logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Treinamento e Desenvolvimento > Técnicas de memorização e aprendizagem acelerada: como utilizá-las para amplificar o potencial do cérebro

Sumário

Técnicas de memorização e aprendizagem acelerada: como utilizá-las para amplificar o potencial do cérebro

*Por Lorenzo Tessari

As técnicas de memorização e aprendizagem acelerada têm se tornado cada vez mais relevantes em um mundo repleto de informações e desafios constantes. Neste artigo, vamos explorar como essas técnicas podem ajudar a aprimorar a capacidade de aprendizado, retenção de informações e agilidade mental.

Veremos como estratégias como mnemônicos, mapas mentais e associação de ideias podem impulsionar a eficácia dos estudos e o desenvolvimento pessoal e profissional. Ao adotar as técnicas de memorização e aprendizagem acelerada, é possível otimizar o processo de aprendizagem, tornando-o mais eficiente, prazeroso e, acima de tudo, memorável. Confira!

Na educação, muitas técnicas foram propostas com o objetivo de auxiliar na retenção de conteúdo, cada uma utilizando um aspecto diferente do cérebro, que é responsável pela nossa capacidade de pensamento, movimento voluntário, linguagem, julgamento e percepção. No entanto, existem princípios que são comuns a muitas dessas técnicas e servem de pilares para fornecer um ganho significativo na retenção de conteúdo.

Técnicas de memorização e aprendizagem acelerada: quais são?

Dentre esses princípios, vemos dois que são eficientes formas de memorização: a repetição e o emocional. Além disso, outro pilar importante é a exploração do poder associativo do cérebro, pois ao criar associações intencionais, facilitamos a aprendizagem e a retenção de conteúdo. Essas associações agilizam o processo de revisão e o encadeamento de assuntos interdependentes. Dito isso, vamos a algumas técnicas de memorização e aprendizagem acelerada.

1. Autoexplicação

É uma abordagem eficaz no processo de aprendizado, na qual os estudantes explicam o conteúdo para si mesmos. Essa prática envolve fazer perguntas e responder com suas próprias palavras, permitindo a compreensão mais profunda do material. Além disso, ajuda a identificar lacunas, reforçando a memória e consolidando as informações.

2. Active Recall (Recuperação Ativa)

É uma técnica de aprendizagem que consiste em lembrar ativamente de informações, sem consultar as referências, fortalecendo conexões neurais e melhorando a retenção de informações. Para implementá-la, o ideal é utilizar flashcards, fazer perguntas a si mesmo ou realizar autoavaliações, praticando regularmente e esperando o esquecimento antes de testar-se novamente.

3. Método Feynman

É um método eficiente de aprendizado que permite compreender rapidamente um conceito, apresentando-o de maneira simples e clara. Ele se baseia na ideia de explicar algo de forma que facilite a compreensão. Para aplicar essa técnica, primeiro deve-se escrever o assunto no topo de uma folha de papel.

Em seguida, explicá-lo com suas próprias palavras, como se estivesse ensinando a uma criança, por exemplo. Depois, revise o material e identifique possíveis erros a fim de obter a resposta correta. Após isso, volte para suas anotações ou material de leitura e descubra a resposta correta.

Por fim, se houver alguma área em suas anotações em que você usou termos técnicos ou linguagem complexa, volte e reescreva essas seções em termos mais simples para alguém que não tenha a formação educacional que você tem.

? Como a neurociência pode ajudar na gestão de mudanças

4. Modo Focado e Difuso

Alternar entre os modos Focado e Difuso é uma estratégia importante para melhorar a aprendizagem, conforme apresentado no livro “Aprendendo a Aprender”, de Barbara Oakley. O modo Focado é quando nos concentramos em uma atividade específica, enquanto o modo Difuso envolve a ativação de várias áreas do cérebro para explorar memórias relacionadas ao conhecimento, permitindo que ele encontre soluções mais eficientes.

Então, o ideal é ao sentir-se empacado, pare e vá fazer outra coisa. Tome um banho, durma um pouco, caminhe, escute uma música, desenhe, toque algum instrumento, são nessas horas que nosso cérebro abre para o modo difuso e através de uma visão geral, começa a formar conexões buscando uma solução.

5. Notas Codificadas

Notas confusas podem dificultar a lembrança dos pontos importantes de uma palestra. Escrever de forma categorizada em cores é uma maneira dinâmica de organizar as informações que a pessoa está aprendendo, o que também ajuda a revisar e priorizar as ideias mais importantes.

6. Aprendizagem Espaçada

É uma estratégia eficaz para melhorar a retenção de informações ao longo do tempo. Envolve dividir o conteúdo de estudo em seções menores e distribuí-las em intervalos ao longo de um período prolongado. Isso pode ser incorporado de diferentes formas de assimilação, ora por leitura, ora por vídeoaula, como sugerido por Paul Kelly (Spaced Learning: A Harbinger of a Paradigm Shift Education).

Após entender como cada técnica funciona e quais são as melhores ocasiões para aplicar cada uma delas, o estudante pode adaptar as técnicas para sua realidade, a fim de facilitar a execução. Além disso, procurar ferramentas que auxiliem a empregá-las.

Um exemplo disso é o Anki, programa de repetição espaçada, gratuito e de código aberto, desenvolvido para ajudar os usuários a memorizar informações de maneira mais eficiente. Aplicativos como o Focus Booster ajudam a dividir o fluxo de trabalho em blocos de concentração intensa, otimizando os estudos.

Outro ponto que costumo destacar é que cada técnica é mais eficiente em uma determinada situação como, por exemplo, caso a pessoa queira digerir melhor o tempo, a técnica Feynman pode ser mais difícil comparado a uma combinação de autoexplicação e alternar os modos Focado e Difuso. Já para assuntos mais complexos que requerem muita atenção, o Método Feynman e a Aprendizagem Espaçada são mais indicados.

Nós aprendemos de maneiras diferentes e precisamos entender que as técnicas que funcionam para um, podem não ser eficientes para outros, por isso cabe ao estudante primeiro se conhecer para saber como desfrutar de cada técnica.

Assim, avalio que os principais desafios de aplicar as técnicas acima consistem em identificar o momento certo de aplicar cada uma e encontrar a que mais se encaixa em cada rotina. Afinal, nem sempre temos tempo e material para trabalhar técnicas mais complexas, e por isso precisamos adaptá-las à nossa realidade.

Após conhecer as técnicas de memorização e aprendizagem acelerada, confira outro conteúdo que ensina como montar um plano de treinamento e desenvolvimento para a sua empresa.

*Lorenzo Tessari é Chief Operating Officer (COO) da Gama Ensino, startup de tecnologia desenvolvedora de um algoritmo proprietário que identifica os gaps de aprendizado dos alunos para o direcionamento dos seus estudos.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Camila Rocha, é uma profissional experiente em publicidade. Com formação pela Fumec, ela coordena atualmente a BU de Educação na Sólides Tecnologia, onde trabalha há 6 anos. Sua expertise em liderança e estratégias de educação corporativa tem sido fundamental para impulsionar o crescimento e o desenvolvimento dos colaboradores.
Assine a nossa Newsletter