logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Saúde e Segurança > Segurança do trabalho: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Sumário

Segurança do trabalho: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Este artigo aborda de maneira abrangente os aspectos cruciais da segurança no ambiente de trabalho, essencial para empregadores e funcionários que buscam criar um ambiente de trabalho mais seguro e consciente.

Sua empresa investe em segurança do trabalho?

Caso sua resposta seja: “não”, saiba que cumprir todas as práticas de prevenção de acidentes trabalhistas contribui para a valorização do capital humano da empresa,por deixar o ambiente e o clima organizacional mais saudável.

Ainda, quando o colaborador se sente protegido e confiante que sua empresa cumpre com todas as normas de prevenção de acidentes, ele se motiva e engaja mais para produzir melhor, por sentir que a marca realmente se importa com seu bem-estar e segurança. 

Por isso, cada vez mais as organizações vêm adotando práticas com o objetivo de preservar a segurança no trabalho como estratégia de gestão e retenção de talentos já no momento da admissão. 

Logo, pensando em auxiliar você, membro do RH, a entender tudo o que precisa saber sobre segurança do trabalho, preparamos este artigo completo sobre o assunto. Então, acompanhe a leitura!

O que é segurança do trabalho?

Trata-se de um conjunto de normas, atividades, medidas e ações preventivas que têm como objetivo melhorar e garantir a segurança do ambiente de trabalho.

Além disso, ela também atua na prevenção de doenças ocupacionais, no intuito de proteger a integridade física do colaborador.

Ainda, por meio de estudos e estratégias, analisa a possível causa de um acidente e de doenças ocupacionais, podendo assim, prevenir novos incidentes que podem prejudicar a saúde e a segurança dos colaboradores de uma organização.

Logo, a segurança do trabalho é um setor fundamental para qualquer empresa, independente do seu tamanho, pois zela pela proteção do bem mais valioso de uma organização: as pessoas. 

Ademais, a segurança do trabalho influencia diretamente na produtividade e na redução dos custos com demissões e novas contratações, por diminuir o absenteísmo e o presenteísmo.

No Brasil, a segurança do trabalho é regida por Normas Regulamentadoras, chamadas NR, que nada mais são que decretos e portarias que servem como base para o trabalho e o exercício das atividades profissionais. 

Mesmo assim, segundo dados do Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho, o país chega a contabilizar uma morte por acidente em serviço a cada três horas e 40 minutos.

Dados esses que colocam nosso país em quarto lugar em nível mundial com maior número de acidentes de trabalho.

Qual o papel do RH na segurança do trabalho?

Graças ao avanço da tecnologia na área de Recursos Humanos, por meio da análise de dados, o RH se tornou peça-chave no desenvolvimento do capital humano dentro da empresa e também na manutenção da sua saúde e segurança. 

Isso porque, com o auxílio de uma plataforma ou software de gestão, o RH consegue ter uma visão panorâmica sobre cada colaborador e suas necessidades dentro do seu setor de trabalho.

Essas demandas incluem fiscalizar se o colaborador conta com equipamentos de segurança necessários para realizar suas tarefas — EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva) — prazos de marcação de exames periódicos, campanhas de vacinação, dentre outras demandas de segurança no trabalho. 

Ainda, cabe ao RH implementar, juntamente aos gestores e líderes, práticas de prevenção de acidentes de trabalho.

Entre elas, podemos citar: treinamentos, palestras e outras atividades que contribuam para uma boa saúde mental e física dos colaboradores, fortalecendo a conexão entre eles e a empresa, elevando a cultura empresarial.

Dentre as ações com as quais o RH pode proporcionar um maior bem-estar aos colaboradores estão: programa de ginástica laboral, jornada de trabalho flexível, apoio psicológico gratuito, dentre outras.

Como consequência, o clima e o ambiente organizacional se tornarão mais saudáveis.

Logo, trata-se de um dos primeiros passos para cultivar a qualidade de vida do trabalhador, sua evolução profissional e, consequentemente, o crescimento da empresa.

Trabalhadores com equipamentos de proteção revisando instruções juntos, demonstrando a importância da segurança no trabalho.

Quais os principais termos da segurança do trabalho?

Confira os principais termos da segurança do trabalho:

Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT)

Trata-se de uma equipe de profissionais de saúde e segurança que podem ser técnicos, de nível superior, médicos ou enfermeiros do trabalho.

Esse time tem como objetivo mapear riscos e evitar acidentes de trabalho dentro da empresa. 

Claro que nem todas as organizações conseguem ter todos esses profissionais trabalhando em prol da segurança dos colaboradores.

Nesse caso, a empresa pode contratar uma consultoria especializada, por exemplo.

Comissão Interna de Prevenção dos Acidentes (CIPA)

A CIPA nada mais é que uma comissão interna de segurança formada por representantes da empresa e do colaborador.

Ainda, seu objetivo é o mesmo do SESMT, por isso as duas equipes devem trabalhar em conjunto. 

De acordo com as normas de segurança do trabalho, a CIPA deve existir em toda organização que conta com mais de 20 colaboradores.

No entanto, mesmo que a organização conte com um número menor que esse de funcionários, é necessário ter um representante responsável para cumprir o propósito.

Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Os EPIs são os equipamentos de proteção que os colaboradores devem utilizar no dia a dia para cumprir suas atividades com toda segurança.

Dentre os principais estão capacetes, botas, luvas, máscaras, protetores de ouvido etc.

Trabalhador de segurança no trabalho concentrado lendo um tablet em um ambiente industrial.

Mapa de risco

Trata-se de uma representação gráfica, mapeada pela CIPA, que tem como objetivo identificar quais os principais setores e funções de maior risco de acidentes de trabalho dentro da organização.

O mapa de risco é uma peça-chave que facilita o trabalho tanto da CIPA quanto da SESMT ao direcionar ações e estratégias de segurança do trabalho com maior assertividade para os setores mais propensos a incidentes.

Veja também:

Quais os principais documentos relacionados à segurança do trabalho?

Além dos termos relacionados à segurança do trabalho, também existem alguns documentos que todo profissional de RH deve conhecer e que são voltados ao mesmo assunto. Conheça-os, agora!

LTCAT (Laudo Técnico da Condição de Ambiente do Trabalho)

O LTCAT trata-se de um documento que registra os riscos físicos presentes no ambiente de trabalho com a finalidade de comunicar a Previdência Social se existe a possibilidade de aposentadoria especial.

ASO (Atestado de Saúde Ocupacional)

Realizado sempre por um médico, o ASO é um atestado enviado para a organização após a realização de exames que comprovam se o colaborador está apto ou não para realizar suas funções na empresa.

CAT (Comunicação de Acidente do Trabalho)

Este documento gerado pelo RH da organização tem o intuito de comunicar ao INSS a ocorrência de um acidente de trabalho.

O CAT é fundamental para garantir que o colaborador tenha toda a assistência necessária pelo auxílio-doença ou, caso necessário, aposentadoria por invalidez.

PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais)

Trata-se do programa elaborado pelo SESMT com o intuito de prevenir ou minimizar acidentes de trabalho por meio da antecipação de riscos que o ambiente organizacional proporciona. 

Ainda, em casos de irregularidades em determinado setor, o PPRA deve apresentar um cronograma de ações e estratégias com prazos estipulados para repará-las.

PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional)

Já este programa tem como objetivo mapear e diagnosticar situações que têm contribuído para agravar o estado de saúde dos colaboradores ou, até mesmo, identificar doenças relacionadas às atividades realizadas e ao ambiente organizacional.

Com base nos dados obtidos no PPRA, o PCMSO tem a finalidade de monitorar e preservar a saúde ocupacional por meio de realização dos exames admissionais, periódicos, demissionais, mudança de função, retorno ao trabalho e emissão do ASO (Atestado de Saúde Ocupacional).

AET (Análise Ergonômica do Trabalho)

É normal associar a palavra “ergonômica” com cadeiras adequadas para uma boa postura do colaborador. 

Mas essa análise é um estudo psicofisiológico mais profundo.

Detalhe do equipamento de segurança no trabalho, incluindo capacete e cinto de segurança de um operário.

Ela busca promover a integração entre as capacidades e limitações do profissional e suas condições de trabalho, garantindo sua segurança e produtividade.

Ainda, a AET tem como objetivo identificar quais práticas, equipamentos e ambientes causam riscos à segurança dos trabalhadores. 

PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário)

Este é um documento muito importante e obrigatório que registra os dados administrativos, ambientais e resultados de monitoração biológica durante todo o período que o colaborador exerceu suas atividades em uma determinada organização.

Além disso, o PPP é um dos requisitos obrigatórios para a concessão, caso necessário, da aposentadoria especial.

Dicas para uma boa gestão de segurança do trabalho

Para manter o ambiente organizacional saudável e seguro, existem algumas dicas fundamentais. Confira!

Faça um checklist

Esta é uma forma de organizar e controlar se os itens e as ações necessárias para manter a segurança do trabalho estão sendo cumpridos dentro dos prazos estabelecidos por lei.

Assim, a empresa não corre o risco de enfrentar processos e receber multas por não seguir a legislação.

Conte com o auxílio de um software de RH

Além de contribuir para uma gestão de pessoas eficiente, um software ou plataforma de RH permite que você tenha dados sólidos sobre cada colaborador.

Assim, em uma plataforma de gestão, por exemplo, você pode anexar os exames periódicos e criar alertas com datas de quando eles precisarão ser realizados novamente, dentre outras demandas de segurança do trabalho.

Realize treinamentos e programas de incentivo

Realizar treinamentos de segurança do trabalho é fundamental para que o time esteja alinhado com as normas que garantem sua saúde e proteção.

Desse modo, podem ser oferecidos de forma dinâmica, por meio de gamificação, workshops e palestras, por exemplo.

Qual é a função do segurança do trabalho?

Capacete de segurança amarelo em uma mesa de projetos, enfatizando a segurança no local de trabalho.

A função do profissional de segurança no trabalho é crucial para garantir um ambiente laboral seguro e saudável para os funcionários.

O segurança do trabalho desempenha um papel ativo na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, visando proteger tanto os trabalhadores quanto a empresa.

Entre as principais responsabilidades desse profissional estão:

  1. Identificar Riscos: O segurança no trabalho realiza inspeções regulares para identificar possíveis riscos no ambiente de trabalho, como máquinas defeituosas, condições perigosas e substâncias tóxicas.
  2. Elaborar Programas de Prevenção: Com base nas análises de risco, ele desenvolve e implementa programas de prevenção, como treinamentos de segurança, uso adequado de equipamentos de proteção individual (EPIs) e procedimentos de emergência.
  3. Investigar Acidentes.
  4. Garantir Conformidade Legal: Ele assegura que a empresa esteja em conformidade com as leis e regulamentos de segurança no trabalho, evitando possíveis multas e problemas legais.
  5. Promover a Conscientização: O segurança no trabalho educa os funcionários sobre a importância da segurança no ambiente de trabalho, incentivando boas práticas e a cultura de segurança.
  6. Avaliar EPIs: Ele verifica a adequação e a manutenção dos equipamentos de proteção individual, garantindo que estejam em boas condições para uso.
  7. Acompanhar Afastamentos: O profissional de segurança acompanha os casos de afastamento por doenças ocupacionais, auxiliando na reabilitação dos trabalhadores afetados.
  8. Colaborar com a Gestão de Saúde Ocupacional: trabalha em conjunto com a equipe de saúde ocupacional para garantir exames médicos periódicos e avaliação da aptidão dos funcionários para suas atividades.

Saiba mais: conheça nossos curso 100% gratuito de Saúde e Segurança no Trabalho e aprenda a adotar práticas de mercado eficientes, como a realização periódica de análises de risco e a implementação de planos de emergência.

Quais são os 4 principais objetivos da segurança do trabalho?

Os quatro principais objetivos da segurança do trabalho são:

  1. Prevenção de Acidentes: Evitar a ocorrência de acidentes e lesões no local de trabalho, protegendo a saúde e a integridade dos trabalhadores.
  2. Preservação da Saúde Ocupacional: Garantir um ambiente de trabalho que não prejudique a saúde dos funcionários, prevenindo doenças ocupacionais.
  3. Conformidade Legal: Assegurar que a empresa esteja em conformidade com as leis e regulamentos de segurança no trabalho, evitando multas e problemas legais.
  4. Promoção da Cultura de Segurança: Cultivar uma cultura organizacional onde a segurança seja uma prioridade, envolvendo todos os colaboradores na promoção de um ambiente seguro.

Quais são as três áreas que a segurança do trabalho?

Equipamentos de segurança como botas, óculos de proteção e capacete, ressaltando a segurança no trabalho.

A segurança do trabalho abrange três áreas fundamentais que visam proteger a saúde e a integridade dos trabalhadores em um ambiente laboral. 

A primeira área concentra-se na prevenção de acidentes. Ela envolve a identificação e mitigação de riscos, a promoção do uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e a implementação de treinamentos de segurança para os funcionários.

Esta área busca reduzir incidentes que possam resultar em lesões ou danos materiais.

A segunda área está relacionada à preservação da saúde ocupacional.

Ela se concentra na prevenção de doenças ocupacionais, como aquelas causadas pela exposição a agentes químicos, físicos ou biológicos no ambiente de trabalho. 

Isso envolve o controle dos fatores que podem afetar negativamente a saúde dos trabalhadores e a realização de exames médicos periódicos para monitorar e prevenir problemas de saúde relacionados ao trabalho. 

Por fim, a terceira área aborda a conformidade legal, que envolve a garantia de que a empresa está cumprindo todas as leis e regulamentos de segurança no trabalho em vigor em sua jurisdição.

Isso inclui o registro adequado de incidentes, o cumprimento de padrões de segurança específicos para a indústria e a implementação de medidas de segurança obrigatórias para proteger os funcionários. 

No entanto, o não cumprimento dessas regulamentações pode resultar em penalidades legais e financeiras para a empresa, além de colocar em risco a segurança dos trabalhadores.

Portanto, a segurança do trabalho abrange essas três áreas interligadas para criar um ambiente de trabalho mais seguro e saudável para todos os envolvidos.

Funcionário feliz acenando positivamente, demonstrando práticas de segurança no trabalho.

Quais são os 5 tipos de agentes de risco?

Existem diversos tipos de agentes de risco no ambiente de trabalho que podem afetar a saúde e a segurança dos trabalhadores.

Cinco categorias amplamente reconhecidas de agentes de risco incluem:

  1. Agentes Físicos: Esses agentes envolvem fatores como ruído, vibração, calor, radiação, pressão e iluminação inadequada. A exposição a esses elementos físicos pode causar danos à saúde dos trabalhadores, desde lesões musculoesqueléticas até doenças como a exposição prolongada ao ruído, que pode levar à perda auditiva.
  2. Agentes Químicos: São substâncias químicas presentes no ambiente de trabalho, como gases, vapores, líquidos, poeiras e produtos químicos tóxicos. A exposição inadequada a agentes químicos pode resultar em intoxicação, alergias, irritações, doenças respiratórias e até mesmo câncer.
  3. Agentes Biológicos: Esses agentes incluem micro-organismos como bactérias, vírus, fungos e parasitas presentes em ambientes de trabalho, como hospitais, laboratórios e fazendas. A exposição a agentes biológicos pode levar a infecções e doenças transmitidas por esses organismos.
  4. Agentes Ergonômicos: Agentes ergonômicos estão relacionados à organização do trabalho, posturas inadequadas, repetição de movimentos e condições inadequadas de trabalho que podem causar lesões musculoesqueléticas.
  5. Agentes de Acidentes: São agentes que podem resultar em acidentes de trabalho, como máquinas defeituosas, eletricidade, quedas, incêndios, explosões e outras situações perigosas. A exposição a esses agentes pode resultar em lesões graves, incapacidade ou até mesmo morte.

Por isso, é fundamental que as empresas identifiquem, avaliem e controlem esses agentes de risco em seus ambientes de trabalho para proteger a saúde e a segurança de seus funcionários.

Além de adotar medidas preventivas e fornecendo treinamento adequado.

A importância de enviar as informações de Saúde e Segurança do Trabalho ao eSocial antecipadamente

O prazo para o envio das informações relacionadas à Saúde e Segurança do Trabalho (SST) ao eSocial está se aproximando.

Esta é a quarta fase de implementação desse sistema, que entrou em vigor em janeiro de 2022. 

O que deve ser declarado

Nessa fase do eSocial, as empresas precisam fornecer informações essenciais relacionadas à SST, que incluem:

  • Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT).
  • Monitoramento da Saúde do Trabalhador.
  • Condições Ambientais do Trabalho.

Esses dados são cruciais para garantir a segurança e o bem-estar dos funcionários, bem como para o cumprimento das regulamentações governamentais.

A Procura por Serviços Terceirizados

À medida que o prazo se aproxima, muitas empresas buscam serviços terceirizados para auxiliar no envio das informações ao eSocial.

No entanto, essa alta demanda durante essa época do ano pode levar a imprevistos e erros, o que pode resultar em sérias consequências.

A Evolução do eSocial

É importante destacar que o evento de SST do eSocial não é algo novo. Ele substituiu os formulários anteriormente utilizados para o envio do CAT e do Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), tornando o processo totalmente eletrônico.

O cruzamento de dados no eSocial teve início em 2016, com o Imposto de Renda, e desde então, todos os sistemas foram unificados.

A Importância do Envio das Informações

O envio correto e pontual das informações de SST é de extrema importância tanto para as empresas quanto para os funcionários e o Governo Federal.

A ausência desses dados pode resultar em prejuízos para todas as partes envolvidas, além de multas significativas para os empregadores que não cumprirem suas obrigações. 

Portanto, é essencial que as empresas se adaptem a essa nova forma de apresentar informações dos funcionários e evitem ultrapassar o prazo estabelecido.

Conclusão: o que podemos aprender com a segurança no trabalho

Em conclusão, a segurança no trabalho não é apenas uma obrigação legal, mas também um compromisso moral e ético que as empresas devem assumir para proteger seus trabalhadores. 

Priorizar a prevenção de acidentes, a preservação da saúde ocupacional e a conformidade legal não apenas salvaguarda vidas. Ela também contribui para um ambiente de trabalho mais produtivo e saudável. 

Portanto, a segurança no trabalho é um investimento essencial que traz benefícios não apenas para os trabalhadores, mas também para as organizações como um todo.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
CHRO Responsável pelos times de People, Analytics Performance, Facilities, Culture; Talent Acquisition; Compensation; Employer Branding, L&D e Engagement Mestre em Administração com ênfase em Marketing, Professora Universitária Pós-graduada em Gestão de Pessoas e Pós-graduada em Orientação de Carreiras Coach e Mentoring
Assine a nossa Newsletter