Artigos

Recrutamento inteligente: desumanização no processo ou uma ferramenta aliada?

recrutamento inteligente

Por Emanuella Velez, Psicóloga, Top Voice Linkedin e fundadora da página Virei RH no Instagram

O mercado de trabalho mudou muito com os avanços da internet e a chamada revolução da indústria 4.0. Essa mudança é notória e tem impactado em vários processos organizacionais, inclusive na área de gestão de pessoas. E por isso, é crucial promover um recrutamento inteligente.

Nova call to action

Você sabia que o seu currículo pode estar sendo avaliado por robôs? Sim, a inteligência artificial também está a serviço do recrutamento e seleção. Os processos que antes eram feitos de forma manual, hoje já podem ser desenvolvidos de forma automatizada, com agilidade e gerando resultados através do recrutamento inteligente.

Então, se você já teve o seu currículo avaliado através de softwares de inteligência artificial, provavelmente já se questionou se o processo está sendo executado corretamente e, se seres humanos estão perdendo espaço para as máquinas.

De todo modo, é preciso entender que com tanta tecnologia disponível e processos de inovações, o profissional que não se adaptar estará literalmente fora do mercado de trabalho. A tecnologia no processo de recrutamento e seleção precisa ser vista como uma aliada, ou seja, ela contribui para que o processo aconteça de forma estratégica e com maior assertividade.

A inteligência artificial nada mais é que uma ferramenta que facilita a tomada de decisão através da análise de dados, e dentre os seus benefícios podemos destacar a velocidade na execução dos processos que antes eram operacionais e demandavam bastante tempo para serem desenvolvidos pelos profissionais da área de RH.

Com a implantação de softwares, o trabalho é reduzido quase que pela metade e contribui para que ações mais estratégicas sejam aplicadas, além de poupar recursos financeiros da organização com custos desnecessários.

Quando um profissional se candidata a uma vaga através de uma plataforma de R&S, ele está competindo com profissionais em pé de igualdade e com métricas bem definidas, e mais, esse processo minimiza a tomada de decisão por parte do recrutador através de achismo ou feeling, e ainda evita certos tipos de preconceitos, visto que o que está em jogo são as competências do candidato e, o objetivo é encontrar o melhor profissional para a vaga.

Sabe-se que o processo seletivo é a porta de entrada de todo e qualquer profissional dentro de uma organização e, se este não for conduzido com critérios e com foco nos resultados, a empresa pode ter grandes prejuízos, assim como o candidato.

Com a IA – Inteligência artificial, já é possível padronizar as etapas, criar métricas, avaliar perfil comportamental de forma assertiva, mensurar a experiência do candidato, garantir que o processo seja executado corretamente do início ao fim, e tudo isso em tempo real.

Por isso a terminologia utilizada para esse formato de avaliação através da ATS – Application Tracking System, ou em tradução livre para o português, “Sistema de Rastreamento de Candidatos” é tido como inteligente, pois a ferramenta é responsável por armazenar, ler, avaliar e ranquear os currículos dos candidatos.

Por isso, é hora de fazer diferente e não negar o que é óbvio: a tecnologia há tempos já faz parte do nosso cotidiano. E sim, se preparar para ser assertivo nas candidaturas e obter um índice de aproveitamento diante das aplicações as vagas. Pensando nisso, separei algumas dicas que vão te ajudar a ver a tecnologia como uma parceira na busca pela sonhada vaga de emprego.

1. Capriche nas palavras-chaves

Essa é uma das formas como o seu currículo é ranqueado. Quanto mais próximo ele estiver a nível de aderência das atividades, maiores são as suas chances de ser recrutado.

2. Não minta nas informações de competências

Você será avaliado através de algum teste ou dinâmica, além de que, a depender da plataforma o teste pode ser nivelado de acordo com a informação passada quanto a senioridade. A verdade é sempre a melhor escolha.

3. Autoconhecimento é o caminho

Muitas plataformas de recrutamento e seleção, possuem testes de perfil para identificar traços comportamentais e avaliar o match com a cultura organizacional. Se você não se conhece, responderá as perguntas de forma aleatória e sem fundamentos, impactando assim nos resultados.

4. Se candidate a vagas que tenham similaridade ao seu perfil

Se candidatar a toda e qualquer vaga é atirar no escuro. Até para buscar emprego é preciso ter estratégia, busque se aplicar a candidaturas onde você tenha pelo menos 70% de aderência, as suas chances aumentam e a margem de erro diminui.

5. Os jogos e dinâmicas online são importantes

Alguns profissionais ignoram essas etapas e não dão a devida relevância que o processo pede, acreditando que possuir as hards skills já é o suficiente, no entanto as softs skills estão em alta e, são bem mais valorizadas no mercado, já que o técnico é possível de ensinar, o comportamento é mais difícil de ser modelado.

Agora que você já sabe como funciona o processo de recrutamento inteligente através de ferramentas e softwares que utilizam a Inteligência Artificial, que tal se preparar e utilizar ela a seu favor? Faça uma demonstração gratuita e comece agora a revolucionar seu RH! 

calendário de RH

 

5 1 vote
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

News do RH Portal

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de todas as Novidades e Tendências do Universo do RH