Artigos

Um bom profissional é um eterno estudante

Dia 11 de agosto é comemorado muitas coisas, mas também se celebra o Dia do Estudante. No entanto, podemos dizer que Estudante é um grupo muito maior de pessoas que não se limita apenas a jovens e crianças que estão em fase escolar.
Assim, com a facilidade de acesso ao conhecimento e as exigências do mercado, os profissionais que almejam sucesso precisam ser eternos estudantes, estar sempre atentos às novidades e buscar aperfeiçoamento contínuo.
Marcelo de Elias, palestrante especialista em mudanças e professor, respondeu alguns questionamentos a respeito disso para que possamos refletir sobre o aprendizado constante. Acompanhe com a gente.

1. Por que é preciso ser um eterno estudante?
Ser um eterno aprendiz é uma demanda muito necessária nos tempos de hoje. As mudanças que enfrentemos são tão rápidas que ficar parado é o mesmo que ficar para trás. Então, nós precisamos ter uma capacidade de se reinventar e de repensar.
Penso que o mais difícil não é de fato estudar e acumular novos conhecimentos, mas sim desaprender aquilo que não vale a pena. Então um eterno estudante, muito mais que alguém que aprende coisas novas, é aquele que desaprende coisas velhas. É aquele que deixar para trás algumas ideias para dar espaço para as coisas que realmente valem a pena.

2. As mudanças talvez sejam as principais responsáveis pela constante necessidade de estudo. Como os profissionais podem utilizar os estudos para se preparar para elas?
Uma das coisas que mais diferenciam um bom aprendiz é o estudo relacionado às tendências, algo que é novo. Isso não quer dizer que você não possa aprender aquilo que todos estejam aprendendo. Até mesmo porque existem coisas que todo mundo tem falado, mas que são importantes para que você saiba dialogar.
Mas o que vai fazer a diferença para um estudante é o estudo de novas tendências, aquilo que não é senso comum, mas que demonstra sinais de uma grande transformação.
Portanto a minha sugestão para que as pessoas possam se preparar para as mudanças e tirar mais proveito dos estudos é descobrir novas tecnologias, novas ideias, novos costumes, novas modas e pesquisa-las, porque isso, realmente, vai fazer delas, pessoas diferenciadas.

3. Com a tecnologia e a facilidade de obter informações, o aprendizado fica banalizado? Todo mundo é “detentor” do conhecimento?
Eu não diria que o conhecimento ficou banalizado. Na verdade ele ficou acessível. Só que com essa acessibilidade, muitas coisas já não são tão interessantes.
Antes, como não era tão fácil publicar conteúdos e conhecimentos, somente aquilo que era bom ficava disponível. Hoje todos podem publicar. O mundo é um Wikipedia, um Youtube… Todos podem fazer um vídeo ensinando algo, ou publicar um artigo e colocar em seus blogs. Então o conhecimento está bastante acessível e democrático.
Mas eu tenho percebido que há autoridades imediatas. Pessoas que, do dia para a noite, viram “grandes conhecedores”, mas que no fundo, são pessoas superficiais. Com conhecimentos muito rasos, que não tiveram a oportunidade de estudar e pesquisar com profundidade aquele conteúdo. Então aquilo que falam acaba sendo uma repetição de ideias iguais as de outros.
Fazendo uma comparação simples, podemos dizer que essas pessoas, hoje em dia, são mais lanchas que submarinos. Lanchas navegam rapidamente na superfície. Enquanto os submarinos são aqueles que mergulham fundo para ver o que tem no mar.
Então, neste mundo de conhecimento acessível, vale a pena estudar vários temas sim, como uma lancha. Mas, ao identificar algo que faça diferença para você e que seja importante aprender, que você mergulhe com profundidade, como o submarino, para não ficar com o conhecimento tão raso sobre aquilo.

4. Qual a principal dica que você pode dar para os profissionais que não querem mais estudar?
DESCUBRA O QUE VOCÊ GOSTA.
Muitas pessoas não gostam de estudar porque só estudam conteúdos que não agregam tanto valor ou que não fazem sentido para elas. Então é preciso fazer um exame de consciência sobre o que você quer e o que você gosta.
USE AS DIVERSAS FORMAS DE APRENDER.
A Internet pode ser sim um grande recurso. Então por que não estudar por blogs, pelo Youtube, nas redes sociais? Lembrando a necessidade de filtrar aquilo que realmente vale a pena. Você pode buscar também aprendizados presenciais, em uma roda de amigos, em um grupo de estudo. Você pode aprender até mesmo pela TV, com bons programas que lhe agreguem conhecimento fundamentado.
O importante é compreender que nunca estaremos 100% prontos e que a constante busca pelo aprendizado é o que vai te ajudar a alcançar seus objetivos.

Marcelo de Elias é professor, escritor e palestrante especialista em Mudanças. Veja mais no site www.marcelodeelias.com.br!

Por: Marcelo de