logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Tipos de cultura organizacional - Descubra quais são e como identificar

Sumário

Home > Artigos > Clima Organizacional > Tipos de cultura organizacional – Descubra quais são e como identificar

Tipos de cultura organizacional – Descubra quais são e como identificar

Entenda o conceito e os tipos de cultura organizacional para compreender quais são os melhores colaboradores para a sua gestão, de acordo com valores e princípios.

No mundo dos negócios, os tipos de cultura organizacional traduzem a maneira como a empresa lida com determinadas situações como competitividade, metas, criatividade, gestão de pessoas e outros aspectos.

Para o sucesso da organização é mais do que necessário que os colaboradores estejam de acordo com os valores e perspectivas da empresa, caso contrário, pelos corredores serão encontrados profissionais desmotivados, pouco produtivos e acomodados.

Por isso, para que boas contratações e resultados sejam oferecidos, os tipos de cultura organizacional deve ser um dos conceitos mais compreendidos pelo gestor.

Neste post, abordaremos em detalhes os tipos que existem, suas vantagens e claro, como você pode identificar a cultura da sua empresa. No final, apresentamos dois exemplos de grandes empresas e suas aplicações de valores e princípios.

Boa leitura!

O que é e quais são os tipos de cultura organizacional?

YouTube video

Nas empresas, a cultura organizacional representa o conjunto de comportamentos, crenças, valores e hábitos compartilhados. Esses fatores imprimem uma espécie de “identidade” na organização e funcionam como uma referência. Além disso, mostram o que é apropriado ou inapropriado no ambiente de trabalho.

Nesse sentido, o que define a cultura de uma empresa são os valores e princípios, já que são eles que determinam como a empresa deve realizar seus processos e conduzir os negócios. O que acaba norteando o processo de gestão e o planejamento estratégico.

Banner artigo_Material-RH Humanizado

Além disso, o papel da cultura organizacional é “para grupos e organizações o mesmo que o caráter representa para os indivíduos”. A frase se tornou célebre graças ao livro “Organizational Culture and Leadership”, escrito por Edgar Schein. O psicólogo que se tornou uma das grandes referências teóricas no assunto.

Os quatro tipos de cultura organizacional são focados em cenários específicos, como:

  • Realização de tarefas e cumprimento de metas;
  • Enrijecida, focada na burocracia e hierarquia;
  • Empresa focada em resultado e que estimula os colaboradores a competirem entre si;
  • Organizacional centrada nas pessoas e que tem como foco a valorização dos colaboradores.

No próximo tópico, falaremos com mais detalhes sobre cada um desses tipos de culturas organizacionais.

Quais os tipos de cultura organizacional?

Outro teórico, Charles Handy, definiu alguns tipos de cultura organizacional, totalizando 4, comum às empresas, baseado no pensar, sentir e agir de todas as pessoas que integram o negócio.

Abaixo abordaremos os tipos de cultura organizacional e suas características:

1 – Cultura de tarefas:

A cultura organizacional focada na cultura de tarefas visa a realização das atividades cotidianas, ou seja, nos projetos.

Por isso, dentro desta cultura organizacional os colaboradores tendem a serem mais eficazes em suas funções. Além disso, ela é flexível e valoriza a criatividade para resolver problemas.

Por fazer as contratações de profissionais especialistas em suas respectivas áreas, a empresa tende a permitir que os colaboradores atuam com maior liberdade focado na solução do problema.

Cabe aos gestores manter o time engajado e motivado a buscarem pelos resultados, oferecendo ferramentas e regras que valorizam a criatividade já que o mais importante são as metas batidas.

2 – Cultura de papéis:

Cultura de papéis: foca no desempenho dos colaboradores e deixa claro quais são as funções de cada um, de acordo com o texto e a posição hierárquica.

A cultura de papéis foca no desempenho dos colaboradores e deixa claro quais são as funções de cada um, de acordo com o texto e a posição hierárquica.

É comum ver esse tipo de cultura organizacional em empresas vistas como tradicionais, onde os processos ainda são enrijeçamos e burocráticos. Portanto, as ações na organização são poucos ou nada flexíveis e novas ideias não são valorizadas.

Portanto, dentro deste modelo de organização não obter tanto destaque no seu segmento, já que ousar e fazer coisas diferentes que o mercado oferece não é tão comum e pouco valorizado.

Além disso, os colaboradores que ingressam dentro deste modelo de negócio estão frequentemente desmotivados e tendem a serem pouco produtivos, já que o objetivo é se manter executando a mesma atividade, acomodados, sem nenhum plano de carreira.

Empresas de grande porte e com fluxos de trabalhos rígidos tendem a adotar esse modelo de cultura, pois o foco principal é evitar erros e possíveis acidentes, evitando integrações entre setores e profissionais, o que dificulta a comunicação interna.

Saiba mais:

3 – Cultura do poder:

Geralmente, é aplicada em empresas menores, onde a gestão é bem centralizada. Apesar de ultrapassado, é um dos tipos de cultura organizacional nas empresas mais adotados.

No geral, a liderança é feita por uma única pessoa, geralmente o dono da organização ou um gerente. Para obter o resultado, para a empresa, não tem problema gerar competição entre os próprios colaboradores, mesmo que o clima organizacional decaia.

Assim, as equipes não pensam no coletivo e no resultado final da meta, mas sim na individualidade de cada um, mesmo que seja preciso faltar com os princípios éticos e profissionais, gerando um desgaste importante no clima organizacional.

Naturalmente, diante de uma competição nada saudável, os conflitos internos se tornam uma desvantagem que limita o crescimento do negócio, além de prejudicar o desenvolvimento das habilidades e competências individuais do time, pois existem barreiras para atitudes inovadoras.

Além disso, a meritocracia aqui é pouco ou nada aplicada, os prêmios não são dados de acordo com o desempenho, mas, sim de acordo com nível de intimidade e interação com o líder.

É comum ver essas empresas tendo um crescimento inicial, porém, ele é momentâneo, já que os conflitos constantes impedem o desenvolvimento da organização.

4 – Cultura das pessoas:

Cultura das pessoas: ipo de cultura organizacional, com o foco na cultura das pessoas. Ela estabelece uma relação entre a gestão

Por fim, temos o último tipo de cultura organizacional, com o foco na cultura das pessoas. Ela estabelece uma relação entre gestão e cultura e, por isso, costuma ser uma opção positiva para as empresas, como é o caso das startups.

Aqui o foco é estimular:

O ponto forte deste tipo de cultura está na gestão de pessoas, pois as pessoas são a prioridade para o desenvolvimento do negócio. Os colaboradores são valorizados e incentivados a apresentarem suas ideias.

Além disso, cada cargo e setor tem um plano de carreira e, por isso, é comum ver gestores apostando na retenção de talentos e na formação de líderes. O trabalho aqui é autogerenciado, onde todos os colaboradores compartilham da responsabilidade de executar tarefas.

Quais são as vantagens de uma cultura organizacional forte?

Ao demonstrar padrões de comportamento, indicando o que é bem-vindo e o que não é tolerado, a cultura organizacional promove benefícios para as organizações. Alguns deles são:

Qualidade do clima organizacional:

Independente de estimular a individualidade e a competitividade ou incentivar a cooperação e o apoio mútuo, a cultura estabelece coerência e implementa padrões na empresa. Essa uniformidade na conduta dos profissionais permite o desenvolvimento de ações capazes de minimizar conflitos. 

Nesse sentido, a forma semelhante de pensar e agir cria um referencial para os colaboradores. As divergências continuarão a existir, claro, mas os profissionais terão fundamentação e apoio para buscar soluções entre seus pares.

Portanto, uma cultura organizacional coerente e forte gera:

Reforça o employer branding e a atração de talentos:

A cultura corporativa, quando coerente, melhora a reputação das empresas como um bom lugar para trabalhar. Assim, o público externo e o interno conseguem identificar vantagens em fazer parte da organização. 

A cultura é um elemento de coesão e contribui para a identificação do profissional com a empresa. Assim, ao compartilhar dos mesmos princípios, a imagem empregadora se fortalece.

A atração de talentos é apenas uma consequência. Ao fim, os profissionais se comportam como embaixadores da marca. 

Saiba mais! Aprenda como você pode implementar uma etapa de Fit Cultural na seleção de candidatos e no próprio dia a dia da empresa.

Faça nosso curso gratuito clicando aqui.

Aumenta a produtividade:

Aumenta a produtividade: O senso de pertencimento proporcionado pela cultura organizacional torna as pessoas parte do negócio

O senso de pertencimento proporcionado pela cultura organizacional torna as pessoas parte do negócio. Dessa maneira, há forte senso de igualdade, resultando em aumento da motivação e maior engajamento. 

Em um cenário como esse, os profissionais defendem os ideais e valores encabeçados pela empresa. Assim, dedicam-se mais, são mais produtivos e o negócio prospera. 

Processos de recrutamento e seleção mais eficientes:

O perfil ideal é aquele que atende aos requisitos e expectativas da organização. Mas ele deve estar alinhado com a cultura da empresa. Afinal, o fit cultural é indispensável na contratação.

Outra vantagem é tornar mais eficiente a comunicação com potenciais colaboradores e a divulgação de vagas.  

Como identificar o tipo de cultura da sua empresa?

Após conhecer os benefícios da cultura organizacional, é interessante identificar em qual tipo seu negócio se enquadra. Então, veja um passo a passo.

– Defina missão, visão e valores:

Esses três aspectos são a base para a cultura organizacional de uma empresa. Sendo que a missão é o motivo da existência do negócio. A visão representa aonde ele quer chegar em determinado intervalo de tempo. Por fim, os valores são as características que orientam as relações de trabalho. 

É esse trinômio que orienta a organização e faz com que ela se posicione estrategicamente para enfrentar o mercado. Portanto, informe os clientes e colaboradores a respeito do que a empresa acredita.

Analise objetivos:

Estabeleça propósitos a curto e longo prazo, identificando como os processos internos ocorrem. Vale conhecer como os colaboradores reagem às mudanças e o que eles fazem para atingir metas. 

Ainda, analise se os propósitos estão em conformidade com a missão, visão e valores. Do contrário, é necessário revisá-los. 

Conheça as dinâmicas da empresa e o que ela mais valoriza:

Observe o ambiente de trabalho e descubra como colaboradores e líderes se comportam. Avalie quais princípios guiam as condutas individuais e coletivas. Por fim, entenda como as pessoas se relacionam. 

Descubra o que a empresa valoriza mais: os resultados, as pessoas ou a hierarquia entre os cargos? Encontrando essas respostas, compare-as com os 4 tipos de cultura definidos por Charles Handy. 

Faça pesquisas internas:

Faça pesquisas internas: Invista em avaliações de desempenho para verificar se há alinhamento entre a cultura e as pessoas

Invista em avaliações de desempenho para verificar se há alinhamento entre a cultura e as pessoas. Elas também apontam lacunas existentes entre os objetivos estabelecidos e as competências profissionais. 

Conheça 2 exemplos de cultura organizacional

Para fechar esse conteúdo, apresentamos duas empresas que fazem sucesso no mundo corporativo. Ambas são exemplos positivos de uma cultura organizacional forte e positiva que representa o lugar dos sonhos para muitos profissionais.

Netflix:

A cultura da Netflix da liberdade com responsabilidade é referência no mundo todo. A empresa aposta na capacidade dos colaboradores em responder por suas atitudes e permite que assumam responsabilidades. 

O foco está nas pessoas e na capacidade delas de alcançar resultados sem depender das horas trabalhadas. Ademais, há estímulo à autonomia e as decisões são coletivas. 

Tipo de cultura organizacional do Google:

A cultura organizacional do Google incentiva a colaboração e promove o trabalho em equipe. Para isso, a empresa investe em refeições gratuitas, espaços de convivência e escritórios pet friendly. Além disso, as salas são amplas e movimentadas. Ainda, líderes, colaboradores e estagiários trabalham em ambientes compartilhados. 

Trata-se de atitudes simples, porém que promovem a motivação e a interação entre todos, resultando em satisfação aos colaboradores. Assim, eles percebem que fazem parte do negócio.

Conclusão

Por fim, podemos dizer que a cultura organizacional é um elemento fundamental que molda a identidade e o funcionamento de uma empresa. A compreensão dos diferentes tipos de cultura, oferece uma visão abrangente das dinâmicas internas que podem prevalecer em uma organização.

Cultivar uma cultura organizacional forte traz inúmeras vantagens, desde a melhoria do clima organizacional até a atração de talentos, aumento da produtividade e eficiência nos processos de recrutamento e seleção. Por isso, identificar o tipo de cultura da empresa é uma etapa crucial para promover mudanças positivas.

Dois exemplos notáveis de cultura organizacional são a Netflix e o Google. A Netflix destaca-se por sua cultura centrada na liberdade e responsabilidade, enquanto o Google é conhecido por sua cultura inovadora e orientada para a colaboração.

Esses casos ilustram como a cultura organizacional pode ser um fator diferenciador no sucesso e na identidade de uma empresa no cenário empresarial contemporâneo.

Assine a nossa Newsletter