logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Gestão de Pessoas > Gestão de saúde no trabalho: dicas práticas para uma equipe mais saudável

Sumário

Gestão de saúde no trabalho: dicas práticas para uma equipe mais saudável

Entenda como promover um ambiente saudável pode transformar a sua equipe e os resultados da sua empresa!

Certamente, você já deve ter ouvido falar sobre gestão de saúde no trabalho. Afinal, o assunto está cada vez mais em alta, já que é extremamente importante.

Hoje, vamos falar sobre o tema e mostrar como colocar em prática cuidados que podem fazer a diferença para a equipe, incluindo ações para melhorar a saúde financeira dos colaboradores.

Continue a leitura e aproveite as dicas!

O que é gestão de saúde do trabalho?

Primeiramente, antes de começar precisamos explicar que a gestão de segurança e saúde no trabalho é um conjunto de ações estratégias que as empresas adotam para identificar e prevenir riscos ocupacionais dos seus colaboradores. Desse modo, promove um ambiente mais seguro, garantindo cuidados físicos e mentais para a equipe.

Tudo isso, inclui a criação de políticas de segurança, programas de prevenção, promoção de hábitos saudáveis e muito mais.

Qual o objetivo da gestão de saúde profissional?

profissional se exercitando no trabalho

Sem dúvida, o grande objetivo da gestão de saúde no trabalho é não apenas melhorar a qualidade de vida dos funcionários, mas também ampliar sua produtividade e desempenho.

Qual a importância da gestão de saúde do trabalho?

Infelizmente, a grande maioria das empresas ainda não sabe lidar com os sintomas relacionados aos quadros de saúde mental como os altos índices de burnout, estresse, ansiedade e até mesmo a solidão disfarçada de timidez.

Grande parte destes riscos estão relacionados às interações entre o tipo de trabalho, o ambiente organizacional e gerencial, as habilidades e competências dos colaboradores e o suporte disponível para realizarem seu trabalho. Os riscos também podem estar relacionados ao conteúdo do trabalho, como tarefas inadequadas para as competências da pessoa ou uma carga de trabalho alta.

Transtornos comportamentais e de saúde mental são hoje a terceira causa de afastamento de trabalhadores no Brasil, sendo que um em cada três funcionários sofre com questões envolvendo a saúde emocional, com um distúrbio diagnosticado ou mesmo estresse.

Ou seja, a gestão de saúde nas empresas é essencial para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo. Dessa forma, ao priorizar a saúde física e mental dos colaboradores, as organizações não apenas cumprem uma responsabilidade social, mas também colhem benefícios significativos em termos de desempenho e satisfação no trabalho.

O que a empresa deve fazer?

Sem dúvida, apoiar e construir programas que prezem pela saúde mental dos funcionários, traz grandes benefícios internos e consequente melhora da marca empregadora. Isso, de fato, diminui as chances dos funcionários ficarem insatisfeitos e procurarem novas oportunidades.

As organizações devem começar a incorporar a saúde mental e o bem-estar em suas prioridades. Segue alguns passos para te ajudar a pensar no assunto:

  • Entenda o assunto de saúde mental, o problema que se segue e reconheça que ele existe;
  • Conheça a cultura da empresa e identifique como os programas podem ser configurados para garantir que os funcionários respondam às iniciativas de saúde mental;
  • Ofereça treinamentos sobre saúde mental;
  • Ajude seus líderes a ajudarem sua equipe;
  • Incentive ativamente os funcionários a procurarem e receberem tratamento para qualquer doença mental e forneça suporte a eles;
  • Colete dados como absenteísmo, satisfação no trabalho e produtividade por meio de questionários e pesquisas com funcionários. A existência de dados concretos e mensuráveis ​​ajudará a organização a planejar e implementar estrategicamente uma abordagem de saúde mental baseada em necessidades.

Problemas de saúde mental podem ter grandes consequências, pois envolve dor crônica, ansiedade, insônia, danos aos relacionamentos pessoais, falta de apetite ou interesse no autocuidado. Mas, os custos do sofrimento em silêncio vão muito além do indivíduo, impactam sua empresa caso você não trabalhe a saúde mental dos seus colaboradores.

Quando você define uma atitude saudável em relação ao bem-estar mental da sua empresa, essa atitude passa para a gerência, supervisores e toda a organização.

Então, mostre neste momento que a empresa trata a saúde mental de todos os funcionários como um ativo vital, e que por isso deve ser tratado com respeito por todos.

Programa de saúde e qualidade de vida nas empresas

A saúde e qualidade de vida do colaborador ganham cada vez mais espaço nas discussões estratégicas dentro das organizações e a implantação de programas voltados ao bem-estar do funcionário são essenciais para que o funcionário se sinta respeitado e valorizado.

Mas como criar um plano estruturado e capaz de conciliar as demandas do dia a dia com as necessidades individuais da saúde, do corpo e da mente? Na AsQ, empresa nacional de gestão para o setor de saúde privada, o programa de Saúde e Qualidade de vida do Colaborador virou um case de sucesso.

“Nós fomos motivamos a estruturar um programa específico com o olhar para o colaborador. Primeiramente porque estudamos muito sobre saúde e percebemos que uma pessoa saudável vive melhor e gera benefícios para a empresa. Todas as nossas ações, mesmo as de clima, tem a saúde como ponto de partida”, explica Cláudia Conserva, diretora de Gente e Gestão.

Saiba mais:

4 principais medidas do programa da AsQ

1. APS

Entre as principais medidas adotadas para a melhor gestão de saúde no trabalho está a implantação de uma clínica de Atenção Primária à Saúde (APS). Os colaboradores recebem todos os atendimentos primários por médicos e enfermeiros de saúde da família. De acordo com as queixas apresentadas, são realizados pequenos procedimentos na própria clínica. Quando há necessidade de outros atendimentos, seja com especialistas ou laboratórios, a própria clínica faz o encaminhamento.

“Dessa forma o colaborador é acompanhado de perto em todas as suas necessidades. Ele tem acesso a um cuidado integral”, ressalta Cláudia. “Todos os exames de rastreamento são monitorados de acordo com a idade e histórico de saúde do colaborador. Muitas vezes os colaboradores são convocados para consultas de rotina exatamente nos períodos em que ainda não apresentaram determinados exames. Com esse controle conseguimos manter a saúde do colaborador em dia, evitando problemas mais graves”, detalha.

2. Resultados

Na opinião da diretora, de todos os resultados alcançados com a gestão de saúde no trabalho, o mais visível é a tranquilidade da empresa em saber que os colaboradores estão sendo bem cuidados. “O melhor disso é que os nossos colaboradores também percebem e têm a mesma tranquilidade em saber que estão bem assistidos”, diz.

E os números comprovam tal efetividade. De todos os problemas que chegam na clínica de APS da AsQ, 88% são resolvidos no próprio espaço, sem a necessidade de os colaboradores terem que recorrer a um pronto atendimento hospitalar.

Todos os exames dos colaboradores são realizados dentro do prazo, seguindo o histórico e a idade do funcionário. Outro dado expressivo está relacionado ao exame de colo de útero das colaboradoras da empresa: 98% das mulheres estão com o exame em dia. E todos os hipertensos e diabéticos que trabalham na empresa recebem monitoramento.

3. Ações complementares

Além de investir na assistência à saúde pelas clínicas de APS, a AsQ também oferece diversas ações que complementam o tratamento médico, como: ginástica laboral, yoga, rodas de conversa e programas de alimentação saudável. Segundo a diretora, é possível oferecer uma assistência próxima e personalizada, o que potencializa os resultados e benefícios.

“Na AsQ temos um leque de ações que oferecem cuidados para a saúde física, mental e emocional. Todas as iniciativas são estruturadas em conjunto com os nossos colaboradores. Para isso, fazemos pesquisa, entendemos qual a necessidade, qual o número de pessoas que poderia aderir a determinada atividade. Também temos uma ação de comunicação e sensibilização intensa para que as pessoas participem”, explica.

4. Etapas

Para implantar um programa de Saúde e Qualidade de vida do Colaborador, a diretora de Gente e Gestão da AsQ destaca quatro principais etapas:

1 – Diagnóstico e definição da estratégia (contemplando a participação do colaborador e do líder, de acordo da gestão e a definição compartilhada da estratégia);
2 – Elaboração do programa (contextualizar, definir os objetivos, as regras, a população que pode participar, as ações contempladas, o modelo de avaliação e a comunicação);
3 – Definir o plano de ação (cronograma)
4 – Avaliação (ter um marco, seguir o modelo de avaliação previamente definido, ter um processo de qualidade contínuo).

Aprenda mais com nosso curso Saúde e Segurança no Trabalho. Garanta sua inscrição e aprenda sem pagar nada como ajudar a manter um ambiente mais saudável!

Dicas para colocar a saúde mental nas empresas em ação

profissional trabalhando e se meditando

Cada empresa tem uma realidade específica, então, não há receita de bolo. Os exemplos a seguir podem servir para você ou não. Avalie seu contexto e encontre uma forma de levar seus colaboradores a um caminho com mais satisfação e equilíbrio no trabalho nesse cenário atual.

Muitas vezes, pode ser difícil lidar com essas agendas internamente nas companhias, e hoje há empresas 100% especializadas em saúde e bem-estar corporativo, como é o caso da BeeCorp, que gentilmente colaborou com alguns exemplos para esse artigo.

Reunião 1-1

Para desmistificar os transtornos mentais, precisamos estudar, reconhecer e, claro, conhecer pessoas que lidam com isso. E só vamos saber se alguém lida com isso se tivermos a oportunidade de uma conversa privada, como nos encontros 1-1, por videochamada.

Esses momentos costumam ter foco nas questões de produtividade individual, alinhamento de metas e objetivos. Mas é nessas horas que precisamos deixar o colaborador à vontade para expor algo que esteja vivenciando e impactando sua vida pessoal e profissional.

Acredito que bons gestores são ótimos ouvintes. Não é sessão de terapia, é empatia como estratégia de gestão de pessoas.

Ergonomia

Faça o possível para que cada integrante do seu time esteja trabalhando em um espaço adequado – dentro do possível de cada um, claro. Oriente as pessoas sobre a importância de manter um espaço exclusivo para o trabalho, com cadeira com encosto, tela na altura dos olhos, apoio para os pés, entre outros itens.

Algumas empresas chegaram a enviar equipamentos para a casa dos colaboradores. Talvez você não tenha recursos para isso, mas tenha consciência daquilo que está nas suas mãos para garantir um conforto corporal e, consequentemente, mental às pessoas.

Técnicas de respiração e automassagem

Para enfrentar situações de estresse, ansiedade e angústia, existem técnicas de respiração e de automassagem capazes de promover alívio, relaxamento e foco. Com tantas atividades ao longo do expediente, além do “malabarismo” com as diversas calls que foram somadas à rotina, o trabalhador invariavelmente vai se sentir sobrecarregado.

Essas técnicas são muito eficazes quando conduzidas por um profissional especializado.

Ginástica laboral e ioga

Atividade física tem um poder transformador em todos os humanos, especialmente entre aqueles que enfrentam questões de saúde mental.

Assim como técnicas de respiração podem ser ensinadas, uma forma de favorecer o bem-estar da equipe é promover aulas online de ginástica laboral, ioga, entre outras atividades que busquem conectar mente e corpo.

Focar na saúde financeira é importante?

pessoas fazendo yoga durante o trabalho

Sem dúvida, já existem muitas empresas se preocupando com a gestão de saúde mental no trabalho. Porém, infelizmente, muitas empresas ainda não perceberam que a saúde financeira dos trabalhadores também precisa da atenção do RH e merece a devida importância. 

O que é saúde financeira?

A saúde financeira é o estado de equilíbrio entre os pagamentos das despesas, dinheiro para aproveitar a vida, poupança para um futuro estável e a tranquilidade de viver com o saldo positivo.

Nossos hábitos são responsáveis pela condição da nossa saúde financeira. Portanto, se tivermos a prática de lidar com o dinheiro de uma maneira positiva, então nossa saúde financeira será mais saudável.

Por outro lado, se não conseguirmos equilibrar as contas e tivermos uma relação negativa com o dinheiro, a nossa vida financeira passará por uma série de problemas, como estresse, ansiedade, depressão, cobranças constantes, entre outros.

Como melhorar a saúde financeira dos funcionários?

As empresas podem ajudar (e muito) os seus colaboradores a conquistarem uma saúde financeira mais saudável e equilibrada. Veja como:

Aplicar pesquisa de bem-estar financeiro

RH, você conhece os hábitos financeiros dos profissionais que trabalham na sua empresa? Provavelmente não!

Então, para entender como os funcionários lidam com as finanças no dia a dia e qual a relação deles com o dinheiro, o primeiro passo é a realização de uma pesquisa de bem-estar financeiro para identificar a forma de abordar sobre esse assunto com eles.

Implementar um programa de bem-estar financeiro

O segundo passo para ajudar a saúde financeira dos profissionais é a implementação de um programa de bem-estar financeiro.

Esse programa consiste em levar conteúdos aos colaboradores de forma qualificada e profissional através de palestras, cursos de finanças pessoais e sessões de orientação financeira individual.

Oferecer benefícios financeiros

Uma forma eficiente de ajudar na vida financeira dos colaboradores é oferecendo benefícios corporativos que ajudam a economizar.

O RH pode optar pelos benefícios financeiros, como a plataforma de descontos da Allya que possui mais de 30 mil parcerias em diversas categorias (saúde, alimentação, educação, e-commerce, lazer, beleza, entretenimento e muito mais).

Incentivar a organização financeira

Mostre aos funcionários que existem tecnologias que ajudam a organizar a vida financeira, como aplicativos e planilhas de controle do orçamento mensal.

Essas tecnologias ajudam o profissional a entender melhor suas finanças e a buscar maneiras de economizar para ter uma saúde financeira saudável.

Conclusão  

Sem dúvida, investir em programas de saúde no trabalho contribui diretamente para a redução de absenteísmo e aumento da produtividade, pois funcionários saudáveis são mais engajados e têm menor propensão a faltas por motivos de saúde. Além disso, a gestão proativa da saúde pode prevenir doenças ocupacionais, lesões e condições relacionadas ao estresse, resultando em equipes mais resilientes e motivadas.

A promoção de práticas de bem-estar, a implementação de políticas de segurança e a oferta de recursos para lidar com o estresse e até saúde financeira, como vimos ao longo deste texto, são componentes essenciais da gestão de saúde no trabalho. Essas iniciativas não apenas beneficiam os colaboradores individualmente, mas também fortalecem a cultura organizacional, tornando as empresas mais atrativas para talentos e contribuindo para um ambiente de trabalho positivo e sustentável a longo prazo.

Se você gostou do nosso texto, continue acessando nosso blog. Temos outros conteúdos para aumentar o seu conhecimento e ampliar os resultados que deseja!  

CHRO Responsável pelos times de People, Analytics Performance, Facilities, Culture; Talent Acquisition; Compensation; Employer Branding, L&D e Engagement Mestre em Administração com ênfase em Marketing, Professora Universitária Pós-graduada em Gestão de Pessoas e Pós-graduada em Orientação de Carreiras Coach e Mentoring
Assine a nossa Newsletter