Artigos

Romero Britto


“A mente humana é como guarda-chuva:
funciona melhor aberta”.
ROCCO VALENTIM

Dentre os cases de marketing de sucesso dos últimos anos, o da vodca sueca
ABSOLUT merece um lugar de especial destaque. Poucas vezes, nos quase 50 anos do
marketing moderno, e que se inicia em 1954 com o livro “The Practice of
Management” do “papa” PETER DRUCKER, um produto conseguiu contrariar e
superar todas as aparentes desvantagens – lembrem-se, vodca sueca num mundo
onde só se valorizava a vodca russa, garrafa redonda e “desengonçada” onde
vodca que se prezasse era envasada nas convencionais e clássicas -, tendo como
DL – Diferencial de Liderança – sua histórica e antológica campanha de
comunicação: 10, irrepreensível, irretocável, exemplar, referência obrigatória
e prova incontestável que a comunicação de qualidade também pode ser o fator
decisivo, a alavanca essencial de produtos, empresas, marcas.

No contexto da campanha, um executivo da ABSOLUT, em férias em MIAMI (USA), em
1989, tropeça nos trabalhos de um jovem e talentoso artista gráfico brasileiro
– ROMERO BRITTO, que sobrevivia com os minguados US$1 mil que conseguia todos
os meses pela venda de seus trabalhos, mais os bicos que fazia como jardineiro e
lavador de automóveis.

Encantado com o elemento POP de seu grafismo – traços modernos tendo como
virtude maior sua “absoluta” acessibilidade – convida ROMERO para se
integrar à campanha publicitária, já então vitoriosa nos EUA e reconhecida
em toda a comunidade do marketing mundial. Meses depois, anúncios com a
linguagem gráfica e os traços de ROMERO estavam presentes em mais de 60
revistas. Nos meses seguintes, e dentre centenas de pessoas que procuravam
adquirir seus trabalhos, na grande maioria americanos, além de importantes
galerias e colecionadores, algumas celebridades: Bill Clinton, Michael Jordan,
Arnold Schwarzenegger…

Desde então, e não obstante as críticas contundentes que têm recebido da
comunidade artística brasileira, ROMERO BRITTO já ostenta, de longe, o título
de artista plástico brasileiro mais bem sucedido no exterior, nos 504 anos de
nossa história. À semelhança de ANDY WARHOL, sua arte, hoje, está presente
em milhares de produtos em todo o mundo. Além das garrafas decoradas da ABSOLUT,
destacam-se sua releitura do MICKEY – devidamente contratado pela DISNEY -,
uma coleção de latas para a PEPSI, rótulos para o vinho BEAUJOLAIS NOUVEAU,
um Mini Cooper da BMW. E no Brasil, que finalmente descobre o artista, trabalhos
de grande sucesso de público como os biquínis para a ROSA CHÁ, as camisetas
da HERING, as louças da VISTA ALEGRE, uma coleção de sandálias Melissa para
a GRENDENE, e, no último NATAL, decorando a mesa de milhares de casas da classe
média brasileira, as latas para o consagrado panetone da BAUDUCCO.

Independente de seus críticos impiedosos e incansáveis – talvez, invejosos
-, ROMERO BRITTO viu o cavalo oportunidade passar selado a sua porta e não
titubeou, saltou em cima. Estava no lugar certo, no momento certo, com o talento
de seus traços modernos e de acessibilidade plena, que agregam valor e fazem os
produtos serem disputados nas gôndolas do mundo.

Se o grafismo de ANDY WARHOL, e o grafite de KEITH HERING podem figurar, hoje,
nos melhores museus do mundo, por que não os traços geométricos, figurativos,
modernos, de cores quentes, de ROMERO BRITTO?

Francisco Alberto Madia de Souza
Diretor Presidente e Sócio do MADIAMUNDOMARKETING – espaço empresarial de
Marketing; Advogado e Administrador de Empresas, com cursos de especialização
em marketing no Brasil e nos Estados Unidos

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of