigos

Quero mudar de carreira, e agora?

Sempre é hora para procurar a sua realização profissional, independente de sua idade ou da carreira que tenha escolhido. É importante tomar as decisões com coerência. Diversos fatores podem levar um profissional a pensar em mudar de área, em diferentes fases da vida. Na realidade, quem nunca se sentiu insatisfeito e sem perspectivas em seu campo de atuação? Muitas pessoas ficam inseguras para tomar uma atitude que pode mudar suas vidas e escolher um novo caminho, que pode trazer ganhos e perdas.

O primeiro passo para quem quer mudar de área é procurar um profissional especializado, que pode lhe ajudar a entender por que você está se sentindo insatisfeito com sua área. Por meio de diversos testes psicológicos, inventários comportamentais e entrevistas, o especialista, em geral com formação em psicologia, lhe ajuda a descobrir o que lhe dá mais satisfação, quais são seus pontos positivos e negativos, para que assim, você saiba qual carreira deve seguir, baseando-se em suas preferências e estilo comportamental. Portanto, é muito importante ter calma e autoconhecimento.

Nem sempre começar do zero é fácil, por isso, especialistas aconselham que você aposte no que já é próximo da sua área. Sempre é tempo para mudar de carreira. Mas, para isso, é importante levar em consideração as dificuldades de cada etapa da sua vida, qual a formação mais apropriada, por exemplo fazer um curso técnico, outra graduação ou uma pós, e também o quanto você tem disponível para investir em termos financeiros. Outra dica é tentar utilizar o conhecimento que você já tem para desempenhar um bom papel no novo campo em que quer atuar. Ter feito um curso superior em outra área pode ajudar bastante a complementar seu currículo e pode te deixar à frente de outros candidatos na hora de conseguir um emprego.

Não é preciso mudar de área radicalmente. É muito difícil uma pessoa querer trabalhar com algo completamente diferente do que ela já trabalhava. Por exemplo, conheço um executivo que é formado em Direito e que, mais tarde, decidiu mudar de área e fazer contabilidade. Hoje, ele atua na área de auditoria interna em uma multinacional e é super-requisitado e reconhecido, pois reúne mais de uma formação, uma visão mais ampla e uma série de competências. Portanto, ter uma carreira anterior pode facilitar a reinserção ou adaptação no mercado de trabalho.

MÉDICA OU ADVOGADA?
Conheço uma médica de 31 anos que mudou radicalmente de área e é feliz com a nova profissão. No curso de Direito, interessou-se por medicina legal e, depois de formada, decidiu prestar vestibular novamente e mudar de carreira. Foi preciso ter contato direto com o dia a dia da profissão para que ela descobrisse sua vocação. No fim das contas, ela acabou desistindo da medicina legal e se tornou médica da família.

Para ela, ter iniciado sua carreira em outra área contribuiu bastante para seu desempenho como médica, pois ter feito Direito possibilitou-lhe utilizar de organização, disciplina, respeito dos prazos, entender direitos e deveres… Outra questão importante também é a maturidade de quem faz outra faculdade e convive com pessoas que têm outras visões; é algo muito positivo e relevante para formar um profissional.

NÃO TEMA O TEMPO
Encarando friamente o mercado de trabalho, é fácil perceber que pode haver preconceitos quando se decide mudar de carreira, afinal, não é uma escolha fácil. Muitas vezes, a família acaba impondo algum curso ao jovem e, quando ele fica mais velho, muda de área. Dependendo da idade, fica difícil, por exemplo, de participar de um processo seletivo de estágio ou trainee em que as empresas busquem focar suas seleções em jovens talentos, mas nada é impossível se você acreditar em você mesmo e se empenhar para que aconteça.

No entanto, eu conheço pessoas que acabaram estagiando mesmo com um pouco mais de idade e acabaram se saindo bem. Acho que o maior desafio mesmo é tomar a atitude, pois você terá de fazer uma escolha. Não é a apenas uma mudança de profissão, mas o quanto você está disposto a investir nessa nova etapa. Muitos sonhos podem mudar. Às vezes, as próprias circunstâncias da vida acabam por alterar os rumos e acabamos sim, mudando de carreira ou de área, pois alguns valores e metas mudam. Mas nunca desista, pois sempre é tempo de aprender e buscar a felicidade, com equilíbrio e bom-senso. Siga confiante e boa sorte!

************
Cíntia Bortotto é psicóloga pela PUC-SP, especialista em recursos humanos pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, em Dinâmicas de Grupo, pela Associação Brasileira de Dinâmicas de Grupo, e MBA em Gestão de Negócios, também pela FGV.

Como executiva de sucesso, desenvolveu projetos em grandes multinacionais como a Otis e a Unilever e, hoje, é consultora de RH. Saiba mais em www.consultoriaemrh.com.br.

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of