Artigos

Remuneração: como retêm os talentos?

As organizações vêm investindo cada vez mais em uma política de remuneração flexível e atrativa para motivarem e reterem seus colaboradores. Ela é compreendida como um conjunto de retribuições recebidas pelo empregado pela prestação de serviços constituída pela soma do salário base, incentivos salariais e benefícios.

A remuneração é fundamental no aspecto da motivação para os colaboradores, sendo que eles devem perceber que a empresa remunera de acordo com os resultados e responsabilidades que desempenham dentro da organização.

Com o objetivo de entender melhor a visão dos trabalhadores à respeito deste tema, os alunos do curso de Gestão de Recursos Humanos das Faculdades SPEI (Sociedade Paranaense de Ensino e Informática), da unidade Torres, aplicaram um questionário em 750 trabalhadores de Curitiba e região metropolitana. Dentre eles, 53% eram homens, idade predominante dos entrevistados entre 16-28 anos (54%) e, com mesmo percentual, havia solteiros e casados (43% para cada).

Foi perguntado aos entrevistados, qual dentre os fatores: salário básico, benefícios ou incentivos salariais, era mais determinante para sua permanência na empresa. Dos respondentes, 32% citaram salário fixo/básico, 27% incentivos salariais, 26 % benefícios e 15% nenhuma das alternativas.

Através desta pesquisa, constatou-se que dos 32% dos respondentes atribuíram salário fixo/básico como primeiro fator essencial, 59% são homens e 41% mulheres.

Ao questionar sobre o que a remuneração representa para os respondentes, os resultados obtidos foram por ordem de frequência: estabilidade financeira e qualidade de vida (21% cada), independência financeira (17%), motivação (16%), felicidade pessoal (11%), desenvolvimento pessoal (6%), desenvolvimento de carreira (5%) e felicidade profissional (3%).

Dentre as pessoas, que primeiro atribuíram importância para a qualidade de vida, o maior percentual é de homens (25%). Já para as mulheres, a estabilidade financeira representa 24% e para os entrevistados do sexo masculino 19%.

Comparando os resultados obtidos no quesito independência financeira, pode-se notar uma interessante diferença por gênero, destacado por 21% das mulheres e 14% dos homens. A inserção mais tardia delas, no mercado de trabalho, por volta da década de 1970, no Brasil, juntamente com sua condição de dependência financeira até então, talvez ajude a explicar este dado. Atualmente, as mulheres procuram cada vez mais um grande destaque no mercado de trabalho, buscando crescimento, reconhecimento e valorização.

De acordo com as pesquisas, observou-se que as pessoas, de modo geral, consideram mais importantes na remuneração o salário fixo/básico e se importam mais com sua estabilidade financeira e qualidade de vida.

Um dos aspectos mais importantes a ser trabalhado nas empresas é a forma de remunerar seus colaboradores, pois é um fator básico para a motivação do trabalhador. Além disso, diante do mercado de trabalho aquecido, captar e reter mão de obra estão entre os principais desafios das organizações. A oferta de uma remuneração satisfatória torna-se, sem dúvida, uma vantagem competitiva para as empresas, especialmente, quando a intenção é reter talentos.

A remuneração estratégica é uma combinação de diferentes formas de pagamentos e vem sendo usada como uma vantagem competitiva nas organizações. Uma alternativa é oferecer aos funcionários PPR (Programa de Participação dos Resultados), bônus e/ou prêmios.

Atualmente, quando uma grande organização fala em remunerar seus colaboradores, não pode pensar em pagar somente salário para um determinado cargo. Ela deve considerar que a remuneração precisa relacionar-se às necessidades, prioridades, objetivos e valores da empresa e de seus colaboradores. Desta forma, a organização cria um diferencial no setor de Recursos Humanos, sendo esta uma forma de atrair e reter colaboradores e profissionais com qualificação.

As mudanças e transformações que vem ocorrendo nas organizações estão exigindo delas uma maior consciência à respeito da motivação em relação aos benefícios e remuneração de seus colaboradores.

Os programas de remuneração tendem ter maior impacto na motivação quando todos os colaboradores se sentem parte da equipe, quando conseguem ver o impacto do que fazem no todo da empresa e, assim, entendem o valor de sua contribuição individual e para a equipe.

Autores: Aline Ferreira, Amarildo Xavier, Fabiane Silva, Gisela Santos, Juliana Azambuja e Graciela Sanjutá Soares Faria

Por: Amarildo

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of