Artigos

Programa de saúde e qualidade de vida nas empresas: o cuidado com o colaborador em primeiro lugar

saúde e qualidade de vida

A saúde e qualidade de vida do colaborador ganham cada vez mais espaço nas discussões estratégicas dentro das organizações e a implantação de programas voltados ao bem-estar do funcionário são essenciais para que o funcionário se sinta respeitado e valorizado.

Mas como criar um plano estruturado e capaz de conciliar as demandas do dia a dia com as necessidades individuais da saúde, do corpo e da mente? Na AsQ, empresa nacional de gestão para o setor de saúde privada, o programa de Saúde e Qualidade de vida do Colaborador virou um case de sucesso.

Nova call to action

“Nós fomos motivamos a estruturar um programa específico com o olhar para o colaborador. Primeiramente porque estudamos muito sobre saúde e percebemos que uma pessoa saudável vive melhor e gera benefícios para a empresa. Todas as nossas ações, mesmo as de clima, tem a saúde como ponto de partida”, explica Cláudia Conserva, diretora de Gente e Gestão.

4 principais medidas do programa da AsQ

1. APS

Entre as principais medidas adotadas pela empresa está a implantação de uma clínica de Atenção Primária à Saúde (APS). Os colaboradores recebem todos os atendimentos primários por médicos e enfermeiros de saúde da família. De acordo com as queixas apresentadas, são realizados pequenos procedimentos na própria clínica. Quando há necessidade de outros atendimentos, seja com especialistas ou laboratórios, a própria clínica faz o encaminhamento.

“Dessa forma o colaborador é acompanhado de perto em todas as suas necessidades. Ele tem acesso a um cuidado integral”, ressalta Cláudia. “Todos os exames de rastreamento são monitorados de acordo com a idade e histórico de saúde do colaborador. Muitas vezes os colaboradores são convocados para consultas de rotina exatamente nos períodos em que ainda não apresentaram determinados exames. Com esse controle conseguimos manter a saúde do colaborador em dia, evitando problemas mais graves”, detalha.

2. Resultados

Na opinião da diretora, de todos os resultados alcançados com a implantação do programa, o mais visível é a tranquilidade da empresa em saber que os colaboradores estão sendo bem cuidados. “O melhor disso é que os nossos colaboradores também percebem e têm a mesma tranquilidade em saber que estão bem assistidos”, diz.

E os números comprovam tal efetividade. De todos os problemas que chegam na clínica de APS da AsQ, 88% são resolvidos no próprio espaço, sem a necessidade de os colaboradores terem que recorrer a um pronto atendimento hospitalar.

Todos os exames dos colaboradores são realizados dentro do prazo, seguindo o histórico e a idade do funcionário. Outro dado expressivo está relacionado ao exame de colo de útero das colaboradoras da empresa: 98% das mulheres estão com o exame em dia. E todos os hipertensos e diabéticos que trabalham na empresa são monitorados.

3. Ações complementares

Além de investir na assistência à saúde pelas clínicas de APS, a AsQ também oferece diversas ações que complementam o tratamento médico, como: ginástica laboral, yoga, rodas de conversa e programas de alimentação saudável. Segundo a diretora, é possível oferecer uma assistência próxima e personalizada, o que potencializa os resultados e benefícios.

“Na AsQ temos um leque de ações que oferecem cuidados para a saúde física, mental e emocional. Todas as iniciativas são estruturadas em conjunto com os nossos colaboradores. Para isso, fazemos pesquisa, entendemos qual a necessidade, qual o número de pessoas que poderia aderir a determinada atividade. Também temos uma ação de comunicação e sensibilização intensa para que as pessoas participem”, explica.

4. Etapas

Para implantar um programa de Saúde e Qualidade de vida do Colaborador, a diretora de Gente e Gestão da AsQ destaca quatro principais etapas:

1 – Diagnóstico e definição da estratégia (Contemplando a participação do colaborador e do líder, de acordo da gestão e a definição compartilhada da estratégia);
2 – Elaboração do programa (Contextualizar, definir os objetivos, as regras, a população que pode participar, as ações contempladas, o modelo de avaliação e a comunicação);
3 – Definir o plano de ação (Cronograma)
4 – Avaliação (Ter um marco, seguir o modelo de avaliação previamente definido, ter um processo de qualidade contínuo).

E aí, gostou das dicas e já está com tudo para se atentar para a saúde dos colaboradores? Aproveite para ler as lições sobre adaptabilidade e gestão de pessoas na era do home office!

0 0 votes
Article Rating

Newsletter

Receba notícias do RHPortal por email

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments