Artigos

Relações duradouras

Vivemos novos tempos, um novo tempo de valorização, das pessoas, do trabalho, do meio ambiente, do respeito e da ética.

No ambiente empresarial essa realidade pode ser diagnóstica através de conceitos como fidelização de clientes. Lealdade comercial. Políticas de qualidade.

Estamos aprendendo a apreciar o bem que as relações duradouras nos proporcionam.

Antes, no início e no desenvolvimento da era industrial, os seres humanos não passavam de recursos.

Toda lógica produtiva era pensada com ênfase no desenvolvimento de bens e produtos através das máquinas e das pessoas.

O ser humano visto como um mal necessário, um apêndice da máquina. Não importava o quanto ele poderia contribuir com a produtividade da empresa, a lógica social do trabalho era perversa e tal que o indivíduo de “chão-de-fábrica” não poderia ter sequer uma boa idéia.

A separação entre os planejadores, executores e controladores era exata.

A relação dessa empresa com o mercado consumidor era de produção e consumo.

Com a seguinte lógica, o consumidor compra aquilo que a empresa produz, esteja satisfeito ou não, com a qualidade dos produtos.

Vivia-se um mercado de baixa concorrência. Alta demanda e oferta controlada.

A configuração perfeita para o tipo de postura adotada pelas empresas do passado.

Agora, vivemos o que se denomina “Era Pós-Industrial”, as pessoas são consideradas em sua complexidade.

Ao contrário do passado, toda a lógica produtiva passou a ser analisada do ponto de vista do bem estar do indivíduo no trabalho.

As empresas são dirigidas por pessoas em uma nova lógica social, ou seja, enfatiza-se a importância da participação de todos os indivíduos na gestão das empresas.

Vivenciamos o rompimento com a rigidez e a impessoalidade dos planejamentos, execuções e controles empresariais, sob o enfoque da qualidade.

A relação de consumo se inverteu, nunca antes o consumidor teve tanto poder de influenciar as atividades de produção de uma empresa.

As empresas buscam formas de entender e produzir aquilo que é de agrado dos clientes.

O ambiente é de alta concorrência e complexidade. Não há espaço para aventureiros ou amadores. O profissionalismo é imperioso.

A principal preocupação das empresas é ter um excelente atendimento ao cliente. Ou algo que lhes forneça uma vantagem competitiva.

E que lhes faça ser notável aos olhos dos clientes. E os estimulem a voltarem sempre.

Vivemos novos tempos, o das relações duradouras.

As empresas e os profissionais que não se adaptarem terão muitas dificuldades de se manterem no mercado.

Comentem esse texto, pois estou convencido de que sua importância para nós administradores é fundamental.

Comentem, sua participação é muito importante.

Visitem o blog: admtiagolira.blogspot.com

Contatos e-mail: admtiagolira@gmail.com

Twitter: http://twitter.com/admtiagolira

Por: Tiago

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of