Artigos

Seu Cérebro

COMO ATROFIAR O CÉREBRO COM COMIDA!

Atenção às crianças!

Os bebés cuja gestação tenha sido afetada por uma alimentação deficiente da mãe ou que, nos primeiros anos de vida, sejam incorretamente alimentados, podem sofrer atrasos no seu desenvolvimento intelectual.

Muitas crianças têm dificuldades de aprendizagem e problemas de concentração porque estão a ser incorretamente alimentadas. É sintomático o fato de muitos alunos, por ingerirem pouquíssimo alimento pela manhã, se queixarem de cansaço, fraqueza, falta de concentração ou agitação nas primeiras horas de aula.

Os adultos também não escapam. Nem sempre os seus cérebros estão sendo adequadamente alimentados. Eis alguns dos erros mais comuns:

– grandes quantidades de comida às refeições;

– variedade excessiva de alimentos nas refeições principais, por vezes incompatíveis;

– excesso de proteínas de origem animal e matérias gordas;

– poucos alimentos frescos;

– alimentos muito cozidos, fritos e assados;

– comer em demasia fora das principais refeições;

– refeições ingeridas com pressa.

– mastigar pouco os alimentos.

– não ingerir alimentos alinhados com o tipo sanguíneo.

– não fazer atividade física de no mínimo 3 vezes por semana!

A falta de memória, a autodepreciação e a falta de criatividade podem ser sintomas de ligações débeis entre neurônios. Neste caso, o remédio é um só: “usar mais a cabeça” procurando e enfrentando continuamente desafios intelectuais crescentes.

Quanto maior o número de ligações entre as células nervosas mais isso ajuda a manter a qualidade e a durabilidade da nossa vida mental. Por isso, não raro, pessoas criativas, ativas e flexíveis vivem também mais tempo e melhor. Sergio Ricardo

A rotina também provoca nervosismo e stress!

A maioria das pessoas estão hoje muito centradas num circulo vicioso casa > emprego > compras > televisão > internet > dormir > e por aí adiante. A nossa mais fácil desculpa é que a vida não permite alternativa!

Em parte entendo mas aceitamos por vezes a rotina porque ela é confortável. Com a rotina economizamos energia física e mental. Mas há um preço a pagar e pode ser bem elevado!

Todos os estudos científicos garantem que a rotina torna o cérebro preguiçoso, deixa de criar novas ligações (dendrites) entre os neurônios e envelhece mais depressa.

Se a sua vida é uma rotina tente dar a volta ao sistema. Pelo menos uma vez por semana faça algo diferente, jante fora, dê um passeio (mesmo que seja a pé), uma ida ao teatro ou ao cinema (pode fazer uma agenda de saídas diferentes todas as semanas de maneira que não vai pesar no orçamento). E muitas coisas pode fazer sem gastar dinheiro! Sergio Ricardo

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of