Artigos

Setembro Amarelo: saiba como trabalhar a campanha com colaboradores

setembro amarelo

Nos últimos anos, a prevenção ao suicídio vem, finalmente, ganhando o espaço que precisa e deixando de ser tabu. Isso acontece, principalmente, por conta das ações do Setembro Amarelo, uma importante campanha que busca conscientizar as pessoas sobre o tema.

As discussões sobre o assunto são de grande importância e devem ser levadas ao maior número de espaços possíveis, inclusive nas empresas. Mas você sabe como abordar e quais ações pode implementar com os colaboradores durante esse mês? Listamos algumas dicas bastante interessantes. Confira! 

Nova call to action

O que é o Setembro Amarelo?

Trata-se de uma campanha mundial de prevenção ao suicídio. No Brasil, a iniciativa se iniciou em 2014, por meio do CVV (Centro de Valorização da Vida), em parceria com o CFM (Conselho Federal de Medicina) e a ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria).

A campanha ocorre anualmente, durante todo o mês de setembro, e tem como objetivo chamar a atenção para o problema e conscientizar sobre a prevenção ao suicídio. O símbolo da campanha é a cor amarela, que é utilizada em toda a comunicação, além de iluminar monumentos históricos e pontos turísticos ao longo do mês.

No Brasil, são registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos e, infelizmente, os números vêm aumentando, principalmente entre os jovens. De acordo com dados da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos em todo o mundo. Além disso, os dados mostram que 79% dos suicídios ocorrem em países de baixa e média renda.

Ainda, as principais vítimas do problema são pessoas com transtornos mentais, como depressão, transtorno bipolar, ansiedade e dependência química. Além disso, casos de estresse e exposição a humilhações, como o bullying também estão relacionados ao suicídio.

Esses dados mostram que o problema é real e está mais perto do que muitos imaginam. Por conta disso, falar sobre o assunto abertamente e propor discussões e uma rede de apoio é essencial para garantir a qualidade de vida dentro das empresas.

Por que o RH deve falar sobre o Setembro Amarelo?

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) o suicídio é resultado de uma convergência de fatores de risco, como genética e distúrbios psicológicos, sociais e culturais, que podem ser combinados com experiências traumáticas ou de perda.

No entanto, apesar dos diversos motivos, o problema pode ser evitado desde que as pessoas ao redor saibam reconhecer os fatores de risco e o comportamento suicida. Nesse cenário, a empresa também pode ser um ponto de apoio para identificar o problema e divulgar ações de conscientização e prevenção, não somente no mês de setembro.

Assim, é válido que o RH busque parcerias com os órgãos relacionados ao Setembro Amarelo, realizando palestras, dinâmicas e outras programações com foco na saúde mental e que visem o engajamento dos colaboradores.

Quais ações podem ser feitas durante a campanha?

Durante todo o mês de setembro, o RH pode criar diversas ações para abordar o tema e conscientizar as equipes. A seguir, listamos algumas dicas que podem ser colocadas em prática.

Fale sobre o assunto abertamente

O suicídio ainda é um tabu, logo, é importante abordá-lo para desmistificar o assunto. Para isso, o RH pode buscar parceiros e trazer dados importantes sobre saúde mental, além de distribuir materiais informativos sobre prevenção.

No site Setembro Amarelo, é possível baixar gratuitamente alguns informes e peças para distribuição. Além disso, lembre-se de espalhar o número do CVV (188) para que as pessoas tenham apoio especializado em total sigilo.

Crie uma programação interessante

Como vimos, o suicídio está diretamente ligado a saúde mental, sendo assim, o evento é um bom momento para criar ações e atividades com o intuito de diminuir o estresse e a ansiedade dos profissionais.

Assim, o RH pode criar uma programação interessante com palestras para informar e conscientizar, sessões de meditação e outras atividades em conjunto que possam ajudar no relaxamento e promover mais integração entre as equipes.

Realize treinamentos e ensine como reconhecer sinais

Além da programação de palestras e atividades, o mês de setembro também é um bom momento para realizar treinamentos, tanto com os colaboradores quanto com os líderes. Para as pautas, é importante contar com o auxílio de profissionais de saúde e abordar, por exemplo:

  • como proceder se um parente ou alguém próximo está pensando em suicídio?
  • como orientar uma pessoa que se nega a buscar ajuda?
  • como reconhecer sinais e comportamentos suicidas?

Esse tipo de abordagem pode ser utilizado para ajudar os gestores a lidar com desordens mentais e potenciais suicidas em seus times, além de alertá-los sobre sinais de perigo, como:

  • variação de humor;
  • queda no rendimento;
  • adeus constante;
  • falta de planos para o futuro;
  • machucados e cortes na pele sem explicação aparente;
  • isolamento.

Ofereça suporte e apoio

É preciso que o RH seja um local seguro para que os colaboradores possam relatar suas dificuldades e buscar apoio. Sendo assim, é importante manter um canal de comunicação aberto e confidencial para que os profissionais possam pedir ajuda e expressar suas emoções.

Aliás, tenha em mente que o último ano foi um grande agravante para a saúde mental de todos. O estresse imposto pelo home office, somado ao isolamento social e o medo do contágio do coronavírus ou de perder um ente querido, deixou boa parte das pessoas muito mais fragilizadas.

Dessa forma, mais do que nunca, é preciso que o RH esteja disposto a oferecer todo o suporte necessário e, caso necessário, indicar ajuda profissional.

Decore o ambiente com a cor do Setembro Amarelo

Por fim, essa é uma ação simbólica, mas que serve para chamar a atenção das pessoas sobre o assunto, alcançando não só os colaboradores, mas também seus familiares e seguidores nas redes.

Para isso, o RH pode espalhar balões amarelos, faixas, distribuir materiais informativos e mostrar a ação nas redes sociais, incentivando a equipe a realizar postagens e compartilhar mais sobre o assunto.

Como o RH pode favorecer a saúde mental dos colaboradores no dia a dia?

Agora, você já sabe quais ações implementar durante o Setembro Amarelo, mas será que, ao longo do ano, o seu RH está priorizando a qualidade de vida dos profissionais?

Mudar a mentalidade da empresa e adotar práticas voltada para a saúde mental é uma cultura que deve ser implementada durante o ano todo. Afinal, os casos de suicídio não acontecem somente em setembro.

Para ajudar você a rever alguns pontos, listamos ações práticas que devem ser realizadas para uma gestão de pessoas voltada para o capital humano.

Implemente uma boa cultura organizacional

A cultura organizacional é um dos principais pilares da gestão de pessoas. Assim, empresas que desejam melhorar a qualidade de vida dos colaboradores devem adotar uma cultura colaborativa e humanizada, incentivando a diversidade, a cooperação e o apoio emocional entre equipes.

Além disso, é válido contar com um código de conduta amigável e flexível e manter um cronograma de treinamentos sobre saúde mental, controle emocional e empatia.

Saiba mediar conflitos e treine as lideranças

Como vimos, os conflitos sociais são fatores que podem levar à depressão e ao suicídio, por isso, é essencial que RH e líderes estejam sempre atentos ao clima organizacional, identificando conflitos, fofocas e comportamentos inadequados.

Líderes despreparados ou que exercem pressão excessiva sobre os colaboradores também podem contribuir para a queda da saúde mental, portanto, eles devem ser bem treinados para agir com empatia, sempre mantendo os profissionais motivados.

Ofereça benefícios voltados para a saúde mental

Nesse caso, a escolha também pode ser voltada para uma cultura mais humanizada. Assim, além de benefícios básicos, como vale-transporte e plano de saúde, a empresa pode investir em diferenciais, como apoio psicológico gratuito e parcerias com academias.

Ademais, vale a pena oferecer espaços e atividades relaxantes na empresa, como hora da massagem, salão de jogos e ginástica laboral. 

Reconheça e valorize seus talentos

Pessoas que têm seu trabalho reconhecido e valorizado são mais produtivas e satisfeitas consigo mesmas. Dessa forma, é essencial que o RH tenha uma cultura de feedbacks e mostre aos colaboradores o quanto eles são importantes para a empresa e a sociedade.

Ainda, dar valor e significado ao trabalho dos colaboradores faz com que eles se sintam mais satisfeitos no dia a dia, evitando o sentimento de que nada faz sentido.

Revise os fluxos de trabalho

Por fim, é preciso que o RH revise os fluxos de trabalho para entender o nível de estresse e cobrança dos colaboradores. Prazos impossíveis de serem cumpridos, metas inalcançáveis e pressão desnecessária, por exemplo, podem minar a saúde mental dos profissionais, fazendo com que eles adoeçam.

Assim, é importante verificar os colaboradores individualmente, analisando se eles estão sobrecarregados e se é necessário realizar mudanças e intervenções.

Concluindo, o Setembro Amarelo é uma campanha de grande importância para a valorização da saúde mental e da vida. Assim, as empresas podem e devem participar do evento, trazendo programações especiais para conscientizar os colaboradores sobre o assunto.

Quer melhorar ainda mais a gestão de pessoas promovendo ações de valorização da saúde mental? Baixe nosso e-book gratuito e descubra como fazer um planejamento estratégico com esse objetivo.

0 0 votes
Article Rating

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments