Artigos

Sucesso Com O Trabalho Em Equipe

Janice Wingert – wingert_adm@hotmail.com
Graduada em Administração pela UNIOESTE – Universidade do Oeste do Paraná e pós-graduanda – MBA em Gestão de Recursos Humanos – Grupo UNINTER, Pólo de Medianeira.

Orientadora Prof. MSc Elizabeth Zanetti²

RESUMO

O presente artigo visa abordar a importancia do trabalho em equipe, a sua influencia para a organização se manter competitiva, para se iniciar um trabalho em equipe é preciso que haja um objetivo, seguido de um planejamento para desenvolver o trabalho. Trabalhar em equipe é importante para sair na frente, no entanto nem todas as empresas adotam esse sistema, devido a dificuldade que as pessoas tem em relacionar-se. Os conflitos sempre vão existir quando se trata de pessoas trabalhando em um mesmo espaço, mas esses não são sempre negativos, podem também ajudar no crescimento da equipe. Dentro da equipe geralmente alguém se destaca e acaba se tornando o líder da equipe, conquistando confiança dos seus seguidores. Esse líder precisa conhecer seus colaboradores suas fraquezas e limitações, para desenvolver o relacionamento na equipe de trabalho. Algumas empresas onde o relacionamento fica em segundo plano, ainda tratam seus colaboradores como meras peças, outras empresas que estão á frente no desenvolvimento e competitividade valorizam as pessoas que possuem aptidão do relacionamento. A tarefa do líder não é fácil dentro da organização, é função dele fazer a equipe trabalhar, acreditar nos objetivos a serem alcançados. Ele precisa conhecer cada membro da sua equipe, para desenvolver suas habilidades e influenciar seus seguidores. Alem disso o líder tem poder sobre seus liderados, mas não pode usar desse para obrigar o trabalho e sim influenciar as pessoas a seguirem seus propósitos. A comunicação, o feedback e a motivação são aspectos que ajudam no desenvolvimento da equipe.

Palavras chaves: relacionamento, equipe, líder.

INTRODUÇÃO

Vivemos em um mundo onde as mudanças são constantes, acompanha-las é praticamente impossível, no entanto é preciso manter-se atualizado ou a concorrência passa na frente. Antes as pessoas eram vistas dentro da organização como parte dos bens materiais, o trabalho não era valorizado. O relaciomento era hierárquico, os funcionários não eram ouvidos, eles apenas realizavam suas tarefas e recebiam o seu salário, não se trabalhava em equipe, cada um realizava sua função.
Hoje o ser humano está sendo cada vez mais valorizado, esta questão está em alta para o desenvolvimento, as pessoas passaram a fazer parte do crescimento e são peça importante para a organização. O relacionamento entre os colaboradores mudou o jeito de trabalhar, deixando um ambiente mais saudável e propicio ao crescimento e desenvolvimento.
Várias empresas estão adotando o trabalho em equipe para melhorar os resultados alcançados, essas equipes se formam a partir de objetivos em comum, colaboradores que caminham em uma mesma direção. Se busca com o trabalho em equipe manter a competitividade, valorizar o trabalho do ser humano. Os conflitos fazem parte da natureza das pessoas, podem destruir, mas também podem ser um novo animo para o crescimento dentro da equipe, é preciso saber lidar com eles, papel que pode ser realizado pelo líder.
Enquanto por um lado o relacionamento entre as pessoas está cada vez mais dificil, por outro ele se faz necessário e está cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, e se torna cada dia mais importante no trabalho. O relacionamento está cada vez mais no auge para o desenvolvimento da organização, e mesmo assim muitas ainda não se deram conta disso, deixando a questão em segundo plano, há dificuldade em conviver pois as pessoas tem opiniões diferentes, mas é necessário, em todos os lugares que vamos.
O líder tem grande influencia no relacionamento do trabalho em equipe, dando exemplo e motivando seus colaboradores. A liderança está presente no trabalho de equipe e o líder entre muitas características, precisa adotar certos aspectos para conseguir trabalhar bem com a sua equipe, como uma boa comunicação, realizando feedback constantemente e motivar sua equipe, de maneira a alcançar objetivos desejados.
Para realização do artigo se fez uso da pesquisa através de dados secundários em bibliografias relacionados ao assunto delimitado, como livros e sites, buscando entender o trabalho em equipe e quanto o relacionamento e o líder são importantes para o bom desempenho destas equipes.

A EQUIPE DE TRABALHO E O TRABALHO EM EQUIPE

Uma equipe de trabalho não surge da noite para o dia e também não aparece do nada e pra nada. Para se formar uma equipe se precisa de um objetivo, um projeto a ser desenvolvido, as pessoas precisam estar motivadas para ir em busca de algo em comum e esse algo em comum que transforma aquele grupo em uma verdadeira equipe.
Um bom planejamento pode ajudar no desenvolvimento da equipe, para que as pessoas saibam como devem agir, o que e como fazer para alcançar o objetivo desejado, Lacombe e Heilborn (2003, p. 162) trazem sobre planejamento “a determinação da direção a ser seguida para alcançar um resultado desejado”. E em meio a isso, em algumas situações, tem um individuo que se destaca, conquistando a confiança dos demais, para alcançarem juntos os objetivos desejados, é comum que este se torne futuramente o líder desta equipe.
O trabalho em equipe é importante para o desenvolvimento da organização, que precisa se manter competitiva, em meio a intensas mudanças no mundo econômico, buscando alcançar o sucesso. Ana Rabello de Macedo Posso, em um artigo publicado no site webartigos (2009) diz que “a alegria de se alcançar o sucesso como equipe; e o prazer de ajudar os colegas estimula um comportamento não individualista, e isso favorece para o crescimento e sucesso da empresa”.
Mesmo o trabalho em equipe sendo ponto importante para o crescimento, algumas organizações ainda não o adotaram, por trazer desvantagens, como o individualismo, característica muito comum ao ser humano, fazendo com que ele se feche a essas experiências, e não se integram no trabalho em equipe. Outra questão ocorre principalmente nas grandes empresas, onde acontece de se ter mais do que uma equipe, provocando competição entre elas, gerando um problema dentro da organização e pode ai acontecer os conflitos, que devem receber atenção para serem resolvidos, antes que causem danos irreparáveis.
Mas o que fazer com os conflitos? Como agir para resolve-los? Em primeiro lugar, é preciso se ter em mente que os conflitos não devem ser considerados como inimigos, eles não são apenas pontos negativos, pois em muitas situações eles provocam grandes mudanças e geram muitos resultados, pois conforme Chiavenato (2004, p. 424) “o conflito pode trazer resultados construtivos ou negativos para pessoas e grupos e, sobretudo, para a organização como um todo”.
Os conflitos são normais entre as pessoas, não apenas nas organizações, por ser comum o individualismo e como o ser humano é diferente, único, cada qual tem sua opinião, com seus propósitos, contribuindo a sua maneira, por isso é impossível viver sem conflitos, o importante é saber lidar com eles, tentando sempre evitá-los e não deixar que eles se alastrem por muito tempo na equipe, buscar uma solução para resolvê-lo, de maneira a não prejudicar o andamento dos trabalhos na equipe.
Para as pessoas uma das grandes dificuldades é trabalhar em equipe, elas conseguem trabalham em grupos, numa mesma sala, mesma seção, mas quando se precisa somar forças, dividir suas opiniões, abrindo mão destas em muitos casos, o que exige muita maturidade, a dificuldade aparece, cooperar entre si para chegar ao sucesso, a competitividade e o individualismo falam mais alto.
Conforme ressalta Campos (et al, 2003, p.25) “Cooperar é atuar junto, de forma coordenada, no trabalho ou nas relações sociais para atingir metas comuns. As pessoas cooperam pelo prazer de repartir atividades ou para obter benefícios mútuos”. É preciso unir forças para chegar aos resultados, muitos projetos, inúmeros objetivos só são alcançados se existe colaboração de todos na organização, como se fosse um time em busca de objetivos em comum.
Não apenas as organizações, mas os profissionais buscam cada vez mais se manterem competitivos, para isso é importante que ambos – organização e profissionais – caminhem juntos em uma mesma direção, mais uma vez a equipe, o trabalho em equipe aparece como ponto importante. O site artigonal.com nos mostra alguns pontos de como deve se trabalhar em equipe:
• Discutir exclusivamente idéias: buscando ideias, discutindo-as e considerar as concretas.
• Buscar um diálogo competente: os argumentos claros, para que possam ser entendidos e discutidos pelas partes.
• Não temer o conflito: todos da equipe devem saber lidar com os conflitos e administra-los com firmeza e habilidade. Estes sempre acontecem e isso é saudável, deve-se saber tirar deles o melhor proveito. Conflitos não significam desavenças, mas diferentes pontos de vista.
• Saber ceder: fazer concessões é uma atitude natural dos que trabalham em equipe.
• Discordar construtivamente: as criticas são construtivas quando feitas com critérios.
• Construir idéias: as idéias podem ser ampliadas ou modificadas, resultando numa ação conjunta.
Muitas são as organizações que não conseguiram alcançar objetivos por falta do trabalho em equipe, muitas equipes não conseguiram se desenvolver por falta de um líder para orientar e principalmente pela falta de relacionamento entre seus integrantes. Esses dois assuntos – relacionamento e líder – serão abordados nos tópicos seguintes, devido sua grande importância dentro da equipe.

RELACIONAR-SE NA EQUIPE E COM A EQUIPE

As pessoas passam boa parte do seu tempo nas organizações, convivendo com outras pessoas, mesmo assim o relacionamento acaba ficando em segundo plano, no caso do artigo nos referimos ao relacionar-se no trabalho em equipe nas organizações, conforme Hunter (2004, p.35) “tudo na vida gira em torno do relacionamento” e continua “isso é especialmente verdadeiro nos negócios, porque sem pessoas não há negócios”.
No entanto seria possível falar de muitas outras questões, quando nos referimos ao relacionamento, nas famílias, associações, no meio político, em todos os lugares, mas parece que torna-se cada vez mais difícil o relacionamento, as pessoas pensam apenas em si próprias. Em um artigo publicado em 2008 por Nélio da Silva (blogspot.com) ele diz que uma das principais razões dos fracassos, na família ou trabalho, acontece porque as pessoas não conseguem se relacionar bem com os outros.
Uma questão a ser avaliada é que desde cedo o ser humano é influenciado a competir, ser melhor na escola, ser melhor em tudo que fizer e torna-se competitivo, o que mais tarde pode dificultar seu convívio em equipe, há dificuldade em abrir mão das suas opiniões, por isso a convivência, que é necessária acaba sendo difícil, e muitas vezes impossível, gerando os conflitos nas organizações, como já visto no tópico anterior.
Um ponto importante para relacionar-se com o outro, é conhecer a si mesmo, saber quais as limitações, abrir mão de opiniões se for melhor para a equipe, evitando os conflitos tão indesejados, se conhecendo bem facilita a convivência com os outros.
É preciso também que haja um relacionamento dos gerentes com seus colaboradores, em muitas empresas, ainda são “chefes” e não se abrem as mudanças, não há dialogo. As empresas ainda tratam as pessoas como parte dos recursos materiais (máquinas, equipamentos), esquecem que são elas que garantem o sucesso da empresa, que fazem o trabalho, que alcançam resultados. Quando se trata desta questão sobre valorizar o ser humano Chiavenato (2004, p.8) diz “as organizações bem sucedidas se deram conta disso e tratam seus funcionários como parceiros do negocio (…)”.
E são essas as organizações que saem na frente, que valorizam o ser humano como pessoa e não como parte dos recursos materiais, essa tem sido uma grande vantagem no meio competitivo valorizar o relacionamento, o valorizar o ser humano como pessoa. As pessoas não querem mais trabalhar como escravos, buscam um local adequado, se por um lado os seres humanos tem dificuldades de se relacionar, por outro ele acaba sendo valorizado por muitos na hora de buscar um local para trabalhar.
As empresas não gostam de misturar o emocional com o profissional, tem se o mito de que isso atrapalha o andamento do trabalho, no entanto, se a pessoa não estiver bem, não estiver motivada, seu rendimento será baixo. As organizações precisam saber lidar com essas situações, para contornar as emoções com as aptidões dos colaboradores.
Então é preciso que aconteça um relacionamento entre os integrantes da equipe, mas também é muito importante que os gerentes ou administradores mesmo que não sejam o líder direto da equipe, tenham um perfil de líder ou busquem desenvolve-lo, e busquem se relacionar com todos os integrantes da organização. Pois como podemos perceber nas palavras de Bernardinho em seu livro (2006, p. 15) “as instituições não funcionam sozinhas, não se gerem por toque de mágica, nem os cargos tem vida própria”.
Quando se trata do relacionamento também se tem em vista o limite, respeitar o próximo, relacionar-se não quer dizer intrometer-se na vida do outro, muitas pessoas acham que podem pensar pelo seu colega de trabalho, ou amigo e acabam sendo inconvenientes. Então é preciso que se tenha um bom relacionamento no trabalho, em casa ou em qualquer ambiente que você tenha que conviver com outras pessoas, mas respeitando o limite do próximo.

O LÍDER NA EQUIPE

Toda equipe precisa de um líder, no geral uma pessoa que se destaca entre as demais, o líder tem uma tarefa árdua, tem um papel impar no desenvolvimento da equipe, pois as pessoas se espelham nele, para Stinson et al 1975, o comportamento do líder aumenta a satisfação dos colaboradores, fornecendo a eles confiança e compreensão, entre desempenho e resultado. Ele precisa transmitir que tem confiança e realmente acredita no que está pensando e repassando, tem papel importante nesse processo.
Lacombe e Heilborn (2003, p. 348) enfatizam que “liderar é conduzir um grupo de pessoas, influenciando seus comportamentos e ações, para atingir objetivos e metas de interesse comum desse grupo”. É função do líder inspirar sua equipe, motivando-a para alcançar objetivos, deve fazer isso com exemplo, comportamento de vencedor.
A verdadeira liderança é apresentada por Hunter (2004, p.25) como sendo “a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum”. Mas para realizar um bom trabalho e influenciar sua equipe, o líder precisa conhecer as habilidades e fraquezas de cada colaborador, para assim aproveitar as habilidades e desenvolver as fraquezas, pois cada um de seus colaboradores é único e mais do que isso se conhecer, o autoconhecimento é importante, como já focado anteriormente.
Existem vários estilos de liderança, mas na sua maioria os líderes precisam adotar não só um estilo, pois quando se tem uma equipe, formada por pessoas, que por sua vez são diferentes umas das outras, um mesmo líder precisa de um estilo diferente para agir e trabalhar cada colaborador.
No entanto é preciso tomar certo cuidado, porque existem também os estilos que se adotados podem atrapalhar o andamento da equipe, principalmente porque muitos lideres são especialistas em gerar intrigas, acham que por ter o “comando” da equipe nas mãos podem mandar, e de líder passam a ser o temido chefe. Krauz (1999) descreve quatro destes estilos:
• Liderança Coercitiva predomina o poder de coerção, a influência acontece por punição, os liderados são considerados objetos, sentem-se inúteis e tendem a ser improdutivos, este estilo desrespeita as pessoas.
• Liderança Controladora predomina o poder da recompensa, gera burocracia, trabalha com excessivas normas e regras para controlar melhor o trabalho das pessoas. O líder controlador tem dificuldade de ver o todo, compete com subordinados, falta confiança entre as pessoas.
• Liderança Orientadora, os líderes com este perfil são vistos como conselheiros, acompanham e esclarecem o trabalho, facilitando o crescimento profissional, no entanto pode estimular a dependência quando o líder tende a ser superprotetor.
• Liderança Integradora tem o princípio em que todo indivíduo, independente de sua posição é capaz de contribuir para o alcance dos objetivos, respeita o indivíduo como indivíduo, integra as pessoas, este estilo funcionam como facilitadores da convergência de esforços.
Um bom líder precisa ter inúmeras características, dentre elas ser comunicativo, influente, ser confiante e transmitir confiança, estar atento aos seus colaboradores, prestar atenção a tudo que acontece para manter o bem estar da equipe.
O líder procura sempre conhecer o problema, para junto com sua equipe encontrar a melhor solução, diferente do chefe, que quer resolver tudo sozinho, não confiando no trabalho dos colaboradores. É importante ainda adotar alguns aspectos para o bom andamento da equipe como:
• Comunicação: Uma boa comunicação é indispensável, deve ser clara e objetiva, para que todos compreendam, levando em conta que a mesma não é apenas verbal, pois os gestos, as emoções transmitidas são importantes, e em muitas situações dizem muito mais que palavras. Segundo Bellows (in CHIAVENATO, 1982, p. 452), “a comunicação envolve troca de fatos, ideias, opiniões e emoções entre duas ou mais pessoas”.
Hoje com o mundo desenvolvido, tecnologia sempre mais rápidas, acabam fazendo com que muitos usem email, msn e outros meios tecnológicos de comunicação, o que é muito bom, pois precisamos estar sempre atualizados, e de certa forma é uma maneira mais rápida de comunicação, mas nem sempre tão eficaz.
No entanto dentro da empresa, principalmente o líder dentro de sua equipe deve valorizar a comunicação no contato direto, Lacombe e Heilborn (2003, p. 212) relembram “o contato direto, apesar do imenso desenvolvimento das telecomunicações, continua sendo insubstituível como instrumento de comunicação”.
• Feedback: Outro aspecto importantíssimo que deve se adotado é o feedback, avaliar constantemente o trabalho realizado, evitando que lá na frente se tenha um grande problema, Lacombe e Heiborn (2003) lembram que o colaborador precisa saber onde melhorar. No entanto é preciso que haja uma preparação para esse aspecto, pois as pessoas têm dificuldade em receber e dar o feedback.

Feedback é um processo de ajuda mútua para mudanças de comportamento, por meio da comunicação verbalizada ou não entre duas pessoas ou entre pessoa e grupo, no sentido de passar informações, sem julgamento de valor, referentes à como sua atuação afeta ou é percebida pelo outro e vice e versa. (pt.shvoong.com )

Esse processo pode ser positivo ou negativo, depende da forma como é aplicado, é preciso que se prepare pessoas para realização deste aspecto, podendo assim utiliza-lo como ponto de crescimento e desenvolvimento da equipe de trabalho.
• Motivação: A equipe deve estar motivada, isso deve ser constantemente trabalhado, as pessoas precisam de motivos para realizar as atividades, alcançar objetivos. Para Montana (1999, p. 203) motivação é o “processo de estimular um indivíduo para que tome ações que irão preencher uma necessidade ou realizar uma meta desejada”.
Muitas organizações pensam que pagar altos salários é o suficiente, no entanto hoje, as pessoas procuram muito mais do que apenas o dinheiro, conforme ressalta Chowdhury (2003) o dinheiro é um fator de manutenção e não de motivação.
Alem disso o líder tem poder sobre os colaboradores, no entanto o poder deve ser compartilhado, a liderança e o poder devem estar interligados ele deve ser usado para influenciar as pessoas, não obrigar ao trabalho. Todo chefe, gerente ou administrador não importa qual a denominação deve buscar desenvolver a aptidão de líder para trabalhar melhor seus colaboradores, buscando alcançar objetivos.
O líder deve usar o poder que tem para conseguir autoridade sobre seus liderados, pois conforme Hunter (2004), ter poder é forçar alguém a fazer o que você quer, mesmo que a pessoa prefira fazer ao contrario, enquanto autoridade é uma habilidade de conseguir com que as pessoas façam a sua vontade, devido a sua influencia pessoal.

CONCLUSÃO

Trabalhar em equipe não é nada fácil, sempre gera conflitos, no entanto se faz necessário saber lidar com esses conflitos, para que se consiga chegar aos objetivos desejados. O líder tem papel importante nessas situações, motivar os colaboradores para que eles atinjam objetivos e tragam sucesso para a organização.
As pessoas precisam receber estímulos, para um melhor desempenho, precisam ser valorizadas, é necessário um novo modelo de gerenciar pessoas, com disposição das empresas e de seus gestores, acompanhar as mudanças que o sistema impõe, liderando equipes, respeitando seus integrantes como seres humanos, viabilizando o potencial de cada um, desenvolvendo suas habilidades.
Muitas empresas já estão adontando o trabalho em equipe e valorizando o relacionamento entre seus colaboradores, enquanto outras ainda trabalham de forma a tratar as pessoas como peças, e acabam ficando para tras, em contrapartida as pessoas estão em busca de locais de trabalho agradaveis, que nao tenha apenas bons salarios, mas que seu esforço seja reconhecido.
Relacionar-se com os outros não é facil, a individualidade tomou conta do nosso meio, e competir, chegar em primeiro, ser o melhor está em alta, faz com que as pessoas, encontrem uma enorme dificuldade em trabalhar em equipe, em alcançar objetivos em comum, mas o relacionamento é essencial e indispensavel na vida da organização e no dia-a-dia das pessoas.
Um bom líder é vital, para a sobrevivência da organização, o que nao se pode esquecer é que os lideres também precisam ser motivados, porque são simplesmente seres humanos, que estão conduzindo seres humanos, e percebemos o quanto é árdua sua tarefa, estar sempre confiante e motivado a seguir em frente, exige-se dele muita competência e dedicação, para alcançar os objetivos da empresa em que trabalha.
Em certas situações, em alguns artigos se diz que a liderança é nata, ou seja, que a pessoa já nasce líder, no entanto, não basta nascer líder é preciso desenvolver a habilidade ao longo da vida. Todas as pessoas possivelmente nascem com alguma característica de líder, mas existem aqueles que conseguem desenvolver a habilidade, se tornam grandes líderes e dirigem grandes equipes.
Existe quem não se torna líder nas grandes organizações, mas usa a liderança ou aspectos da mesma no dia-a-dia, em casa, na rua, com a família ou com amigos, a liderança está presente em situações que muitas vezes nem percebemos, não nos damos conta. O líder tem sabedoria para entender seus liderados, desvendar talentos, perceber quais as limitações de cada um, sabendo assim como agir, garantindo o sucesso de sua equipe e da organização que confiou a ele esse trabalho.
O trabalho em equipe pode sim ser uma solução para o desenvolvimento e crescimento da organização. Mas a equipe precisa estar bem preparada com um líder competente, colaboradores que saibam relacionar-se entre si e saibam respeitar as pessoas, não ultrapassando os limites, para não ser inconveniente, conseguindo assim alcançar o sucesso da empresa e a própria realização profissional.

REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

BERNARDINHO. Transformando suor em ouro. Rio de Janeiro: Sextante, 2006.

CAMPOS, F.C.A.; SANTORO, F.M.; BORGES, M.R.S.; SANTOS, N. Cooperação e Aprendizagem On-Line. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos e o capital humano das organizações. São Paulo: Atlas, 8. ed., 2004.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

CHIAVENATO, I. Administração de empresas: uma abordagem contingencial. São Paulo: McGraw-Hill, 1982.

CHOWDHURY, Subir. A era do talento – obtendo alto retorno sobre talento. (tradução Sonia Midori). São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2003.

HUNTER, James C. – tradução de Maria da Conceição Fornos de Magalhães. O monge e o executivo – uma história sobre a essência da liderança. Rio de Janeiro: Sextante, 2004.

KRAUZ, R. Trabalhabilidade. São Paulo: Nobel, 1999.

LACOMBE, Francisco; HEILBORN, Gilberto. Administração: princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, 2003.

MONTANA, P. J. Administração. São Paulo: Saraiva, 1999

STINSON, J. & T.Johnson. ‘The path-goal theory of leadership: A partial test and suggested refinement’. In Academy of Management Journal, Jun 1975;

http://www.artigonal.com/recursos-humanos-artigos/trabalho-em-equipe-fator-da- qualidade-518820.html acessado 26/08/2011 19:10

http://pt.shvoong.com/humanities/1737318-feedback-arma-da-equipe-produtiva/#ixzz1X1eHmtyR acessado 4/09/2011 19:32

http://www.webartigos.com/articles/28027/1/Vantagens-e-desvantagens-de-um-trabalho-em-equipe/pagina1.html por Ana Rabello de Macedo Posso (2009) acessado 15/09/2011 22:10

http://www.blogspot.com por Nélio da Silva (2008), acessado 15/09/2011 23:00

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of