logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > RH na Prática > As principais tendências de RH

Sumário

As principais tendências de RH

Conheça as principais tendências de RH. Desde tecnologias inovadoras até estratégias de bem-estar dos colaboradores, descubra o que está guiando o futuro do trabalho e como sua empresa pode se adaptar e prosperar neste cenário em evolução.

A cada ano que passa, o mercado apresenta novidades na forma de lidar com as pessoas. Seja por influência dos avanços tecnológicos, seja por mudanças no comportamento dos consumidores e profissionais, o fato é que toda empresa precisa estar atenta às tendências de RH para se manter competitiva frente aos concorrentes.

Neste artigo, reunimos as 8 principais tendências para o ano de 2024, de acordo com o cenário que se espera do mercado. Ainda, falaremos sobre a importância de acompanhar as tendências e como fazer para adaptar a sua organização a elas. Confira!

Por que é importante acompanhar as tendências de RH?

A Gestão de Pessoas lida com um ativo altamente sensível e mutável, que são os talentos da empresa. Isso porque, pessoas mudam e evoluem a todo momento e, para garantir uma gestão de qualidade, o RH precisa entender essas mudanças para aproveitá-las de forma positiva para o negócio.

Em 2022, houve um crescimento considerável em duas práticas bastante preocupantes, que devem ser evitadas a todo nos próximos anos. 

A primeira são as demissões voluntárias, caracterizadas pelo pedido de desligamento dos profissionais por insatisfação com a organização e pela busca de uma melhor qualidade de vida e saúde física e mental. 

Nesse sentido, parte dessas pessoas buscou oportunidade em outras empresas, parte está aproveitando para tirar um período sabático, tamanho o nível de estresse atingido. Em ambos os casos, as demissões refletiram em um alto índice de turnover, gerando custos e dificuldade na manutenção da qualidade das entregas no longo prazo.

A segunda prática é o quiet quitting, que pode ser traduzido como demissão silenciosa. Apesar do nome, o colaborador não pede sua saída, porém adota um posicionamento passivo em sua rotina, limitando-se a realizar apenas o mínimo necessário de suas atividades. 

como estruturar o seu RH do zero

Aqui, o grande problema está na falta de motivação e inovação. Ademais, pessoas que adotam essa postura fazem com que a empresa fique estagnada e acabe perdendo espaço no mercado.

Quais as principais tendências do RH para 2024?

conexões de pessoas representando as principais tendências de RH para 2024

Confira as 8 tendências de RH que a sua empresa deve acompanhar bem de perto.

1. Avanços no uso da I.A no recrutamento e seleção

O processo de recrutamento e seleção está cada vez mais tecnológico. O uso de inteligência artificial seguirá avançando nessa área, trazendo soluções ainda mais automatizadas e de qualidade. 

O que antes era realizado apenas na primeira triagem de currículos poderá ser estendido até etapas mais adiantadas, como as de avaliações técnicas e comportamentais. A escolha da ferramenta certa será um importante diferencial.

2. People Analytics

O People Analytics é uma tendência que está em alta há alguns anos e tende a se manter assim. O uso de dados sobre as pessoas é uma ferramenta muito poderosa, principalmente para a análise do nível de desenvolvimento dos talentos e de satisfação e engajamento. 

Por meio dela, é possível encontrar os melhores candidatos para o preenchimento das vagas, saber quais são as competências e conhecimentos a serem desenvolvidos nos colaboradores e, até mesmo, identificar pessoas insatisfeitas a tempo de implementar ações preventivas para sua retenção.

3. Experiência do candidato

O cuidado com a imagem da empresa tem se intensificado e isso reflete diretamente no processo seletivo. A preocupação com a qualidade na experiência do candidato revela um esforço crescente em equilibrar a relação de relevância na oferta de vagas. Se antes as empresas tratavam os candidatos como parte mais interessada ou “desesperada”, essa postura não é mais aceita no mercado.

Agora, os candidatos, em especial os da geração Y, entendem que a empresa precisa ocupar a vaga tanto quanto eles precisam de um emprego e, com isso, tornaram-se mais exigentes. 

O RH precisa estar atento para entregar boas experiências, especialmente no que diz respeito aos feedbacks aos candidatos. Os melhores softwares do mercado já estão evoluindo nesse sentido, oferecendo soluções cada vez mais avançadas.

4. Lifelong learning, com foco em soft skills

O lifelong learning nada mais é do que o aprendizado contínuo. A tendência para 2023 é que as empresas invistam cada vez mais no desenvolvimento constante de seus talentos, em especial das lideranças. 

Nesse sentido, as soft skills terão um foco maior do que as hard skills, visto que os treinamentos comportamentais demandam mais esforço e dedicação. 

A qualidade do processo seletivo em relação às soft skills será ainda mais cobrada, por isso o uso de inteligência artificial e das ferramentas adequadas cumprirá um papel maior e mais relevante.

5. Anywhere office, flexibilidade de horário e autogestão

Em 2020, o mundo foi assolado pela COVID-19 e muita coisa mudou desde então. A mudança mais comentada e polêmica na Gestão de Pessoas nas empresas é o formato de trabalho. 

Hoje, muitas organizações têm adotado o anywhere office, que consiste na possibilidade oferecida aos colaboradores de trabalhar de qualquer lugar do mundo.

Além disso, algumas empresas têm atuado em um modelo híbrido, equilibrando o presencial com o remoto. O ponto é que a exigência pelo presencial está caindo em desuso e alguns profissionais não aceitam mais uma vaga nesse modelo. 

Ademais, a flexibilidade de horários e a autogestão são práticas que aumentam a confiança mútua e fortalecem a relação dos colaboradores com a organização.

6. Investimento na formação de líderes

Está cada vez mais difícil encontrar profissionais devidamente qualificados, que não estejam satisfeitos em seus empregos atuais, para ocupar posições de liderança, principalmente as mais estratégicas. 

Sendo assim, a tendência é investir na formação interna desses profissionais, preparando colaboradores que se destacam para assumir novas responsabilidades.  

7. Reskilling

O Reskilling é uma estratégia de requalificação dos colaboradores para a realização de movimentações internas. Diante da transformação digital nas empresas e a crescente demanda por profissionais com habilidades muito específicas, a prática é uma excelente alternativa para a escassez de mão de obra no mercado. 

Por meio dessa iniciativa, é possível realizar o aproveitamento de pessoal interno nos processos seletivos, reduzindo custos e aumentando a acuracidade no preenchimento das vagas. 

8. ESG: responsabilidade ambiental, social e governamental

O ESG é um conjunto de práticas mais recentemente demandadas pelo mercado, que estão relacionadas às responsabilidades ambiental, social e governamental. Existe um índice criado pela Mindminers e pelo Google que indica o nível de comprometimento de uma empresa com esses fatores. 

Além de cuidados com sustentabilidade e cumprimento da legislação, o ESG também aborda questões de cunho social, tais como as pautas de diversidade e de assistência social à comunidade do entorno da empresa. Trata-se de uma tendência que impacta bastante o clima organizacional, dentre outros fatores.

Qual o modelo de RH nos dias atuais?

Reunião de negócios com várias pessoas sentadas

O modelo de Recursos Humanos (RH) nos dias atuais é caracterizado por uma abordagem mais estratégica e integrada, focando o desenvolvimento contínuo de talentos, a experiência do empregado e a utilização de tecnologia avançada. 

Conhecido como RH Estratégico, este modelo coloca os profissionais de RH como parceiros essenciais nos negócios, contribuindo diretamente para os objetivos e sucesso da organização.

Principais características do modelo atual de RH incluem:

  • Gestão de Talentos: Enfoca na atração, retenção e desenvolvimento de talentos, alinhando as habilidades dos funcionários com as necessidades da empresa.
  • Cultura Organizacional e Engajamento: prioriza a criação de um ambiente de trabalho positivo, promovendo valores como diversidade, inclusão e bem-estar dos funcionários.
  • Digitalização e Automatização: Implementação de sistemas de informação de RH para automatizar processos e coletar dados para análise e tomada de decisão baseada em evidências.
  • Desenvolvimento e Aprendizagem Contínua: Investimento em programas de treinamento e desenvolvimento para capacitação contínua dos funcionários.
  • Gestão de Desempenho: Evolução dos sistemas de avaliação de desempenho para modelos mais contínuos e integrados, focando no desenvolvimento e no feedback regular.
  • Flexibilidade e Trabalho Remoto: Adaptação às novas formas de trabalho, incluindo opções de trabalho remoto e horários flexíveis.
  • Saúde e Segurança no Trabalho: Aumento do foco na saúde mental e física dos funcionários.

Quais as 3 principais características do RH?

Imagem representando a importância das tendências de RH nas empresas

As três principais características do RH (Recursos Humanos) na atualidade são:

  • Foco Estratégico

O RH moderno vai além das funções administrativas e operacionais, contribuindo ativamente para a estratégia de negócios da empresa. Isso inclui alinhar as políticas de gestão de pessoas com os objetivos organizacionais, identificar talentos que possam impulsionar a empresa para frente e desenvolver planos de carreira que ajudem a reter esses talentos.

  • Uso de Tecnologia e Análise de Dados

A digitalização transformou o RH, permitindo o uso de softwares avançados para gerenciamento de informações de funcionários, recrutamento, treinamento e desenvolvimento. Além disso, a análise de dados se tornou essencial para tomar decisões baseadas em evidências, avaliar a eficácia das políticas de RH e melhorar a experiência do funcionário.

  • Enfoque na Experiência do Empregado e Bem-Estar

Atualmente, há um reconhecimento crescente da importância do bem-estar e da satisfação dos funcionários para o sucesso da empresa. Isso inclui criar uma cultura positiva de trabalho, promover a diversidade e inclusão, oferecer flexibilidade e suporte para equilibrar vida pessoal e profissional, e investir no desenvolvimento profissional contínuo dos empregados.

Essas características refletem uma abordagem mais holística e integrada à gestão de pessoas, essencial para atrair, reter e desenvolver talentos em um ambiente de trabalho cada vez mais competitivo e dinâmico.

7 principais tendências do mercado de trabalho

Imagem representando as principais tendências de RH na área de gestão de pessoas

Para ajudar os gestores das consultorias, e os profissionais de RH, listo neste artigo as cinco principais tendências em Recrutamento e Seleção, para ficar de olho em 2024. Vamos lá?

Recrutamento e seleção remoto

O home office não é uma novidade, mas foi uma alternativa amplamente utilizada pelas empresas para manter os funcionários trabalhando.

Em geral, o recrutamento e seleção remoto, que ganhou força no passado, veio para ficar este ano. Entrevistas e dinâmicas em grupo por videoconferência são uma aposta mesmo que os escritórios voltem a funcionar.

Treinamentos online

Outro resquício de anos anteriores, são os treinamentos virtuais. É importante que os profissionais de RH que atuam em consultorias, recebam orientações e aulas de capacitação, a fim de se tornarem profissionais mais completos e alinhados com as expectativas do mercado, para aumentarem a competividade dos negócios.

Além disso, com o impacto do isolamento social, uma alternativa para facilitar essa operação é preparar materiais pré-gravados e disponibilizá-los de maneira online, para permitir o acesso de qualquer lugar e horário.

Aplicação do Social Hiring – Essa é uma das ideias mais promissoras para as empresas escolherem os funcionários certos. Isso porque o Social Hiring tem relação direta com o modo que a companhia é vista pelo pelos seus empregados.

Basicamente, é a aplicação de conceitos do marketing para escolher os candidatos que mais se encaixam nos perfis procurados. Por isso, é essencial trabalhar a imagem da empresa não apenas para os clientes, mas também para os candidatos às vagas em aberto.

Experiência do Candidato

Para completar a jornada do candidato à vaga em aberto, é preciso também levar em consideração a sua experiência em todo o processo de recrutamento e seleção, da pré-seleção até a efetivação ou não no cargo.

Assim como a Experiência do Consumidor (CX) já vem sendo aplicada por várias empresas nos processos de vendas, por exemplo, a experiência do candidato está se tornando obrigatória entre as consultorias de RH para garantir que os melhores talentos não sejam perdidos, ou que desistam antes dos processos de R&S terminarem.

Para isso, apresentar informações claras sobre as vagas e as etapas de seleção de pessoas, criar um ambiente harmonioso durante as entrevistas, obedecer aos cronogramas estabelecidos e dar feedbacks, mesmo quando o candidato não consegue a vaga, são dicas-chaves para que os candidatos não se sintam frustrados e tenham a melhor experiência possível.

Leia também:

Benefícios para atrair talentos

As prioridades dos funcionários estão mudando, incluindo salários e benefícios, com a inflação desempenhando um papel fundamental nisso. Isso vale para todos os empregos, não apenas aqueles que tradicionalmente oferecem benefícios. O acesso à cobertura de saúde mental, por exemplo, está crescendo em todos os setores econômicos.

Outra pesquisa recente realizada pelo Indeed no Brasil² revelou que 69% dos entrevistados consideram benefícios como plano de saúde, auxílio transporte, alimentação e licença parental como os fatores mais importantes para aceitar uma oferta de emprego. 

Os benefícios, portanto, fornecem aos empregadores maneiras de diferenciar suas organizações e tornar suas ofertas de emprego mais poderosas.

Felicidade e bem-estar importam

A cultura da empresa provou ser valiosa para atrair e reter funcionários e pode ser usada como uma estratégia para os empregadores se diferenciarem ainda mais de seus concorrentes. 

Um estudo recente do Indeed nos EUA descobriu que 46% das pessoas dizem que suas expectativas de felicidade no trabalho aumentaram no ano passado e 86% dizem que o modo como se sentem no trabalho afeta como se sentem em casa.

Orientados pelos principais especialistas em felicidade e bem-estar, os dados de felicidade no trabalho do Indeed apresentam as principais dimensões que contribuem para o bem-estar: pertencimento, inclusão, flexibilidade, confiança, valorização, crescimento, inteligência emocional, compensação justa, energia, satisfação, tranquilidade, realização e senso de propósito.

Mudanças na força de trabalho promovem diversidade, equidade e inclusão

Diversidade, Equidade e Inclusão (DEI) permanecerão top of mind, pois os funcionários continuam a se preocupar profundamente com essas iniciativas. 

De acordo com pesquisa realizada pelo Indeed no Brasil, 56% dos entrevistados considerariam mudar de emprego devido a discriminação ou assédio, consigo mesmo ou com outras pessoas no ambiente de trabalho.

A promoção de políticas e programas para a participação e valorização desses grupos em diferentes áreas, cargos e funções envolverá também formações, experiências, habilidades e conhecimentos diversos, potencializando a capacidade de inovação e cooperação das equipes e da organização como um todo.

Criar uma equipe dedicada ao desenvolvimento de DEI é uma forma de exercitar práticas de diversidade. Essa equipe pode analisar a situação atual da empresa e estabelecer iniciativas em direção a um ambiente inclusivo. É importante incluir funcionários de todos os níveis e formações para garantir que a equipe seja a mais diversificada possível.

Análises de Competências Interpessoais

Qualidades interpessoais são uma crescente exigência dos recrutadores. Ainda que não seja simples encontrar maneiras de medir a empatia ou a resiliência de um candidato no processo de seleção, é evidente a importância de tais qualidades.

Ainda mais quando falamos de novos modelos de trabalho que estão sendo aplicados, como o Home Office, que demanda características dos candidatos, como organização e proatividade. A aposta é que a busca por candidatos com inteligência emocional, para trabalhar de casa, na empresa ou no modelo híbrido, seja cada vez maior.

Nesse caso, o emprego de análises gestuais e da leitura de emoções, realizadas por softwares munidos de IA, estão ganhando cada vez mais atenção das consultorias de RH. Essas análises ajudam os recrutadores a identificar comportamentos que dizem sobre a personalidade dos candidatos, permitindo seleções mais assertivas.

Quais são as 10 tendências globais na gestão de pessoas?

Pessoas discutindo um currículo, na área de RH

O mundo tem mudado em uma velocidade ímpar e as empresas têm vivido momentos disruptivos e inéditos.

A evolução da tecnologia digital, a rápida inovação nos modelos de negócios, a alteração na relação empregador e empregado e as mudanças demográficas tem resultado em transformações significativas para a gestão de pessoas

Para acompanhar essas mudanças, a Deloitte Consultoria vem apresentando ao mundo, por alguns anos, a pesquisa “Tendências Globais de Capital Humano”. Em sua última versão, a partir de mais de 7 mil respostas de gestores de RH e de negócios de 130 países, foram observadas as 10 tendências de cultura e estrutura organizacional.

Segundo a Deloitte, “mudanças globais pressionam as empresas a reajustarem as forças de trabalho, o ambiente organizacional e, até mesmo, a forma de trabalhar. 

Após anos focados em engajamento e retenção de profissionais, desenvolvimento de liderança e disseminação de uma cultura, os executivos veem agora a necessidade de redesenhar as organizações”.

Veja a lista de pontos abordados pela pesquisa, pela ordem de importância segundo os respondentes.

Desenho organizacional – a ascensão das equipes

Os mercados globais em rápida mutação e a revolução digital forçaram as empresas a inovarem rapidamente, adaptar seus produtos e serviços e ficar mais perto do que nunca de seus clientes. 

Por isso, 92% das empresas acreditam que é necessário redesenhar a organização. Empresas estão descentralizando a autoridade e formando redes dinâmicas de equipes altamente capacitadas.

O despertar da liderança – gerações, equipes e ciência

A liderança continua a ser uma preocupação. Os desafios empresariais crescem e com isso aumenta a necessidade do desenvolvimento de liderança. 

Equipes que misturam diferentes gerações e formações de líderes têm alcançado melhores resultados e não existe mais espaço para a liderança que aprende exclusivamente sozinha com a experiência vivenciada. 

As empresas têm procurado líderes mais capacitados em gestão de pessoas e por isso vêm aumentando o investimento em programas de treinamentos para esse público.

Nova cultura – foco em estratégia

A cultura tornou-se um dos temas de negócio mais importantes. Oe gestores enfim passaram a reconhecer que a cultura impulsiona o comportamento das pessoas, a inovação e o atendimento ao cliente. 

A cultura é uma potencial vantagem competitiva, devido a isso, as empresas de destaque estão usando dados e informações comportamentais para gerenciar e influenciá-la.

Engajamento – sempre ligado

O envolvimento dos funcionários continua a ser um desafio para as empresas. E o engajamento têm se tornado um resultado do ambiente de trabalho mais flexível, centrado nos empregados, com foco na escuta de funcionários, e na saúde e bem-estar da força de trabalho.

Aprendizado – profissionais assumem o controle

A pressão sobre as organizações para incentivar o desenvolvimento continua. Para intensificar, os avanços tecnológicos estão levando as empresas a desenvolverem novas formas de fomentar uma cultura de aprendizagem que vai além dos programas internos de educação formal.

Design thinking – como melhorar a experiência do funcionário

O objetivo agora é projetar experiências de trabalho que sejam significativas, atraentes, agradáveis e simples. 

Assim, o design thinking aparece como uma forma de facilitar os métodos de trabalho para apoiar o funcionário a focar no que realmente importa entre as muitas demandas de informação, sendo assim mais produtivo e engajado.

RH – inovação e maior visão estratégica

Os RHs estão sob crescente pressão dos líderes empresariais para aumentar o alinhamento com a estratégia da empresa e buscar a inovação em seus processos e ações.

People analytics – como ganhar agilidade nas decisões

Dicas de tendências de RH

A revolução das métricas em gestão de pessoas está ganhando velocidade. Para oferecer a mais alta qualidade de serviço ao cliente e inovação, tudo pode ser observado pela análise dos indicadores de pessoas. A utilização de dados é, atualmente, um fator crucial para decisões relacionadas à força de trabalho.

Descubra o poder do People Analytics! Aprenda estratégias baseadas em dados para impulsionar o desempenho organizacional, no curso gratuito na Escola de Pessoas.

RH digital – revolução ou evolução?

O mundo totalmente digital está mudando a forma como vivemos, como trabalhamos e como os negócios tem buscado seus resultados. O RH pode ajudar os funcionários a adquirirem uma mentalidade digital, capaz de gerenciar e organizar suas atividades além de revolucionar a experiência de todo o pessoal através da transformação de processos, sistemas e organização do próprio RH através de novas plataformas digitais, aplicativos e formas de fornecer seus serviços internamente.

Gerenciamento da mão de obra – a economia do freelancer

A força de trabalho corporativa está mudando para o crescente uso de trabalhadores freelances. As empresas estão cientes de que muitos dos melhores talentos estão dispostos a trabalhar dessa forma – sem vínculos tradicionais – e não olhar para isso pode significar perder grandes oportunidades.

Conclusão: Como se adaptar às tendências do futuro do RH?

Como vimos, boa parte das tendências já são conhecidas de anos anteriores, o que muda é o enfoque de cada uma delas e as inovações que foram ocorrendo ao longo do tempo. 

Para se adaptar a elas, é preciso acompanhar os principais movimentos do mercado e se abrir para o novo. Quem se inscreve na nossa newsletter e acessa com frequência o RH Portal fica por dentro de tudo.

Outra dica é participar dos principais eventos do setor de Gestão de Pessoas e buscar informações sobre as novas tecnologias e metodologias. Informar-se é a chave para seguir as tendências de RH e garantir o sucesso da sua empresa.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Gerente de RH da Sólides Tecnologia, com mais de 15 anos de experiência em segmentos de varejo e tecnologia. Atuação em diversas áreas da gestão de pessoas, como Treinamento, Desenvolvimento, Recrutamento, Seleção, Departamento Pessoal, Remuneração e Performance. MBA em Gestão Estratégica de Negócios Especialista em Psicologia Organizacional Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching Psicóloga
Assine a nossa Newsletter