Artigos

RH tradicional vs. RH 4.0

RH tradicional vs. RH 4.0

Estamos habituados a achar que o RH tradicional tem como objetivo fazer sempre as mesmas tarefas, recrutar, selecionar, treinar, admitir, demitir, cuidar de encargos de folha, e ao nos depararmos com as novas habilidades desenvolvidas por esse setor, temos a impressão de que o RH está mudando de foco. Mas o que realmente está acontecendo é que o RH tradicional não acabou, ele precisa evoluir. Em especial, nas pequenas e médias empresas, um departamento que inicialmente foi criado para realizar pagamentos e cuidar de encargos de folha foi se expandindo ao longo do tempo e mostrando-se não só eficaz como também necessário para o desenvolvimento de outras áreas da empresa.

A antiga visão das organizações era de que não havia necessidade de uma área responsável por atrair e desenvolver pessoas. Afinal, essa atividade já era desempenhada pelos donos, sócios, ou pessoas de confiança de suas empresas. Geralmente acabavam contratando pessoas de sua rede de relacionamentos ou indicada por algum empregado ou conhecido. Muitas delas realmente se adaptavam e faziam com competência o trabalho que lhes era designado. Por outro lado, boa parte desses colaboradores, além de não se adaptarem ao cargo ou à empresa, não conseguiam se desenvolver profissionalmente e muito menos contribuir com o crescimento da empresa. Portanto, foi perceptível que era extremamente necessário um departamento que soubesse atrair a pessoa certa para a vaga certa, não por simpatia e sim por competência; e que cuidasse da manutenção e crescimento com resultados desse verdadeiro ativo da empresa.

Nova call to action

Um setor que se iniciou restrito às funções de DP provou ser capaz disso e mostrou que além de fazer os encargos de folha, como férias, decimo terceiro, contratações demissões, rescisões, passou também a recrutar e selecionar novos talentos para a empresa, avaliar o desempenho dos novos colaboradores, participar do planejamento estratégico da empresa, tomar ações para a melhoria do clima, promover justiça e equidade na gestão das carreiras e oportunidades e contribuir para o alcance dos resultados do negócio. Sendo assim, sua missão, precisava ser alterada.

Com tudo isso, percebemos que não é a primeira vez que um departamento altera a sua missão ou sua visão. Hoje é bastante comum se ler artigos que falam que o RH tradicional está fadado a desaparecer, que já deu sua contribuição, que a visão agora é o foco no desenvolvimento estratégico e organizacional (um novo RH). Assim o “novo RH” assumirá este lugar no mercado. O que acaba sendo percebido é que essa realidade não existe. Pelo menos para as pequenas e medias empresas. Desde os seus primórdios, o foco do RH/DP sempre foi as pessoas e não está deixando de ser, está apenas ampliando mais ainda sua forma de alcançar seus objetivos.

O RH está em constante desenvolvimento e se para isso tiver a necessidade de mais uma vez mudar a sua visão, que seja, DP, RH, DHO, são apenas nomenclaturas dadas a um departamento que busca constantemente o desenvolvimento de suas atividades, mantendo o foco de sua missão (trabalhar com pessoas) e adaptando a sua visão a cada degrau alcançado nessa escala de sucesso. Para cada conquista feita pelas equipes de RH’s haverá também a possibilidade do surgimento de novas ideias, novas tarefas, novas missões, e visões. Afinal, as pessoas mudam constantemente e para acompanhá-las o RH também precisará acompanhar tais mudanças.

trial-profiler