Artigos

Treinamento e capacitação de colaboradores dentro da empresa

capacitação dos colaboradores

A constante transformação na sociedade atual vem provocando uma dificuldade na gestão de pessoas, gerando uma demanda cada vez mais desafiadora, tornando o treinamento e capacitação de colaboradores na empresa um fenômeno cada vez mais importante. Neste cenário, aspectos como globalização, terceirização, avanços tecnológicos e a automação têm resultado em uma necessidade na constante qualificação profissional.

Para o desenvolvimento da empresa, é de suma importância uma equipe de colaboradores que estejam preparados para atingir os objetivos da empresa. Entretanto, a falta de treinamento e desenvolvimento de funcionários é a deficiência que muitas organizações enfrentam, tornando-os despreparados para executar os cargos que lhes são ofertados, levando em muitos casos ao desemprego e falência de empresas.

Nova call to action

Sendo assim, a qualificação é indispensável para a realização do profissional e da empresa. Nesse sentido, a implementação de um processo de treinamento e capacitação dos colaboradores possibilita a melhoria do desempenho individual e consequentemente a melhoria organizacional.

O treinamento e capacitação profissional nas empresas permitem resultados cada vez mais significativos e promissores para os indivíduos, para suas equipes de trabalho e também para as empresas. A capacitação profissional pode ocorrer de diversas formas:

a) contratação de estagiários e pessoas em primeiro emprego;

b) ações de capacitação, como treinamentos em serviço ou investimentos em cursos realizados dentro ou fora da empresa.

Outro fator que pode ser executado pela empresa para aumentar o nível de capacitação profissional é o investimento por parte da empresa no aumento do grau de escolarização dos seus colaboradores. Atualmente, este recurso pode ser alcançado em simples cursos de capacitação oferecidos até mesmo em pequenos municípios como o Programa Educação do Trabalhador realizado pelo Serviço Social da Indústria (SESI)que oferece oportunidade de qualificação.

Segundo Chiavenato (2010, p.367) quando se fala em treinamento é preciso pontuar alguns aspectos, pois “[…] o treinamento é uma fonte de lucratividade ao permitir que as pessoas contribuam efetivamente para os resultados do negócio”. E, levando em consideração esse aspecto, as empresas buscam treinar seus colaboradores, pois melhora tanto o desempenho deles quanto da empresa, gerando novas habilidades, aprimoramento dos conhecimentos que os mesmos já possuem, facilita a execução das tarefas, produz mais e com melhor qualidade traz retorno do que foi investido para a organização (LACOMBE, 2005).

1.1. Princípios de treinamento e capacitação

Treinamento e capacitação de pessoas podem ser definidos como a melhor forma de reciclar conhecimentos, ou seja, melhorar a capacidade individual e coletiva dos envolvidos em uma empresa. É de suma importância uma inter-relação entre colaboradores e empresa, os quais precisam avaliar e buscar melhoria para a eficácia do desempenho de ambos (FRANÇA, 2010).

O treinamento pode ser subdividido em dois tipos: a) Treinamento interno: nesse tipo de treinamento é realizado na própria empresa e são divididos em duas etapas: a primeira é o treinamento introdutório. Nesta fase, são transmitidas as primeiras informações para o colaborador desde a entrada do mesmo na empresa. Na segunda etapa é realizado o acompanhamento do colaborador na empresa ao longo da sua permanência, conhecendo seus conhecimentos prévios e aperfeiçoando-os para serem aplicadas no decorrer do tempo (MARRAS, 2011).

O treinamento externo ocorre fora da empresa, como consultorias especializadas, cursos e palestras de empresas terceirizadas que trabalham com temas específicos. Este tipo de treinamento pode ser dividido em dois principais grupos: a) Treinamento in company, que são treinamentos voltados para a ministração, especialmente para funcionários de uma mesma empresa; e o treinamento aberto que é a participação de um grupo em um treinamento envolvendo colaboradores de várias empresas (MARRAS, 2011).

Neste cenário, ambos os treinamentos podem ser adotados pelas empresas, e, sua escolha irá depender das condições econômicas, de infraestrutura e capacidade de treinadores de cada empresa: “tanto no treinamento interno como no externo podem ser usados jogos de empresa, que simulam a realidade, em que treinandos devem competir com outros grupos, mediante regras previamente estabelecidas” (LACOMBE, 2005, p. 352).

Diversos tipos de treinamentos podem ser adotados, sendo que, rotineiramente, os treinamentos são associados diretamente com a função de cada colaborador dentro da organização. A escolha do tipo e/ou forma de treinamento irá depender da didática e disponibilidade de recursos da empresa, como por exemplo: curso de como operar uma planilha eletrônica em computador; ações de aprendizado – durante o próprio trabalho – de como armazenar peças no almoxarifado; como operar um caixa, usar um software, executar determinada atividade, como cuidar da recepção, podar as plantas do jardim, fazer um relatório, vender um produto, etc.

Todos os exemplos citados são a curto prazo (algumas horas ou alguns dias) e sempre dizem respeito a como realizar ou otimizar determinada tarefa. Entretanto, existem formas de treinamento de longo ou moderado prazo, como cursos técnicos de capacitação profissional, uma graduação ou especialização, por exemplo.

1.2. Bases para realização de treinamento e capacitação

Inicialmente, é importante um levantamento de necessidades de treinamento da empresa, que envolve o conjunto de carências cognitivas e inexperiências relativas ao trabalho existentes entre o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes do colaborador e as exigências de cada função. De maneira que, para realizar o treinamento e capacitação profissional, é necessário desenvolver um plano de trabalho e colocar o treinamento em prática.

É praticamente impossível o desenvolvimento econômico e elevação do nível social da empresa sem aumentar as habilidades dos colaboradores, sejam elas intelectuais ou técnicas. Neste sentido, aumentar a capacitação e as habilidades dos colaboradores é função primordial do treinamento.

Segundo Chiavenato (2009), treinar é educar, ensinar, é mudar o comportamento, é fazer com que as pessoas adquiram novos conhecimentos, novas habilidades, é ensiná-las a mudar de atitudes. E, dessa maneira, o profissional de treinamento, tem por função conscientizar os funcionários da importância do autodesenvolvimento e da busca constante do aprendizado contínuo. Para que o treinamento seja concretizado com eficiência é preciso planejamento e organização. O treinador é a pessoa que conhece e que tem experiência nas atividades, passando para os colaboradores a capacitação adequada (CHIAVENATO, 2009).

REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos o capital humano das organizações. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

FRANÇA, A. C. L. Práticas de Recursos Humanos- PHR: Conceitos, ferramentas e procedimentos. São Paulo: Atlas, 2010.

LACOMBE, F. J. M. Recursos Humanos: Princípios e Tendências. São Paulo: Saraiva, 2005.

MARRAS, J. P. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico.14. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

5 1 vote
Article Rating

Por: Eliane Alves Meira

Me defino como uma pessoa sonhadora, que faz o que gosta, determinada a buscar suas conquistas. Minha base para lutar pelos meus objetivos: Família.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments