logo svg rh portal
Pesquisar
Close this search box.
Início > Treinamento e Desenvolvimento > Treinamento comportamental: o que é, objetivos, tipos e como aplicar

Sumário

Treinamento comportamental: o que é, objetivos, tipos e como aplicar

O treinamento comportamental está ganhando cada vez mais destaque no mundo corporativo. Ele complementa as habilidades técnicas ao focar no aprimoramento das habilidades interpessoais, emocionais e de comunicação dos indivíduos.

Através desta técnica, a organização é capaz de desenvolver novos líderes, realizar a gestão emocional do time, melhorar o trabalho em equipe, além de torná-los capazes de lidar com mudanças.

O instituto Dale Carnegie (2021) estima que mais de 85% do sucesso profissional depende de habilidades interpessoais e de comunicação eficaz.

Portanto, se lhe interessa tornar os seus colaboradores prontos para lidar com as transformações que a era tecnologia está prestes a nos trazer, leia esse post até o final! Boa leitura!

O que é treinamento comportamental?

Uma das dúvidas mais comuns é o que é treinamento comportamental, afinal de contas, existem tantos tipos de treinamento, não é mesmo?

O treinamento comportamental (ou soft skills) tem como foco aprimorar habilidades que estejam relacionadas ao comportamento humano e ensinar novas técnicas para utilizar no dia a dia da empresa.

Alguns tipos de treinamento muito comuns são os de gerenciamento de tempo, assim como aprimoramento dos líderes. Porém, é possível utilizar outras opções:

  • Manejo de equipe;
  • Lidar com a gestão de conflitos;
  • Implantar novas tecnologias;
  • Ensinar o processo de negociação, etc.

Qual é o objetivo do treinamento comportamental?

O objetivo do treinamento comportamental é conseguir disseminar a cultura da empresa, melhorar o engajamento e melhorar o emocional do time de profissionais da organização.

Quando bem trabalhados esses pontos, a empresa tende a aumentar a produtividade, oferecendo um ambiente vencedor e saudável.

Quais são os tipos de treinamentos comportamentais?

Agora que compreendemos o que é o treinamento comportamental para empresas e quais são os seus objetivos, vamos entender quais são os tipos de treinamentos e quando aplicar cada um deles:

  1. Inteligência emocional: Considerado um dos temas mais importantes em um treinamento comportamental para colaboradores. O foco aqui é preparar o time emocionalmente para lidar com a pressão e desafios ligados à rotina.
  2. Formação de lideranças: Esse é um treinamento que foca nos colaboradores que desejam se tornarem líderes. Para isso, é possível realizar treinamentos que ajudam a desenvolver um conhecimento técnico para a área.
  3. Trabalho em equipe: Trata-se de um treinamento que tem como foco ajudar os profissionais a entenderem a importância de uma atuação coletiva e cooperativa no dia a dia.
  4. Motivação: Este treinamento foca em manter os colaboradores motivados, se envolvendo no dia a dia da empresa e buscando conquistar os objetivos determinados.
  5. Resolução de conflitos: Treinamentos que visam a resolução de conflitos trabalham com o foco de ensinar os profissionais a saberem lidar com situações conflituosas e saber quais medidas tomar.
  6. Lidar com mudanças: Estamos lidando com um universo em constante mudança e, por isso, realizar treinamentos que ajude os colaboradores serem resilientes e versáteis para se adaptar às mudanças é fundamental.
  7. Proatividade: Exigida pela maioria das organizações, a proatividade tem como foco desenvolver um time de alta qualidade, que toma partido para lidar com situações complexas, sem a necessidade de receberem ordens vindas da chefia.
  8. Comunicação interpessoal: Treinamentos que visam melhorar a comunicação interpessoal são essenciais para que não aconteçam conflitos, oferecendo maneiras de apresentarem melhor suas ideias de forma objetiva e clara.

Quais são as modalidades de treinamentos comportamentais?

modalidades de treinamentos comportamentais

Cada tipo de treinamento oferece ferramentas e técnicas específicas para te auxiliar no aprimoramento de suas habilidades interpessoais, na conquista de metas e na construção de uma carreira de sucesso.

Para ajudar você a entender melhor as possibilidades, preparei um guia completo com as principais modalidades de treinamentos comportamentais. Confira!

1. Treinamento Presencial

Trata-se do treinamento realizado com a presença física do instrutor e do treinando, cujo objetivo é qualificar, reciclar, atualizar e/ou aperfeiçoar o desempenho dos treinandos.

2. Treinamento à Distância

Se caracteriza pela separação física entre o instrutor e o treinando, utilizando meios de comunicação como a internet e as famosas aulas online.

3. Treinamento em Serviço (TES)

É realizado no próprio ambiente de trabalho do funcionário para que ele aprenda algo específico, seja o surgimento de uma máquina ou mudança de ambiente.

4. Rodízio

Realizar o treinamento no setor do funcionário, visando prepará-lo para uma nova função e obter uma visão global do trabalho a ser realizado num determinado setor.

5. Visita Técnica

São visitas realizadas a outros setores – dentro da própria empresa ou em outra – com o objetivo principal de observar diretamente o funcionamento de um determinado trabalho (ou nova tecnologia).

6. Reuniões Informativas

São realizadas periódica – ou esporadicamente – conforme a necessidade, a fim de atualizar os funcionários ou chefias sobre os assuntos pertinentes às suas áreas.

7. Encontros de Disseminação de Treinamento

Tem como objetivo divulgar o conhecimento adquirido por funcionários que participaram de treinamento, através de manuais, apostilas e outros, colocados à disposição dos interessados no RH.

8. Palestras/ Seminário ou Congresso

É a apresentação de um assunto específico, seguido de questionamentos e comentários por parte do público.

Pode ser apresentada por funcionário da mesma empresa, de outra empresa ou de alguma instituição contratada externamente.

9. Workshop

Apresentação resumida de um determinado assunto, utilizando técnicas expositivas e/ou vivenciais com o objetivo de divulgar uma proposta de trabalho. Normalmente um workshop é mais “visual” do que “auditivo”.

Como fazer o treinamento comportamental?

Treinamento comportamental – O que é? Ele tem como como foco aprimorar habilidades que estejam relacionadas ao comportamento humano.

Agora que compreendemos todos os conceitos relacionados ao treinamento comportamental para liderança e outros setores da empresa, é chegado o momento de compreendermos como, de fato, vamos aplicar esse conhecimento na organização.

Para isso, vamos criar um plano de treinamento, pois, ele ajudará a evitar um grande problema: gastos desnecessários com treinamentos comportamentais que não eram necessários para a empresa:

1. Conheça os seus colaboradores

O primeiro passo para um bom plano de treinamento é conhecer os colaboradores e as equipes, incluindo a liderança, ou seja, é necessário fazer uma avaliação comportamental. Para isso, você pode utilizar um mecanismo chamado ADDIE, que significa:

  • Analysis (Análise);
  • Design (Estruturação);
  • Development (Desenvolvimento);
  • Implementation (Implementação);
  • Evaluation (Avaliação).

Conhecer os colaboradores é importante para entender quais são as funções exercidas por eles, identificar algumas características pessoais e os pontos fortes e os de melhoria.

Em corporações e grandes negócios é um pouco mais complicado conhecer esse público. Afinal, são muitas equipes e funcionários. Nesse caso, é importante ter relatórios e dados sobre os times e todos os colaboradores.

Saiba mais:

2. Quais são as necessidades da empresa?

Quais são as necessidades da empresa?

Agora é preciso fazer um diagnóstico dos problemas, desequilíbrios e irregularidades que tornaram o treinamento necessário.

Essa é a fase de mapeamento de competências e de necessidades e levantamento de informações sobre os pontos de melhoria.

Nem sempre o problema está nas competências técnicas ou nas equipes operacionais. Pode ser um gargalo comportamental da liderança, por exemplo.

Portanto, é preciso identificar e diagnosticar as fontes das irregularidades e quais são elas.

3. Defina quem receberá os treinamentos

Após o diagnóstico, serão revelados os setores, equipes ou colaboradores que precisam dos treinamentos e processos de desenvolvimento. Definir quem receberá os cursos também ajuda na escolha do tipo de treinamento.

Além disso, os profissionais precisam ser avisados com antecedência, assim podem preparar a sua rotina e sanar dúvidas sobre as etapas e sobre o treinamento.

Se eles forem pegos de surpresa, podem recusar ou não ter o devido aproveitamento.

“O desenvolvimento humano é um processo que dura a vida toda e que deve ser nutrido por meio de aprendizagem contínua e oportunidades de crescimento.”Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU.

4. Estabeleça os objetivos

Em linhas gerais, o treinamento e desenvolvimento de pessoas têm dois principais intuitos:

  1. Preparar e qualificar os colaboradores: Você pode aplicar quando o setor de atuação mudar. Em situações de mudança na estrutura ou quando o impacto interno é grande no negócio.
  2. Atuar no desenvolvimento contínuo e na atualização de conhecimentos: Essa é uma questão estratégica para as organizações, pois além de manter os funcionários engajados e motivados, eles se atualizam e conseguem agregar melhores soluções para as empresas.

5. Evite programas de treinamento em massa

Evite programas de treinamento em massa

O treinamento em massa ou em grupo raramente funciona, especialmente em indústrias de nicho. Imagine a formação de redatores, designers gráficos ou editores de conteúdo em grupos de meia dúzia de funcionários.

Portanto, consulte os líderes de seu departamento sobre as preferências e expectativas de seus funcionários e desenvolva seu caminho a partir daí.

6.Realize o plano de treinamento

Com o plano de treinamento elaborado e revisado, e com todos os participantes devidamente avisados, é o momento de realizar os treinamentos. Existem três principais formatos para a entrega dos conteúdos:

  • In company: feito nas dependências da empresa;
  • Outdoor: Ao ar livre ou lugar específico fora da empresa e da casa do participante.
  • A distância: modelo de treinamento EAD é que tem maiores vantagens de redução de custos e melhor aproveitamento, inclusive no cenário durante e pós-pandemia.

7. Avalie e mensure os resultados:

O plano de treinamento não termina com a aplicação do curso. Para identificar se ele realmente resolveu os gargalos ou se há alguma outra mudança necessária, é preciso mensurar os resultados.

O Retorno sobre Investimento (ROI) é o principal indicador para avaliar esses resultados, mas também é possível utilizar métricas de produtividade, satisfação e faturamento.

5 opções de treinamentos comportamentais

Investir em treinamento comportamental é uma decisão inteligente que pode te trazer diversos benefícios, como:

  • Aprimorar suas habilidades interpessoais
  • Aumentar sua produtividade
  • Melhorar seus relacionamentos
  • Alcançar seus objetivos de carreira
  • Aumentar sua autoconfiança

Mas com tantas opções disponíveis, qual treinamento escolher? Para te ajudar nessa jornada, preparei uma seleção com 5 opções de treinamentos comportamentais que podem ser ideais para você.

1. Treinamento em Comunicação

  • Domine a arte da comunicação: Aprimore suas habilidades de comunicação verbal e não verbal, aprenda a ouvir ativamente, a se comunicar com clareza e assertividade e a construir relacionamentos interpessoais mais fortes.
  • Ideal para: Profissionais que desejam se destacar em apresentações, negociações, reuniões e qualquer situação que exija uma comunicação eficaz.

2. Treinamento em Inteligência Emocional

  • Gerencie suas emoções e as dos outros: Desenvolva sua inteligência emocional para lidar com situações desafiadoras, gerenciar conflitos, motivar a si mesmo e aos outros e construir um ambiente de trabalho mais positivo e produtivo.
  • Perfeito para: Líderes, gestores, profissionais que lidam com o público e qualquer pessoa que busca melhorar suas relações interpessoais e sua capacidade de adaptação a diferentes situações.

3. Treinamento em Motivação

  • Descubra a força que impulsiona o sucesso: Aumente sua automotivação, defina a gestão de metas desafiadoras, aprenda a superar obstáculos e mantenha o foco naquilo que te inspira a alcançar seus objetivos.
  • Recomendado para: Profissionais que buscam superar desafios, aumentar sua produtividade, alcançar metas ambiciosas e encontrar realização em seu trabalho.

4. Treinamento em Liderança

  • Desperte o líder que existe em você: Desenvolva as habilidades essenciais para se tornar um líder inspirador, motive e engaje sua equipe, delegue tarefas com eficiência e crie um ambiente de trabalho onde todos se sintam valorizados e comprometidos com o sucesso do time.
  • Feito sob medida para: Líderes em todos os níveis, gestores, empreendedores e qualquer pessoa que busca desenvolver suas habilidades de liderança e inspirar os outros.

5. Treinamento em Coaching

  • Desbloqueie seu potencial e alcance seus objetivos: Através de um processo individualizado de coaching, você terá um mentor que te ajudará a definir metas, identificar seus pontos fortes e fracos, superar obstáculos e desenvolver um plano de ação para alcançar seus sonhos.
  • Ideal para: Profissionais que buscam um direcionamento personalizado para sua carreira, pessoas que desejam melhorar seu desempenho em diferentes áreas da vida e qualquer pessoa que busca alcançar seus objetivos mais ambiciosos.

Sinais de que sua empresa precisa de treinamento comportamental

Nem sempre é fácil identificar quando uma empresa realmente precisa desse tipo de treinamento. Para te auxiliar nessa jornada, confira os principais sinais que indicam a necessidade de investir em treinamento comportamental.

1. Dificuldades na comunicação e relacionamentos

  • Falta de comunicação clara e objetiva: Constantes mal-entendidos, conflitos interpessoais e dificuldade em trabalhar em equipe são sinais de que a comunicação precisa ser aprimorada.
  • Clima organizacional negativo: Desmotivação, falta de engajamento e baixa colaboração entre os colaboradores indicam um ambiente de trabalho tóxico que precisa ser transformado.
  • Dificuldade em lidar com conflitos: A incapacidade de resolver conflitos de forma construtiva gera ressentimentos, prejudica a produtividade e cria um ambiente de trabalho hostil.
  • Falta de empatia e respeito mútuo: Atitudes como desrespeito, falta de consideração e individualismo excessivo prejudicam as relações interpessoais e o trabalho em equipe.

2. Baixa Produtividade e desempenho insatisfatório

  • Metas não atingidas: Constante atraso nas metas, prazos descumpridos e resultados abaixo do esperado indicam que a equipe precisa de ferramentas para melhorar seu desempenho.
  • Falta de foco e motivação: Desmotivação, apatia e falta de entusiasmo no trabalho são sinais de que os colaboradores precisam ser reenergizados e engajados.
  • Altos índices de absenteísmo e turnover: Frequentes faltas ao trabalho, turnover e dificuldade em reter talentos indicam um ambiente de trabalho insatisfatório que precisa ser mudado.
  • Falta de proatividade e iniciativa: Colaboradores que esperam sempre serem instruídos e não tomam iniciativa por conta própria demonstram a necessidade de desenvolver suas habilidades autônomas.

3. Dificuldades na Gestão e Liderança

  • Falta de clareza e objetividade na comunicação: Líderes que não se comunicam de forma clara, objetiva e inspiradora geram confusão, desmotivação e falta de engajamento na equipe.
  • Falta de feedback construtivo: A ausência de feedback regular e construtivo impede o desenvolvimento dos colaboradores e os deixa sem saber como melhorar seu desempenho.
  • Dificuldade em delegar tarefas: Líderes que não delegam tarefas de forma eficaz sobrecarregam a si mesmos e a equipe, diminuindo a produtividade e a autonomia dos colaboradores.
  • Falta de reconhecimento e valorização: Colaboradores que não se sentem reconhecidos e valorizados por seu trabalho perdem a motivação e o engajamento.

A pesquisa da Gallup, que aponta que 75% dos colaboradores brasileiros consideram a comunicação interna em suas empresas ineficaz, é um alerta preocupante que revela um problema sistêmico que assola o mundo corporativo brasileiro. Essa doença silenciosa, muitas vezes negligenciada, corrói a produtividade, o engajamento dos colaboradores e, consequentemente, o sucesso das organizações.

4. Problemas com clientes e atendimento

  • Reclamações frequentes de clientes: Clientes insatisfeitos com o atendimento, produtos ou serviços indicam a necessidade de aprimorar as habilidades interpessoais e de comunicação dos colaboradores.
  • Baixa qualidade no atendimento: Dificuldade em lidar com clientes de forma educada, profissional e empática gera uma má experiência para o cliente e prejudica a imagem da empresa.
  • Perda de clientes: A perda constante de clientes indica que a empresa precisa rever seus processos de atendimento e investir no desenvolvimento de seus colaboradores.
  • Dificuldade em fidelizar clientes: A incapacidade de fidelizar clientes demonstra a necessidade de fortalecer o relacionamento com o cliente e oferecer um atendimento de excelência.

5. Cultura organizacional ultrapassada

  • Ambiente de trabalho rígido e inflexível: Regras e normas excessivamente rígidas, falta de autonomia e pouca flexibilidade na jornada de trabalho geram um ambiente de trabalho desmotivador.
  • Falta de oportunidades de crescimento: A ausência de programas de desenvolvimento profissional e de oportunidades de crescimento desmotiva os colaboradores e limita o potencial da equipe.
  • Falta de diversidade e inclusão: Um ambiente de trabalho homogêneo, sem espaço para diferentes ideias e perspectivas, limita a criatividade, a inovação e o potencial da empresa.
  • Resistência a mudanças: A dificuldade em se adaptar às novas tecnologias, tendências do mercado e às necessidades dos clientes impede o crescimento e a competitividade da empresa.

“A cultura é o que faz uma organização funcionar, e é o que a torna difícil de mudar.”Edgar Schein, psicólogo e especialista em cultura organizacional.

A frase do renomado psicólogo e especialista em cultura organizacional, Edgar Schein, ecoa como um mantra para líderes e gestores que buscam compreender e navegar pelas complexas nuances da cultura organizacional.

Se sua empresa apresenta alguns desses sinais, é hora de considerar investir em treinamento comportamental.

Conclusão

O treinamento comportamental desempenha um papel fundamental no desenvolvimento e aprimoramento das habilidades interpessoais e sociais dos colaboradores em um ambiente de trabalho.

Compreender o que é esse tipo de treinamento e seu objetivo é muito importante. Assim, a empresa consegue promover mudanças positivas nos comportamentos dos profissionais e fortalecer a cultura organizacional.

A variedade de tipos e modalidades de treinamentos comportamentais oferece às empresas uma gama de opções para atender às necessidades específicas de cada tipo de treinamento, gerando melhores resultados ao negócio.

desenvolvimento e treinamento de pessoas
Formado em Estatística pela Universidade Federal de Minas Gerais e com Especialização em Design Thinking pela University of California e formação em Inovação, também com formação em Empreendedorismo pela Stanford University. Conta com visão estratégica e experiência profissional em tecnologia e gestão de produtos. É o único brasileiro a figurar na ‘Top 50 CEOS de SaaS 2022’. Organizada pela Software Report, a lista reconhece os líderes de empresas mais transformadoras e impactantes do setor.
Assine a nossa Newsletter