Artigos

Raízes da iniciativa

 

A iniciativa é um dos fatores fundamentais
para o sucesso, por isso que a encontramos em tantos processos avaliativos,
sejam de contratação ou de desempenho. Podemos compará-la com o eixo de uma
roda, sem eixo a roda não gira, assim também nossa vida pessoal e profissional
sem iniciativa.

Mas o que é, exatamente, iniciativa?

Nova call to action

O dicionário nos diz que a iniciativa é a qualidade daquele que está disposto
a empreender, a ousar; porém é mais que isso e não pára aí. A iniciativa é
a qualidade daqueles que ousam, evidentemente, que iniciam ativamente um projeto
e que, sobretudo, não param no meio do caminho.

Que valor teria os profissionais que iniciam um projeto e o abandonam no meio? A
iniciativa está intimamente ligada com a continuidade da ação.
Aqueles que realmente sabem conduzir seus projetos ou gerenciá-los, mesmo que
seja delegado a outros a continuidade, são os verdadeiros líderes de sucesso.

Aristóteles dizia: Nós somos o que repetidamente fazemos. Excelência não é
um ato e sim um hábito. Devemos nos habituar a termos comportamentos pró-ativos,
eliminando qualquer tipo de procrastinação nas nossas vidas. Quanto mais
adiamos o que temos que fazer, mais nos distanciamos das ações necessárias, e
conseqüentemente do sucesso.

Por isso não podemos falar sobre iniciativa sem termos o desejo de praticá-la.
É fundamental que continuamente a exercitemos, que busquemos formas de
autodesenvolvimento neste campo, pois só está pronto aquele que se preparou.

Parece bastante pessoal pensar nos valores da iniciativa. Num processo
avaliativo, que muitas vezes tende a ser subjetivo, a iniciativa pode ser
identificada se o avaliado tem:

1. Capacidade de buscar soluções por decisões próprias

É difícil imaginar que alguém possa atingir resultados satisfatórios na vida
sem aprender a tomar suas próprias decisões, além disso, a eficiência
profissional pode ser mensurada pela capacidade de encontrar soluções
adequadas.

Alguns profissionais costumam “dar um jeito” nos problemas, mas o
importante, o que faz a diferença é encontrar formas sistemáticas, racionais
e confiáveis para resolvê-los.

Diante de uma situação temos quatro pontos a observar:

· Identificar o problema
· Decidir como resolvê-lo
· Aplicar a solução
· Verificar se a solução foi adequada

Neste ponto a iniciativa é justamente isso, a competência do indivíduo em
desenvolver por ação própria as soluções possíveis. Aqui se explica o
porquê de se fazer repetidamente uma atividade, pois irá nos capacitar a
descobrir uma variedade de recursos prováveis. Precisamos avançar
produtivamente além da primeira saída encontrada.

2. Pró-atividade

Hoje ouvimos demasiadamente o termo “pró-atividade”. Milhões de anúncios
de emprego exigem que o candidato seja pró-ativo. Exigências muitas vezes
apenas para seguir um modismo ou cumprir uma formalidade, sem a consciência
exata do que realmente se deseja.

A pró-atividade é fazer mais do que o solicitado e isto não está ligado à
carga horária ou quantidade de trabalho, mas ao comprometimento, à vontade de
aprender, à busca do conhecimento e autodesenvolvimento.

Fazer mais do que a obrigação nos torna hábeis e talentosos, principalmente
nos dias atuais de alta competitividade no mercado de trabalho.

Quando agimos assim, temos maiores e melhores oportunidades de adquirir
conhecimento, de crescermos profissionalmente e pessoalmente, permitindo-nos que
a recompensa recebida não seja somente aquela estampada no contra-cheque.
Mergulhe nas profundezas dos benefícios que a pró-atividade, qualidade implícita
da iniciativa, pode conferir a sua vida.

3. Ausência de procrastinação

Embora possa parecer óbvio demais que o adiamento das decisões, o “deixar
para depois”, sejam comportamentos contrários à iniciativa; precisamos
pensar nas conseqüências que a procrastinação gera, e a interdependência
que existe com os dois pontos anteriores.

Mesmo tomando decisões racionais, sistemáticas e corretas, estas não podem
ser tardias, sob pena de desperdiçarmos o tempo, aumentar os custos, etc.

Aprenda a tomar decisões e solucionar os problemas assim que estes se
apresentam. Faça o que precisa ser feito, aja rápido, não deixe para depois,
porque o bilhete da entrada de hoje não servirá para o espetáculo de amanhã.

O sucesso vem através de uma série de características individuais, que podem
e devem ser aprendidas e expandidas para os demais. Como exemplo, o sucesso vem
da nossa capacidade para assumir riscos, da comunicação clara e eficaz, do
nosso relacionamento interpessoal, enfim, vem da nossa iniciativa de querer
fazer melhor.

Vem, também, dos nossos projetos empreendidos, da nossa ousadia, seja
profissional ou pessoal. Para uma análise perfeita do seu grau de iniciativa,
analise os projetos começados e efetivamente terminados. Muitas vezes
reclamamos da falta de oportunidade e de que o sucesso não bate à nossa porta,
mas em determinadas ocasiões não contribuímos em nada para que ele se
desenvolva em nosso caminho. Plante a semente da iniciativa na sua vida e veja
em que raiz forte ela se tornará.

Madalena Carvalho
Consultora Organizacional, com 17 anos de experiência profissional, atuando em
projetos de desenvolvimento organizacional e gestão de pessoas.

5 2 votes
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments