Artigos

Sem medo: que venha a auditoria em Recursos Humanos


O termo auditoria ainda deve assustar muita gente, porém não há motivos para isso desde que aquele que “sofra” uma auditoria seja uma pessoa consciente do que este serviço verdadeiramente significa.

Vamos lá !

A auditoria é, simplesmente, um exame analítico e pericial dentro de uma determinada área.

Nova call to action

É uma investigação profunda sobre o sistema de funcionamento que envolve esta área de atuação que, no caso em questão, é a de Recursos Humanos.

Este serviço deseja atingir principalmente o aspecto de qualidade de serviços e não apenas rotinas e burocracias, portanto, é uma atividade essencialmente especializada.

Surgiu com a versão apenas de “auditoria contábil-financeira”, onde as pessoas ouviam a exposição verbal das demonstrações contábeis feita por um perito na área contábil. Os proprietários do estabelecimento se limitavam a ouvir a exposição verbal e, com base nesta, debatiam, aceitavam ou rejeitavam as peças financeiro-patrimoniais de seus tesoureiros.

Com novos valores introduzidos no mercado de trabalho, juntamente com a explosão da tecnologia, o conceito de auditoria sofreu grandes mudanças desde a época do seu surgimento, especialmente na última década.

O serviço de auditoria de RH é, acima de tudo, um trabalho de medição e prevenção, ou seja, envolve basicamente o estabelecimento de determinadas ações que visem solucionar problemas ou preveni-los a fim de evitar desde demandas judiciais e infrações administrativas até divergências comportamentais dentro da empresa.

Na verdade, a empresa que contrata os serviços de uma auditoria deseja realizar uma auto-análise, deseja conhecer-se melhor a fim de transpor possíveis obstáculos já instalados, como também alcançar seus resultados da forma mais eficiente possível.

A perfeita auditoria deve ter sempre um caráter orientador e principalmente educacional e nunca punitivo.

Dessa forma o fantasma do medo desaparece e todos aqueles de recebam um Auditor, já não encaram a situação como que estejam “sofrendo” uma auditoria, mas sim, como que estejam recebendo um profissional altamente especializado a fim de tratar das “doenças” que a área de Recursos Humanos possa ter ou vir a ter.

Nada diferente, portanto, da conduta mais do que certa de médicos especialistas curando distúrbios de saúde que uma pessoa tenha ou prevenindo aquilo que ela esteja sujeita a ter.

Por esta ótica podemos dizer que o auditor é o doutor que aparece em boa hora !

O vocábulo auditor vem do latim “auditore” e literalmente significa “aquele que ouve” ou ouvidor.

O auditor é um profissional habilitado a examinar, analítica e pericialmente, as operações trabalhistas, direitos e deveres do empregado e do empregador, emitindo um parecer sobre as irregularidades observadas na analise realizada e sugerindo as melhores ações que a empresa deve tomar.

Um auditor de Recursos Humanos necessita de um preparo profundo e amplo nas diversas áreas que este departamento atua, como por exemplo, conhecimentos jurídicos, trabalhistas, comportamentais e empresariais, mantendo-se atualizado e atento as mudanças dessa área.

Requer que tenha um bom senso analítico e crítico, em relação ao material a ser examinado; um razoável senso empresarial no trato dos problemas que envolvem considerações de natureza empresarial, que se apresentam no decorrer do trabalho e, preferencialmente, experiência de auditoria independente.

Além disso, deve ser uma pessoa ponderada e comedida, com conhecimentos básicos de psicologia e bom relacionamento com o público, em especial com aquele que está lhe atendendo, capaz de convencer, apresentando argumentos e conclusões convincentes e ser hábil o bastante para fazer sugestões para adaptação da empresa à norma legal, sem necessitar de grandes mudanças na política empresarial.

Deverá, ainda, se expressar muito bem verbalmente e por escrito, de forma sempre sucinta e objetiva.

O auditor de Recursos Humanos, deve ser o mais simpático possível, uma vez que vai tentar evitar danos ou lesões tanto para o empregado como para o empregador, não cabendo, assim, a figura da pessoa fechada e ameaçadora.

Tendo em vista a função de confiança que exerce o auditor perante o seu cliente, deve sempre manter sua capacidade técnico-profissional incontestável, bem como sua vida pessoal ser mantida a nível elevado.

Um serviço bem programado e bem realizado, proporciona ótimos benefícios e resultados espantosos, seja em ganhos de produtividade ou em racionalização das operações.

Como disse sabiamente o professor José Serson:

“A mais nova e promissora função na área de Recursos Humanos é a de Auditor Trabalhista, uma profissão que tem trazido plena satisfação material e gratificante realização pessoal, a quantos a ela se vêm dedicando”.

Regina Arisa dos Santos Dias
Advogada formada pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo no ano de 1.983

0 0 vote
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments