logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Clima Organizacional > Trabalho excessivo: como evitar que aconteça na empresa?

Sumário

Trabalho excessivo: como evitar que aconteça na empresa?

Entenda como o esgotamento dos profissionais pode prejudicar os resultados da empresa!

Toda empresa precisa de resultados diferenciados e de profissionais engajados para se destacar em um ambiente competitivo como o mercado atual. A cobrança por metas, resultados, entregas e produtividade tem sido uma constante em muitas empresas, mas até que ponto o excesso de demandas pode ser um tiro no pé? O trabalho excessivo pode acabar trazendo mais problemas do que soluções.

Por isso, nesse artigo te convido a refletir sobre como evitar que isso aconteça na empresa. Vamos lá?

evento voltado para profissionais de RH e DP

O legado da pandemia

Com a pandemia todos sofremos diversas dificuldades e muita coisa mudou. Aprendemos a nos adaptar rapidamente a novos formatos de trabalho e a lidar com situações inusitadas e adversas quase que diariamente. Trabalhamos a resiliência, flexibilidade e inovação em uma velocidade nunca vista antes.

Isso foi um desafio gigantesco, mas também um momento de aprendizado intenso, embora não intencional. Com o advento do formato home office em larga escala, de um lado haviam as lideranças receosas quanto à produtividade e do outro profissionais preocupados em apresentar entregas 24 horas por dia, incluindo finais de semana, no intuito de não perderem seus empregos no caso do gestor entender que ele não “produzia tão bem” nesse novo formato.

Algumas empresas adotaram a prática de reuniões diárias, intensas e até mesmo improdutivas, às vezes só para ter a sensação de que não estavam distantes fisicamente ou para poder acompanhar bem de perto as atividades de suas equipes, exercendo de certa forma um estilo de gestão bastante desmotivador: o do micro gerenciamento.

Acontece que isso gerou problemas, inclusive algo que ficou conhecido como “a fadiga do zoom”, um cansaço mental proveniente de reuniões imensas, com pouco ou nenhum intervalo, um termo que surgiu a partir de estudos da Universidade de Stanford nos Estados Unidos.

Essa sensação de mal-estar é sinal de um esgotamento por trabalho excessivo e pode levar a quadros ainda mais sérios como a síndrome de burnout, que segundo a OMS se trata de uma “síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito”.

Banner artigo_Material-RH Humanizado

Portanto, tornar o trabalho excessivo algo aceitável na empresa pode influenciar negativamente o bem-estar e a saúde mental das equipes.

O que o trabalho excessivo pode causar?

Acima, citamos a síndrome de burnout como um problema comum relacionado ao trabalho excessivo. Agora, vamos listar em detalhes as consequências de uma jornada de trabalho que vai além do adequado. Veja:

Estresse crônico

Sobrecarga de tarefas e prazos apertados podem levar a níveis elevados de estresse.

Esgotamento

O trabalho constante sem tempo adequado para descanso pode resultar em síndrome de burnout, caracterizado por exaustão física e emocional.

Problemas de saúde física

A falta de tempo para cuidar da saúde pode levar a problemas como falta de sono, má alimentação e falta de exercício, contribuindo para doenças físicas.

Problemas de saúde mental

O estresse prolongado pode desencadear problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.

Redução da produtividade

Trabalhar excessivamente não garante aumento de produtividade; pelo contrário, pode resultar em queda na qualidade do trabalho devido à fadiga.

Deterioração dos relacionamentos

A falta de tempo para a família e amigos pode prejudicar relacionamentos pessoais, causando isolamento social.

Falta de equilíbrio

A incapacidade de equilibrar a vida profissional e pessoal pode resultar em insatisfação geral e impactar negativamente a qualidade de vida.

Perda de criatividade e inovação

trabalhadora cansada

O cansaço extremo pode inibir a criatividade e a capacidade de inovação.

Aumento do absenteísmo

O esgotamento pode levar a mais faltas no trabalho devido a problemas de saúde física e mental.

Risco de acidentes e erros

A fadiga resultante do excesso de trabalho pode aumentar a probabilidade de acidentes e erros no ambiente de trabalho.

Ou seja, equilibrar a carga de trabalho e cuidar da saúde mental e física é fundamental para promover um ambiente profissional saudável e sustentável.

Leia mais:

Quais os aspectos negativos do trabalho excessivo na prática?

pessoa cansada do trabalho excessivo

Além da questão da saúde mental, que é a mais grave do ponto de vista humano, temos outras situações em que o trabalho excessivo pode ser desfavorável:

1. Inovação em baixa

Criatividade e inovação são competências essenciais no modelo de mercado atual. Ambas estão separando as empresas que decolam daquelas que morrem. Todavia, para que inovação possa surgir e a criatividade possa fluir é essencial um ambiente favorável, com autonomia e tempo para amadurecer ideias.

Um ambiente de cobrança excessivo, extremamente focado em metas e com prazos apertados certamente não permite que a inovação seja uma prioridade.

2. Turnover em alta

Talentos são disputados e quando percebem seu real valor tendem a escolher muito bem aonde querem seguir carreira. Costumam considerar vários aspectos ao decidir permanecer em uma determinada empresa. Portanto, qualidade de vida passou a ser um diferencial competitivo.

As empresas que apoiam, ainda que de forma sutil, uma postura de produtividade tóxica a partir do trabalho excessivo, certamente vão perder vantagem competitiva e sofrer danos em sua marca empregadora. A produtividade tóxica se caracteriza pela sensação de culpa quando não se está produzindo o tempo todo, como se fôssemos uma máquina, portanto isso não é saudável.

É importante estabelecer limites e também perceber quando a liderança está valorizando esse comportamento, que na verdade é totalmente desalinhado com bem-estar e produtividade, uma vez que com o passar do tempo a consequência pode ser a necessidade de afastamento desse colaborador por depressão, ansiedade, crise do pânico ou até o pedido de demissão dessa pessoa.

3. Falta de planejamento adequado

Excesso de demandas e trabalho excessivo pode significar que tudo que aparece é urgente, ou seja, o foco fica sempre no agora, em apagar incêndios. Isso deixa de lado planejamento e direcionamento futuro, o que pode prejudicar muito uma empresa.

4. Clima organizacional afetado

Obviamente, em um ambiente onde a pressão é constante e o trabalho excessivo é algo valorizado e as relações tendem a sofrer impactos negativos. As pessoas ficam mais irritadas, agressivas e o clima organizacional pode ficar abalado.

Aprenda mais. Inscreva-se em nosso curso gratuito Saúde Emocional e Bem-estar e veja como cuidar dos colaboradores da sua empresa!

Como evitar o trabalho excessivo na empresa?

É importante ter um bom planejamento de organização no meio laboral da empresa para que o trabalhador esteja o mais imune possível ao trabalho excessivo. Certas ações podem ser tomadas para que se evite o excesso de trabalho:

  • Investimento nas novas tecnologias;
  • Elaboração de cronogramas;
  • Delimitação de tarefas;
  • Treinamento para os funcionários;
  • Estímulo à saúde mental;
  • Inventivo à atividades físicas

Estas são algumas ações que podem ser feitas para que o trabalho em excesso numa empresa seja evitado e o ambiente seja, além de mais confortável, se torne mais produtivo para os funcionários, impactando também no desenvolvimento da empresa.

Como lidar com o trabalho excessivo?

trabalho excessivo cansaço

Na minha percepção, o “segredo” está no EQUILÍBRIO. Manter a entrega de resultados, mas de forma sensata, sem valorizar o trabalho excessivo. Está também no desenvolvimento de autoconhecimento que nos permite perceber até que ponto conseguimos atender as demandas e pressões e como reagimos a elas.

E está, certamente, no desenvolvimento de algumas competências, especialmente por parte da liderança, entre elas a inteligência emocional que nos ajuda a gerenciar as nossas emoções e as dos demais de forma mais produtiva, exercendo empatia e priorizando um estilo de gestão mais inspirador, o da liderança humanizada.

Também é sábio fazer uma boa gestão do tempo na sua equipe, perceber os gaps nesse aspecto, redirecionar demandas, estabelecer prioridades, automatizar o que for possível, delegar tarefas, evitar reuniões intermináveis e improdutivas e valorizar o bem-estar que não é alcançado quando se tem demandas exageradas e trabalho excessivo, mal distribuído e mal gerenciado.

Outras estratégias positivas são: propor ações de bem-estar com o sessões de shiatsu, por exemplo, criar um ambiente mais harmônico onde as pessoas possam interagir e falar sobre coisas não relacionadas ao trabalho, ouvir as necessidades das pessoas, melhorar a comunicação interna, ter algum tipo de canal aberto na empresa para as pessoas poderem trocar sobre ansiedade, estresse, saúde mental, incentivar a prática de exercícios ou técnicas de relaxamento e realmente tentar respeitar ao máximo a jornada de trabalho acordada entre empresa e colaborador.

Entendendo que esse equilíbrio entre vida pessoal e profissional é a forma mais saudável e assertiva de buscar resultados para a empresa, sem prejudicar sua maior vantagem competitiva: os seres humanos.

Conclusão

Sem dúvida, evitar o trabalho excessivo nas empresas é crucial para promover a saúde e o bem-estar dos colaboradores, além de contribuir para o sucesso sustentável das organizações. Ao cultivar um ambiente de trabalho equilibrado, as empresas podem colher os seguintes benefícios:

  • Saúde e satisfação dos funcionários: ao evitar o excesso de trabalho, as empresas investem na saúde física e mental de seus colaboradores, promovendo satisfação e engajamento;
  • Produtividade sustentável: um equilíbrio adequado entre trabalho e vida pessoal contribui para uma produtividade mais consistente e de alta qualidade, evitando a queda de desempenho associada à fadiga;
  • Mais criatividade: funcionários descansados e com mente saudável são mais propensos a serem criativos e inovadores, impulsionando a evolução e a competitividade da empresa;
  • Retenção de talentos: ambientes que valorizam o equilíbrio entre trabalho e vida têm maior probabilidade de reter talentos, pois os funcionários se sentem mais apreciados e respeitados;
  • Redução do absenteísmo: evitar o trabalho excessivo ajuda a reduzir o absenteísmo relacionado à saúde, resultando em equipes mais presentes e consistentes;
  • Clima organizacional positivo: empresas que promovem um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal geralmente cultivam um clima organizacional positivo, promovendo a colaboração e a harmonia, além de demonstrar mais responsabilidade social.

Ou seja, priorizar o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal não apenas beneficia os funcionários individualmente, mas também fortalece a empresa como um todo, promovendo um ambiente saudável, sustentável e propício ao sucesso a longo prazo.

O que achou desse artigo? Deixa aqui seu comentário!

Além disso, envie para outras pessoas que possam se interessar pelo assunto!

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Valesca Rodrigues é Mentora de Carreira e de Liderança, consultora em elaboração de currículo, entrevista simulada e edição de perfil Linkedin. Pedagoga, Pós graduada em Gestão de Pessoas, com formação executiva em Coaching e Mentoring pela FGV.
Assine a nossa Newsletter