Artigos

SUA CORPORAÇÃO CONHECE A COOPERAÇÃO?

Já pensou em enxergar a sua empresa como uma cooperativa? Em linhas gerais, estamos falando de um arranjo social e produtivo baseado na ideia de que, ao contribuir com o grupo, cumprindo os papéis que lhe foram designados, é possível promover tanto o bem coletivo como o individual. Ou seja, ao mesmo tempo em que os resultados gerados são positivos para a pessoa que o alcançou, eles fazem com que todos envolvidos naquele projeto possam ser beneficiados.

Os “blocos do eu sozinho”
Empresas em que há apenas um número muito reduzido de profissionais realmente comprometidos com um objetivo maior, que vai além da busca por remunerações mais elevadas e prestígio, são comuns. Vemos que muitas organizações possuem em seu quadro de funcionários uma série de “blocos do eu sozinho”. Em uma metáfora, podemos dizer que se tem uma seleção e, não, um time.

Muitas vezes, esse comportamento é gerado pela falta de uma plataforma eficiente de comunicação, que não é capaz de fazer com que os profissionais sintam que há algo em comum entre eles. Além disso, a liderança também pode ser um fator decisivo para que uma empresa valorize apenas as conquistas individuais ou, de forma responsável, busque sempre alcançar o máximo possível em grupo.

Amplie suas práticas
Uma das características mais interessantes do cooperativismo é a ação gerada pela livre vontade, conhecida pelos departamentos de RH como pró-atividade. Ao contrário dos sistemas hierárquicos em que “manda quem pode e obedece quem tem juízo”, vive-se uma situação em que todos utilizam sua capacidade de transformação para promover o bem-estar e o sucesso do grupo. Imagine como seria bom substituir a pergunta “já fez tal tarefa?” pelo agradecimento “muito obrigado por já ter cuidado disso”.

E existem muitos outros pontos interessantes. Por exemplo, o espírito das cooperativas opera com base na gestão democrática e justa da divisão dos recursos financeiros. Nas empresas, podemos ver que essas duas modalidades têm sido pensadas pela formação dos comitês e da pulverização de parte dos lucros entre os colaboradores. Não seria, então, o momento de fortalecer essas práticas e fazer com que elas sejam, de fato, os grandes diferenciais e pilares de uma organização?

Sustentabilidade
Para além dos simples atos que buscam preservar a natureza, a sustentabilidade só existe quando se atua de acordo com o conceito Triple Botton Line. Ou seja: uma organização deve ter atitudes ecologicamente corretas, promover o bem-estar social e ainda obter lucro. Bem, isso é que muitas cooperativas fazem, já que sua filosofia é baseada na preocupação com a comunidade.

Além disso, é muito comum que elas atuem também na formação e capacitação de seus integrantes, oferecendo cursos e oficinas constantemente. Nesse sentido, quanto do seu tempo tem sido investido na sua educação, tanto no sentido do aprendizado quanto no da transmissão dos conhecimentos que adquiriu com o passar do tempo?

“Cooperative-se!”
E, então, quão cooperativo é o espírito da sua organização? Deixe de lado os velhos padrões de comportamento e busque o novo para trazer ares inovadores para a sua empresa. Caminhamos para um futuro permeado pela coletividade, em que, respeitando a individualidade e as diversidades pessoais, temos consciência de que podemos caminhar juntos criando modelos mais valiosos e eficazes do que o individuo sozinho pode atingir, promovendo o intercâmbio de ideias, a cooperação e a realização do trabalho em conjunto, aumentando o desempenho corporativo e a concretização de resultados.

Eduardo Shinyashiki é consultor organizacional, escritor e especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes. Especializado em Preparação Psicologica de Equipes de Alto Rendimento com o Dr. Octavio Rivas Solis. Leitura Corporal com o Dr. Jose Angelo Gaiarsa. www.edushin.com.br

Por:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of