Artigos

Ser Feliz No Trabalho? Como?

Em meio às mudanças de um mundo globalizado, com estímulos e informações que mudam constantemente e em tempo real, a necessidade é urgente em especializar-se e saber equacionar trabalho e família, posto que, trilhar o ‘caminho das pedras’ é sempre recorrente. Logo, encontrar a felicidade no trabalho parece ser um desafio sobremaneira, grande.
Mas, felizmente, muitas são as pesquisas mostram o quanto o índice de felicidade dos trabalhadores tem aumentado. Um estudo divulgado pelo Instituto Datafolha mostra que três em cada quatro brasileiros se sentem felizes com o trabalho. O fato é que, nem sempre nos satisfazemos com o que temos ,mas encontrar a felicidade nos garante satisfação profissional neste mundo de grandes realizações.
O amor pelo que fazemos é a força motriz que nos impulsiona a garantir a felicidade e incrementar a vida.
Essa permissão é como o passaporte, o qual vou chamar aqui de fase de preparação. Possibilita montarmos o nosso próprio roteiro e experimentar as opções pelas quais nos identificamos.
A pessoa tem o passe livre para consultar profissionais da mesma área, perguntar sobre pós e contras, experimentar por meio de trabalhos voluntários ou estágios com vista a responder as questões sobre anseios e expectativas para tomar decisões.
Não obstante aos percalços e enfrentamentos. É sempre importante reconhecermos os problemas e estarmos preparados para suprimir os preconceitos. Recuar e refletir por vezes, também, é necessário.
Não importando quão laboriosa ou sofisticada seja a profissão, ser feliz no trabalho é o primeiro passo para viver em completude profissional, de modo que se aproveite o potencial nato e criativo do ser humano, sem interferências de estilos e métodos que padronizam, causando inseguranças diante da dificuldade de aplica-los. Para tanto, é fundamental identificar-se com a carreira.
Para a maioria necessário é, autorizar-se a ser feliz, pois a felicidade são bons momentos em que vivemos na plenitude de nossa satisfação. Alguns podem passar pela jornada com certas dificuldades. Esse talvez seja o sinal para revisar a decisão ao primeiro passo.
É fundamental desenvolver o hábito da autoavaliação. Pergunte-se: como foi que agi naquela situação? Eu me conduzi da maneira certa? Eu me confundi? Por quê? Como farei da próxima vez?
A menos que a comunicação resulte na ação desejada, pode-se fazer um belo trabalho na prática dos aspectos acima e ainda assim falhar em comunicação. Só é possível vender uma ação, dando uma razão para ela e uma boa comunicação faz com que o resultado seja desejável pelo ouvinte ou ao menos, um impedimento para um resultado indesejável.
Antipatia gera antipatia, precisamos reconhecer que a antipatia que sentimos é irracional. Com uma decisão acertada, o profissional trabalha com a empresa e não para a empresa. É um misto de parceria e respeito, que garante dedicação, foco, desempenho e resultados extraordinários ainda que, diante de diversidades. Essa é a felicidade profissional! E você, é feliz em seu trabalho?

Autor: Neemias dos Santos Almeida é Professor e Pedagogo. Colunista, Articulista, Membro da ONG Atuação Voluntária, Escritor, Voluntário junto ao órgão internacional PNUD/Brasil, e ávido leitor que vive a internet e suas excentricidades desde 2001.

Nova call to action