Eventos

16 jun
Atenção!
O evento anunciado abaixo é fornecido pela empresa: InterNews CEE, e de inteira responsabilidade desta.

Regularização De Ativos No Exterior (lei 13.254)

Segundo os especialistas não há alternativa: os contribuintes que possuem ativos não declarados no exterior devem aderir ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária, independentemente da intenção do Contribuinte de repatriação destes recursos.

Nos próximos anos será praticamente impossível ter recursos não declarados no exterior ou recorrer aos chamados ‘esquemas de planejamento tributário agressivo’. Os pactos internacionais de cooperação assinados por vários países nos últimos anos não permitirão tais práticas.

O Brasil não ficou de fora destes pactos. O país está prestes a ratificar um acordo que incluiu desde os maiores centros financeiros mundiais até paraísos fiscais como Cayman e Jersey. Com este acordo, a Receita Federal terá acesso a dados em mais de 90 países. A troca de informações entre os fiscos será automática.

Além disso, o cerco aos ativos não declarados tem se reforçado com os constantes vazamentos de dados bancários e fiscais pela imprensa ou internet. O caso mais recente foi o episódio conhecido como Panama Papers, que divulgou milhares de documentos envolvendo clientes de uma empresa especializada em criar offshores. Tais informações vazadas podem começar a ser utilizadas pelo fisco como ponto de partida para investigações tributárias e criminais.

No Brasil, a anistia prevista pela Lei 13.254 tem prazo para terminar. A oportunidade para legalizar ativos junto à receita vai até 31 de outubro.

Participe deste Seminário InterNews que reúne renomados peritos que farão uma abordagem prática, direcionada para aqueles que decidiram aderir ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária.

PROGRAMA

8h30 – Credenciamento

9h00 – O Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária e a tendência de maior transparência no sistema financeiro global

Acordos internacionais de cooperação tributária; Caso Panamá Papers
Gil Vicente Gama
Sócio
Nelson Wilians & Advogados Associados

10h20 – Coffee break

10h40 – Aspectos práticos e casos específicos

Aplica-se o conteúdo da lei a empresas offshore onde o contribuinte é o beneficiário titular?
Trusts, fundações e estruturas congêneres
Os futuros beneficiários de trusts e congêneres deveriam ter declarado à RF/Banco Central o ativo futuro?
Tratamento tributário após regularização: como planejar
Investimentos em títulos no exterior e tributação
Quais as opções em caso de inventário?
Como fica a declaração de ativos para o Banco Central?
Maucir Fregonesi Junior
Sócio
Siqueira Castro Advogados

12h20 – Almoço

13h40 – Como fazer a Declaração de Regularização Cambial e Tributária

Bens passíveis de serem regularizados
Identificação dos bens e sua titularidade
Documentação comprobatória dos bens -existencia e valor
Passo a passo para preenchimento da DECART
Retificação de declarações de 2014 e 2015
Cumprimento de obrigações fiscais após a adesão
Artur Gregório
Sócio
AG Associados

15h00 – Coffee break

15h20 – Adesão ao programa e suas implicações tributárias futuras

Como proteger o patrimônio?
Qual o risco de um escrutínio (‘malha fina’) contínuo do Fisco?
Manter os ativos no exterior ou no Brasil após a adesão à Lei de Repatriação?
Tiago Espellet Dockhorn
Sócio tributário
Machado Meyer Sendacz e Opice Advogados

16h40 – Redução de riscos penais após regularização

As diferenças dos prazos prescricionais tributários e criminais
Qual o cenário mais conservador para extinguir a possibilidade de responsabilidade criminal
Há garantia de que não haverá ação criminal por parte do Ministério Público à revelia da Receita Federal?
Filipe Lovato Batich
Advogado associado
Trench, Rossi e Watanabe Advogados

18h00 – Encerramento

Adicionar ao Calendário do Google

Local

São Paulo / SP

Desejo contactar a empresa responsável sobre este evento



Outros eventos