Artigos

Redes Sociais e o Processo de “Recrutamento & Seleção”

Olá amigos,
Muito se ouviu na semana que passou sobre o uso das redes sociais como ferramentas que auxiliam no Recrutando & Seleção. Eu pelo menos vi uma matéria no Jornal Hoje, ouvi uma reportagem na CBN e li em um artigo que acessei após receber um Tweet da Revista HSM online da qual sou seguidora.
Algumas pessoas defendem a utilização das redes sociais como uma maneira de conhecer melhor o candidato, outras acreditam que os gostos pessoais não definem como será sua atuação profissional . E para não ficar em cima do muro posso dizer que as Redes Sociais são utilizadas para muitos fins empresariais: Marketing, divulgação de produtos, difusão do conhecimento, até para desenvolvimento de projetos, dentre outras aplicações. Então, acredito ser de grande valia sua contribuição para os processos de Recrutamento & Seleção.
Abaixo reproduzo o artigo para reflexão.
Caçadores digitais de talentos
Márcia Vazquez, da CATHO Online, conta como as empresas e departamentos de Recursos Humanos podem tirar proveito dessas ferramentas É perceptível a todos que o “mundo tecnológico” nos aproxima, cada vez mais, uns dos outros. Atentos aos avanços tecnicistas em todas as áreas, nós, profissionais de Recursos Humanos, que atuamos com e para as pessoas, somos impelidos a buscar formas de estreitar essa relação em todas as esferas de nossa atividade profissional.
Quando atentamos para o ciclo do capital humano nas empresas e olhamos para o início desse processo, que é o recrutamento de profissionais, estamos descobrindo novos e interessantes instrumentos de informação e atração de candidatos por meio das redes sociais virtuais.
Considerando que essas redes se fazem a partir das pessoas e por elas são disseminadas, temos aí uma vasta fonte de divulgação de interesses, preferências, experiências, contatos, crenças, valores etc. Além disso, as pessoas expõem publicamente nas redes e criam network, o que também demonstra algo do que são, como pensam, como agem, do que gostam e o que querem.
Os recrutadores, até bem pouco tempo atrás, tinham apenas o currículo de um profissional para analisar e talvez a referência de alguém que indicava esse profissional no início de um processo seletivo. Hoje, as redes sociais abriram a possibilidade de avaliar, antes de uma entrevista, aspectos mais pessoais do candidato, objetivos de vida e carreira, rede de contatos estabelecida, aspirações, entre outros relevantes aspectos.
Além disso, essas redes têm possibilitado chegar mais facilmente a um contato e identificar possíveis candidatos que talvez, não responderiam a um anúncio de emprego tradicional. Com isso, o processo de busca de profissionais acaba por tornar-se mais rápido, e as etapas seguintes de um processo seletivo são cumpridas em um menor espaço de tempo e com um custo muito baixo.
É importante notar que as redes sociais apresentam-se como um recurso a mais a compor o processo de recrutamento, que não deverá dispensar um aprofundamento do contato inicial, quando o recrutador, em reuniões pessoais com o candidato, poderá checar as informações inicialmente levantadas e perceber se, efetivamente, trata-se de um perfil relevante.
Outro aspecto importante no recrutamento pelas Redes Sociais é que a própria empresa ao utilizá-las para divulgar suas oportunidades de trabalho, poderá apresentar suas políticas e processos, cultura, objetivos organizacionais, interesses e desafios, atraindo candidatos e afastando aqueles que não se identificam com a companhia.
Essa visibilidade da empresa contribui, sem dúvida, de maneira muito significativa para a mais rápida integração do candidato escolhido, promove um impacto positivo na equipe da qual ele fará parte e possibilita um desenvolvimento mais vigoroso da carreira do colaborador.
Utilizar as redes sociais tem significado, para as empresas, uma alternativa para encontrar profissionais mais qualificados para as suas vagas, preencher vagas “difíceis”, obter referências sobre o candidato, avaliar o “valor” desse profissional no mercado, além de possibilitar analisar um maior número de candidatos e escolher o melhor.
Vale lembrar aqui, ao final destas considerações, os cuidados que profissionais e empresas devem tomar no recrutamento junto às redes sociais.
• Do lado dos profissionais, é necessário usar o bom senso e construir uma rede virtual de contatos positiva, afastando-se das declarações e relações polêmicas, radicais ou tendenciosas.
• Expor a vida privada, nossos comportamentos e posições exigem maturidade e boa dose de análise crítica, pois nem tudo nos convém ou é permitido.
• Do lado das empresas, é necessário lembrar que a sua exposição e das suas “movimentações organizacionais” é sinal de transparência não só com os candidatos, mas também com os já colaboradores, clientes, parceiros, fornecedores, concorrentes e mercado em geral. Desta forma, a imagem da companhia, seu bem precioso, deve ser cuidada com esmero, contribuindo para fortalecê-la, sempre.
Márcia Vazquez (Consultora sênior de carreira da CATHO Consultoria em RH e certificada como Coach pela International Coaching Community (ICC) )
Fonte: HSM Online / 23/07/2010

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of