Artigos

Recursos Humanos

Na administração organizacional o RH é construído por colaboradores que são responsáveis pela admissão, acompanhamento e demissão dos funcionários que ali estão ingressados. É estes profissionais que são responsáveis pela seleção de candidatos da empresa. O setor de recursos humanos escolhe os candidatos que possuam o perfil mais adequado para um determinado cargo na empresa, realizando os métodos seletivos, para estágios, programas e demais cargos. Podemos observar que a atuação do RH é bem ampla, atuando em vários setores da organização, sendo ela a via de entrada, o responsável pelo bem-estar dos recursos humanos durante sua estadia.

O RH deixou de ser visto como um simples recurso com uma determinada competência para realizar tarefas e para alcançar objetivos da empresa passa também a ser como pessoas na verdadeira acepção das palavras, valores, crenças, atitudes e objetivos individuais. O resultado do comportamento positivo das pessoas é a melhor ferramenta para alcançar a excelência qualitativa é a mente humana.

O gestor de recursos humanos de hoje integra e equipa que compartilha experiências e conhecimentos, visando encontrar soluções para uma vasta variedade de problemas. Gerir pessoas deve ser mais que controlar procedimento de rotinas, implica em envolvimento de todos os membros da entidade, um investimento na criatividade e inovação com fatores de diferenciação.

No mundo globalizado de hoje, as empresas precisam se comprometer acima de tudo com seu negocio. A implantação de uma administração organizacional empenhada com qualidade só será possível por intermédio de uma gestão eficaz do RH, através de competências, assumindo o comprometimento com o desenvolvimento das pessoas na empresa com uma visão ampla Do negócio, visão que agrega a importância da empresa. Deste modo, gerenciar pessoas nas empresas requer cuidados como: planejamento, organização, coordenação e controle de técnicas capazes de favorecer o progresso elevado de desempenho submetendo os recursos administrativos, humanos, materiais e financeiros.

O curso de administração de recursos humanos tem como o objetivo de preparar profissionais para atuar na área de RH, que tenham um potencial para exercer funções de recursos humanos, uma formação com o foco direcionado ao desenvolvimento, competência e que tenham capacidade de gerar resultados eficazes para a organização em que atua.
Objetivo
Apresentar o gestor de recursos humanos como uma ferramenta de grande importância para a empresa, apresentando também qual é realmente a contribuição desse profissional e suas diversas situações.

A partir de 1930, as empresas tiveram que se organizar para cumprir a legislação trabalhista, que estabeleceu os direitos e as organizações dos trabalhadores e empregadores. A partir daí foi criado o ministério do trabalho, os sindicatos foram regularizados, organizaram-se os institutos de previdência social, dando origem às leis que mais tarde seriam reunidas na consolidação das leis do trabalho mais conhecida como CLT. Passou a existir na empresa então, a seção pessoal, dirigida pelo chefe pessoal, que conhecia com detalhes as leis do trabalho. Suas atividades se resumiam em cuidar dos papéis ou então de pessoas, não havia preocupação com o crescimento, a integração e o bem-estar dos funcionários.

Mas tarde, acompanhando o desenvolvimento da economia e dos estudos sobre as relações humanas no trabalho, o chefe foi promovido a administrador de pessoal ou de recursos humanos. Surgiu então o profissional com a formação especializada. No mercado atual as organizações para serem competitivas terão que produzir mais, gerar novas receitas e definir gastos. A tendência era então de reduzir os quadros de pessoal e exigir mais produtividades daqueles que permanecerem empregados. Mas enfrentando momentos de maiores ou menores conflitos nas relações entre o empregado e empregador. O desafio da administração dos recursos humanos era manter a mão-de-obra da empresa integrada, motivadas e em constante produção.

Poderemos citar com mais detalhes quando foram os períodos da gestão de recursos humanos no Brasil:

1930 PRÉ-JURÍDICO TRABALHISTA: depressão econômica, ausência de legislação, tarefas simples e instrumental primário;

1930/1950; BUROCRÁTICO: criação de legislação trabalhista, rotinas de pessoal, apontamentos, franquesias, pagamentos salários;

1950/1960; TECNISISTA: desenvolvimento industrial, têxtil, siderúrgico, químico, primeiros passos para a doação de rotinas de RH (R&H. treinamento);

1960/1980; SISTEMISTA: primeiros cargos de gerencia em RH, ênfase no programa de treinamentos apoiada pelo governo, PAT, SESMT, primeiras praticas de gestão participativas-CCOs?, tímidos programas de avaliação de desempenho;

1980/1990; RELAÇÕES INDUSTRIAIS INTEGRADAS: pressões sindicais, formação de liderança, modelos de gestão DOWSIZING REENGENHARIA;

1990 REFORMAS ESTRUTURAIS PROFUNDAS: valorização dos talentos humanos, alta velocidade, produtividade, aprendizado contínuo, gestão da informação, conhecimento, excelência empresarial, fusões das organizações.

CHIAVENATO (2003) conceitua o RH como uma área interdisciplinar com a capacidade de envolver inúmeros de conceitos oriundos de várias áreas. Por tratar diretamente com o ser humano, ou seja, indivíduos com personalidades diferentes ou que requer de qualquer especialista na área de recursos humanos uma boa experiência e um bom volume de conhecimento em diferentes áreas.

SILVA (2002, p, 224), afirma que, o principal interesse gerencial é motivar os funcionários á alcançar os objetivos organizacionais de um modo eficiente e eficaz. WORD (1995) alega que desde o fim da década de 70, a conjuntura do mercado e suas explicações para a organização do trabalho fizeram aparecer outras funções de recursos humanos, relacionadas aos setores operacionais voltados diretamente para a gestão dos processos de mudanças e para a melhoria dos níveis de desempenho e produtividade. Na mesma linha, STOREY (1992) observa a evolução da teoria da RH, designa a nova abordagem como gerencia de recursos humanos (GRH) em oposição á tradicional gerencia de pessoal GP.

CHIAVENATO (1999), complementa dizendo que nos termos atuais as organizações sentem-se necessidades das pessoas como parceiros da entidade, o autor também coloca que os empregados contribuem com seus conhecimentos, capacidades e habilidades, proporcionando decisões e ações que dinamizam a organização.

Podemos destacar alguns aspectos importantes na gestão de recursos humanos baseado em ULRICH (1998) e CHIAVENATO (1999), que são: enfoque no produto a ser entregue pela área de recursos humanos, difusão das funções de RH, conhecimento do negócio, visão de pessoas como seres humanos, pessoas com atiradores inteligentes de recursos organizacionais e preços como parceiros da empresa.

ORLICKAS (1998) coloca que os recursos humanos devem fazer com relação ás pessoas o mesmo tempo que Marketing faz com relação ao produto, antecipar tendências e ser proativo.

CHIAVENATO diz que a eficácia das pessoas é pelos os resultados que alcançam. O que agrega o valor nas organizações não são a capacidade ou a intenção, mas sim o resultado. O especialista mantendo uma visão sistemática lembra que para alcançar as metas necessárias uma soma de fatores, compostas pela atuação do profissional aliadas a condições do ambiente em que ele esta inserido.

A área de recursos humanos deixou de ser um simples departamento de pessoal para tornar o personagem essencial de transformação dentro da empresa. A gestão de pessoas visa à valorização dos profissionais e do ser humano, diferentemente do setor de recursos humanos que visava à técnica e o mecanismo profissional. O trabalho humano em empresas tem merecido a concentração de muitos estudiosos que tentam compreender os fatores que influenciam os desempenhos das pessoas no ambiente de trabalho. Os recursos humanos mais preparados são aqueles que têm uma posição de maior comprometimento com a organização, e possuem tanto uma competência como uma agilidade intelectual, o que reflete uma formação e uma capacidade de trabalho mais eficiente e uma capacidade de adaptação e inovação maior que os outros recursos humanos com uma formação inferior. Vivemos em uma nova era em que a tecnologia está se manifestando cada vez mais acessível apesar de ainda representar condição mínima para atuar no mercado.

Acima poderão através dos conceitos e pensamentos de autores e especialistas e mestres analisar como é a atuação do profissional de recursos humanos nas organizações, como lidar com pessoas, porque elas são organismos e para o sucesso de qualquer empresa investir na motivação desses é fundamental. Visando constantes competições propostos pelo mundo moderno, manifesta-se nas empresas proativas mais bem sucedidas uma nova definição de gestão de recursos humanos, a consultoria interna.

A globalização da economia e a crescente competitividade do mercado vêm proporcionando uma verdadeira evolução na área do RH. O grande desafio do RH é conseguir vantagens competitivas por meios de pessoas, administrando com pessoas e buscando seu comprometimento.

Enfim, não adianta fingir que nada estar acontecendo, as empresas é feita de pessoas, são elas que geram as mudanças necessárias estabelecendo os limites e potencialidades da organização, tomam decisões que orienta a entidade para o futuro. Lidar com pessoas representa o maior desafio para os gestores.

As empresas precisam se adequar as novas mudanças que o mercado exige, buscando não só novas tecnologias e produtos, mas também investir no seu capital humano, porque são as pessoas que possuem um papel de grande importância e contribuem para o alcance dos seus objetivos o crescimento contínuo do negócio, pessoas capacitadas e motivadas dão o melhor de si e produzem mais. E para que isso ocorra de maneira eficiente e eficaz o administrador de recursos humanos deve mudar sua filosofia de atuação, é o seu papel recrutar talentos, entrevistas, demitir e admitir, calcular salários, mas sua gestão vai, além disso, visa também cuidar do bem-estar do funcionário, cuidar para que eles tenham um local de trabalho adequado, visando sempre a sua segurança, higiene entre outros benefícios.

Ressaltando que, para as empresas é mais lucrativo cuidar e investir na capacitação do seu profissional antigo que já possui experiência do que contratar um novo, se a mesma demitir aquele que já possui uma vasta experiência terá que arcar com todos os direitos trabalhistas gerando um custo bem maior para a empresa, tendo também queda em sua produção, logo porque o novo funcionário mesmo capacitado ás inovações da organização terá um rendimento em certo tempo menor do que aquele colaborador que já possuía mais tempo de casa e que já conhecia todo o funcionamento, processo e a filosofia da organização, vale apena ver por esse lado também antes de recrutar um novo funcionário para o cargo.

O Gestor de recursos humanos deve está atendo além desses detalhes dentre outros que podem ser meios eficazes para que a organização alcance os seus objetivos a curto á prazo. Se o profissional de Recursos humanos não se livrar dos paradigmas que foram impostos e na qual ele se acomodou ao longo dos anos e não adotar de vez a importância da responsabilidade que é devida poderá no máximo continuar cuidando dos seus colaboradores, mas o seu principal objetivo que é de cuidar do desenvolvimento da empresa será abandonado.

RECURSOS HUMANOS

As pessoas possuem um papel de grande importância para as organizações, elas contribuem para o alcance dos seus objetivos o crescimento contínuo, pessoas capacitadas e motivadas dão o melhor de si e produzem mais.

CHIAVENATO, Id Alberto. Administração de Recurso Humano: Fundamentos Básicos cinco ed. São Paulo; Atlas, 2003.

SILVA, Reinaldo Oliveiras Da. Teoria da Administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

SENAC. DN. Recursos Humanos, Administração e qualidade/ Neise Reitas da Silva; Claudio Ulysses Ferreira Coelho; Renato Barraca. Rio de Janeiro; Ed. SENAC Nacional. 1999. 72p. Inclui biografia.

HUBERMAN, Leo. A historia da Riqueza do Homem. 16. Ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2001.

HUNT e SHERMAN, E.K e Howard J. A historia do Pensamento Econômico. Petrópolis. Editoras Vozes, 1995.

CHIAVENATO, Idalberto. ? Introdução á Teoria Geral da Administração, Rio de Janeiro, Ed. Campus, seis edição.

HOBSBAWN, Eric, J. ? A Era das Revoluções. São Paulo, Ed. Paz e Terra.•.
FRIEDMAN, Brian. ET al. Como Atrair, Gerenciar e Reter o Capital Humano da Promessa a Realidade. 2. Ed. São Paulo: Futura, 2000.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: O Novo Papel dos Recursos nas Organizações. Rio de Janeiro: Editor Campus, 1999.

FLEURY, A e FLEURY, M, T. Estratégias Empresariais e Formação de Competências: Um Quebra Cabeça Cleidoscópio da Indústria Brasileira. São Paulo; Atlas, 200.

WOOD, Jr. T (Org.) Mudança Organizacional: Aprofundando Temas Atuais em Administração de Empresas. São Paulo: Atlas/Coopers &Lvbrand. 1995 p.221-242.

FRANÇA, Ana Cristina. PRATICAS de RH- 2007-Atlashttp://www.silvestreconsultoria.com.br/

http://humanresourcemanagement07.blogspot.com/2007/10/importncia-
da-gesto-de-rh-no-sucesso-do.html

http://www.coladaweb.com/como-fazer/bibliografia

http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/a importancia-dos-recursos-humanos-nas organizacoes/21626/

Adm. André Cardoso dos Santos
Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná – UNOPAR.

Administrador registrado no CRA/MG n° 01-054272/D
Contatos:
adm.andrecardososantos@hotmail.com
andrecardososantos@ig.com.br
twitter> @andrecardosoADM
http://br.linkedin.com/pub/adm-andr%C3%A9-cardoso-dos-santos/52/a66/77a

Por: Adm. André Cardoso Santos

Bacharel em Administração de Empresas (Administrador) pela Universidade Norte do Paraná-UNOPAR. Cursando Bacharelado em Ciências Contábeis no Centro Universitário Internacional UNINTER. É também colunista do RHPortal, o maior portal de recursos humanos do país. Profissional registrado no CRA-MG n° 01-054272/D Google+: https://plus.google.com/117430463439726522115/posts

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of